BRASIL

Visite nosso novo endereço

www.istoeguarulhos.com.br

Montadoras reduzem produção

Reuters/Foto: Nacho Doce

Estoques altos e um mercado interno desacelerando frente ao forte ritmo do início do ano têm feito as montadoras reduzirem produção, com as mais recentes sendo e Ford.

A Volkswagen aproveitou feriados locais e do 7 de setembro nesta semana para suspender a produção na fábrica de São José dos Pinhais (PR), que monta os modelos Golf, Fox e CrossFox a um ritmo de 810 unidades por dia, informou o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba.

Enquanto isso, na Fiat parte dos trabalhadores da fábrica em Betim (MG) emenda o feriado da Independência nesta segunda e na terça-feira, voltando ao trabalho na próxima quinta-feira.

Segundo a montadora italiana, a parada de parte dos funcionários se deve “a ajuste de mix” de produtos em estoque e manutenção da fábrica. A empresa não soube precisar imediatamente o número de funcionários envolvidos.

Na Ford, a empresa informou férias coletivas de 10 dias a 1.300 dos 1.600 funcionários da fábrica de motores e transmissão de Taubaté (SP). As paradas ocorrerão em datas distintas, começando no próximo dia 19.

“A Ford Brasil irá interromper a produção de suas unidades no país a fim de ajustar os estoques à demanda do mercado. O período de redução das atividades das linhas de produção será gradual”, afirmou a montadora.

A fábrica da Ford em Camaçari (BA) ficará parada por quase 1 mês, entre 12 de setembro e 7 de outubro, segundo nota da empresa. Em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, a produção de caminhões para entre os dias 8 e 16 deste mês, a de carros será interrompida de 5 a 9 de setembro e a estamparia não funcionará da próxima segunda-feira até 7 de outubro.

Na General Motors, 300 funcionários voltaram de 15 dias de férias pontuais na fábrica de São José dos Campos (SP) nesta segunda-feira. No período, a unidade –que emprega 8 mil funcionários e produz os modelos Corsa, Meriva, Zafira, Montana, Blazer e S-10– deixou de produzir 1.500 veículos.

Na unidade da GM em Gravataí (RS), a empresa desmarcou um sábado de produção e manteve o segundo previsto para 24 de setembro depois de dois sábados cancelados em agosto. “Foram pequenos ajustes para adequar demanda ao mercado”, informou a empresa.

Os ajustes na produção são feitos após forte ritmo de produção no primeiro semestre, em que montadoras chegaram a abrir turnos extras para dar conta da demanda por veículos do Brasil.

Segundo o secretário-geral do sindicato de Curitiba, Jamil D’Ávila, a Volkswagen tem cerca de 10 mil carros no pátio da fábrica em São José dos Pinhais, quando o normal é um volume de 4 mil a 5 mil unidades.

As montadoras não informaram volume de carros em seus pátios.

A associação de concessionários brasileiros, Fenabrave, divulgou na sexta-feira passada uma queda de 0,44 por cento nas vendas de automóveis em agosto em relação ao mesmo período de 2010. Na comparação mensal houve alta de 6,3 por cento.

Na ocasião, o presidente da Fenabrave, Sergio Reze, comentou que as distribuidoras fecharam agosto com estoques para mais de 40 dias, quando o ideal seriam 21 dias. “Não está havendo equilíbrio entre oferta e procura”, afirmou Reze.

Segundo expectativa da entidade que reúne as montadoras instaladas no país, Anfavea, o Brasil deve registrar novo recorde de vendas em 2011, com alta de 5 por cento nos licenciamentos, para 3,69 milhões de veículos. A associação divulga balanço do setor em agosto na próxima quinta-feira.

PT aprova resolução e pede política monetária mais ousada

Reuters/Foto: Ueslei Marcelino

O PT aprovou neste sábado uma resolução política que pede “medidas mais ousadas” para garantir a redução dos juros e conter a desvalorização cambial.

A resolução, que ainda pode ser modificada por emendas no domingo, é aprovada no momento em que o governo Dilma Rousseff se esforça para ter uma política fiscal mais austera e o Banco Central surpreendeu o mercado reduzindo a taxa Selic em 0,5 ponto percentual esta semana, para 12 por cento ao ano.

O corte do juro básico gerou dúvidas sobre a autonomia do BC, já que dias antes da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) a presidente havia dito que o governo esperava a queda dos juros após anunciar o aumento da meta de superávit primário deste ano em 10 bilhões de reais.

Mas o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, reafirmou a posição do governo garantindo autonomia do Banco Central. “O BC percebeu o esforço do governo e avaliou o cenário internacional”, afirmou o ministro à Reuters neste sábado.

O texto aprovado no 4o Congresso Nacional do PT afirma que “a questão dos juros e do câmbio precisa ser enfrentada com medidas mais ousadas. O câmbio elevado é uma ameaça à economia brasileira, que exigirá no curto prazo medidas de impacto, capaz de frear o livre ingresso de dólares”.

A resolução política do PT pede ainda que sejam incentivados novos “instrumentos financeiros” que complementem a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) nos financiamentos de longo prazo, mas não especifica quais mecanismos devem ser adotados.

Ainda na questão econômica, o PT defende que o Brasil se articule com os demais países emergentes “para instituir mecanismos efetivos de regulação financeira e combate à guerra cambial”, diz o texto básico aprovado.

CORRUPÇÃO

A resolução política aprovada pelos petistas diz que as seguidas quedas de ministros no governo Dilma desde o seu início, há oito meses, é fruto de uma campanha midiática que tem o apoio da “oposição”.

Desde o início do governo, quatro ministros perderam seus cargos e nos ministérios dos Transportes, do Turismo e da Agricultura dezenas de assessores de escalões inferiores foram demitidos por serem acusados de envolvimento com irregularidades.

“O PT deve repelir com firmeza as manobras da mídia conservadora e da oposição de promover uma espécie de criminalização generalizada da conduta da base de sustentação do governo”, diz a resolução.

Na abertura do Congresso, na sexta-feira, a presidente Dilma voltou a dizer que zelará pela boa aplicação dos recursos públicos, mas não estabelecerá como meta da sua gestão o combate a corrupção.

ELEIÇÕES

No pleito municipal do ano que vem, o PT pretende lançar candidaturas próprias nas cidades que já governa e nos municípios que tenham mais de 150 mil habitantes. Porém, a resolução aprovada reafirma a necessidade de formar alianças com os partidos que compõem a coalizão de Dilma no Congresso.

“Nosso objetivo é ampliar fortemente a presença do PT e seus aliados no comando dos municípios brasileiros e nas Câmaras de Vereadores, especialmente as capitais e cidades com mais de 150 mil habitantes”, diz o texto.

Kassab sanciona lei que proíbe uso de celulares em bancos de SP

Instituições bancárias terão tempo para se adaptar às novas regras. Lei prevê multa de R$ 2,5 mil quando determinação for desrespeitada.

Agência Estado/Foto: Leandro Soares

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, sancionou a lei que proíbe o uso de celulares em bancos e caixas eletrônicos no município. A sanção foi publicada no sábado (27) no Diário Oficial e, desde então, já está em vigor. Porém, ela ainda não tem caráter punitivo, já que as instituições terão um tempo, ainda a ser definido, para se adaptar às novas regras.

A lei prevê multa de R$ 2,5 mil quando houver a infração. O valor dobra em caso de reincidência. O principal objetivo da nova lei é diminuir a ocorrência de assaltos a clientes na saída das agências bancárias.

De acordo com as informações do Diário Oficial, será proibido fazer e receber ligações, assim como mensagens de voz e de texto.

Brasil é o país que atrai mais montadoras

Agência Estado/Foto: Google

Effa pretende construir duas fabricas no País

O Brasil é hoje o país que mais atrai as montadoras. Nove fábricas já estão em construção ou em projetos, mesmo número de unidades em obras na China. Esse novo ciclo de investimentos dos fabricantes de veículos vai despejar US$ 5 bilhões no País até 2014.

Entre os interessados em desembarcar no País há marcas de carros populares, como os chineses, até luxuosas como os da alemã BMW. As empresas que já definiram projetos vão adicionar capacidade produtiva extra de 820 mil veículos ao ano e, segundo anúncios feitos pelas companhias, cerca de 14 mil empregos diretos. Hoje, a capacidade total é de quase 5 milhões de veículos.

O Brasil é o quinto país com maior número de montadoras já instaladas. São 26 fábricas de 19 marcas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

A Effa, do uruguaio Eduardo Effa, a última a anunciar investimento, pretende construir duas fábricas, uma para a produção de carros da chinesa Lifan, com quem tem parceria, e outra com a própria marca Effa, que importará componentes da chinesa Hafei. Cada projeto terá investimento de US$ 100 milhões, valor modesto diante de outros já anunciados. A Effa negocia as instalações com os governos de Santa Catarina e Goiás.

As duas unidades estão previstas para 2013. “Quando as importações se aproximam de 20 mil veículos ao ano, o melhor é ter fábrica local por causa da complexa logística de importação”, justifica ele, que tem uma linha de montagem no Uruguai, que traz conjuntos da China.

As outras novas instalações anunciadas, algumas já em construção, são da Fiat (investimento de US$ 2,3 bilhões), Toyota (US$ 600 milhões), Hyundai (US$ 600 milhões), JAC (US$ 600 milhões), Chery (US$ 400 milhões), Suzuki (US$ 60 milhões) e Nissan, que ainda não divulgou valor.

“Se o mercado é grande, com consumo acima de 3 milhões de veículos, a empresa tem de estar presente para reagir rapidamente às necessidades momentâneas e evitar a volatilidade das moedas internacionais”, diz Toshiyuki Shiga, presidente mundial da Nissan.

Empregos

Shiga ressalta a importância de contribuir com a economia local e a geração de empregos. A Nissan já atua em parceria com a Renault no Paraná. A segunda unidade será independente do grupo francês, mas pode ter outro parceiro. Um dos grupos com quem Shiga negocia é o do empresário Eike Batista. “É uma opção, mas temos outras”, diz.

Desemprego de julho é o menor desde dezembro

Reuters/Foto: Google

O desemprego brasileiro diminuiu em julho, registrando a menor taxa para esse mês desde o início da série histórica, em 2002.

Apesar disso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ressaltou que com a economia doméstica menos aquecida, a redução na taxa se dá de forma gradual e ainda não encontrou o seu momento de inflexão, que é caracterizado por uma queda pronunciada.

A taxa ficou em 6 por cento em julho, ante 6,2 por cento em junho, informou o IBGE nesta quinta-feira. Foi também a menor taxa mensal desde dezembro. Economistas consultados pela Reuters projetavam estabilidade em 6,2 por cento.

“O mercado de trabalho ainda não se aqueceu significativamente para atender a procura e a demanda de desempregados. O movimento se dá a passos lentos”, disse o coordenador do IBGE Cimar Azeredo.

“A desocupação só vai ceder quando gerar postos de forma significativa, e parece que o mercado não está aquecido. As empresas não estão num processo de expansão que é normal nessa época. Normalmente, elas começam a se preparar para uma produção e um escoamento dela no segundo semestre, mas isso não aconteceu.”

Apesar do ritmo lento, os números do mercado do trabalho ainda bastante favoráveis, ressaltou.

A taxa média de desemprego neste ano está até julho em 6,3 por cento, contra 7,3 por cento no mesmo período de 2010.

“Como a tendência do segundo semestre é de taxas cada vez menores , mesmo que essa redução não seja significativa, a tendência é que a taxa média esse ano seja menor que em 2010″, afirmou Azeredo.

Outro dado relevante foi o aumento forte na contratação de empregados com carteira de trabalho assinada, com alta de 1,2 por cento mês a mês, puxada por São Paulo.

O número de trabalhadores ocupados em julho totalizou 22,476 milhões de pessoas, alta de 0,4 por cento sobre junho e de 2,1 por cento ante julho de 2010. Os desocupados somaram 1,444 milhão de pessoas, queda mês a mês de 2,1 por cento e recuo anual de 12,1 por cento.

O rendimento médio real do trabalhador ficou em 1.612,90 reais, maior valor para um mês de julho desde 2002, registrando alta de 2,2 por cento contra junho e de 4 por cento ano a ano.

“O poder de compra está mantido e isso é bom para o consumo.”

O número menos positivo do relatório de emprego veio da indústria. O setor reduziu o quadro de empregados em 1,3 por cento. Muitos indústrias brasileiros tem reclamado do dólar baixo e da entrada no país de produtos importados a preços baixos.

PF prende prefeito e secretários por desvios de R$ 5 mi

Agência Estado/Foto: Felipe Araújo

Danilo Damaso, ex-prefeito do município de Marechal Deodoro

A Polícia Federal desbaratou nesta quarta-feira (24) uma quadrilha com ramificações nos estados do Pará e Alagoas que é acusada de desviar mais de R$ 5 milhões dos cofres públicos em licitações fraudulentas.

Dez pessoas foram presas, entre elas o prefeito de Vitória do Xingu, município do sudoeste do Pará, Liberalino Ribeiro Neto, e seu pai, o ex-prefeito de Marechal Deodoro (AL), José Danilo Dâmaso de Almeida. Segundo a Controladoria Geral da União (CGU), as investigações envolvem R$ 17 milhões em recursos federais que foram transferidos a Vitória do Xingu para aplicação em programas nas áreas da saúde, educação e assistência social.

Além do prefeito e do pai dele foram presos os secretários municipais de Saúde, de Obras e de Finanças de Vitória do Xingu. Também foi realizada a busca e apreensão de documentos na prefeitura, secretarias e empresas privadas. As investigações tiveram origem a partir de notícia crime originada dos moradores do município. De acordo com a PF de Alagoas, Danilo Dâmaso possui uma extensa ficha policial, já tendo sido acusado de homicídio, formação de quadrilha, uso de documento falso e crime contra o sistema financeiro.

A procuradora da República em Brasília, Raquel Branquinho disse que o esquema criminoso utilizava empresas fantasmas em nomes de “laranjas”, superfaturando bens e serviços, e efetuando pagamentos por serviços não executados. Segundo a PF, Vitória do Xingu é um reduto da família alagoana Dâmaso, que mantém vários negócios na região, como fazendas, laticínios e lojas de automóveis.

Helicóptero que prestava serviços a Petrobras é enontrado

Redação/Foto: Senior

Aeronave prefixo PR-SEK

A Petrobras informou que o helicoptero desaparecido desde sexta-feira (19), foi localizado no fundo do mar por mergulhadores na tarde deste sábado (20). Três dos quatro tripulantes tambem foram localizados dentro aeronave, de acordo com a estatal.

A aeronave AGUSTA-WESTLAND AW-139 de propriedade da Senior Táxi Aéreo, que prestava serviços à Petrobrás, foi localizada a cem quilometros do litorarl de Macaé, no norte Fluminense e a 99 metros de profundidade. Segundo a Petrobrás, os procedimentos para o regaste dos corpos já foram iniciados e que as buscas pela quarta pessoa desaparecida ainda prosseguem. 16 embarcações e 10 helicópteros continuam nas buscas.

O helicóptero prefixo PR-SEK decolou da plataforma da estatal na Bacia de Campos, a P-65 e com dois tripulantes e dois passageiros a bordo identificados como: Ricardo Leal de Oliveira, auxiliar técnico de planejamento da empresa Engevix, João Carlos Pereira da Silva, técnico de inspeção da empresa Brasitest, o piloto Rommel Oliveira Garcia e o copiloto Lauro Pinto Haytzann.

Segundo a Força Aerea Brasileira (FAB) a aeronave declarou emergência à torre de controle de Macaé às 17h15 e fez um pouso forçado no oceano Atlântico.

Todos oss trabalho de busca estão sendo coordenados pela Força Aérea Brasileira e pela Marinha do Brasil. As empresas Senior Táxi Aéreo, Engevix e Brasitest estão prestando toda a assistência às famílias, com suporte da Petrobras, informa o comunicado da estatal.


Apesar do avanço dos salários Poder de compra de brasileiro cai em ranking global

BBC/Foto: Google

Um relatório do banco suíço UBS avaliando o custo de vida em 73 cidades do mundo indicou que o poder de compra dos habitantes de Rio e São Paulo vem caindo nos últimos cinco anos, apesar do avanço dos salários.

A valorização do real, o aquecimento da atividade econômica e a inflação fizeram com que o custo de vida nas duas megacidades brasileiras, que há cinco anos equivalia a pouco mais da metade do de Nova York, chegasse a 74% e 69% do da metrópole americana, indica a pesquisa.

Excluindo-se os valores de aluguel, o custo de vida em São Paulo já é praticamente equivalente (97%) ao nova-iorquino, revelou a pesquisa.

Entre 2006 e 2011, o nível de salários de São Paulo passou de 24% para 39% do nível nova-iorquino, enquanto o do Rio aumentou de 19% para 34% na mesma comparação.

Mas este avanço não foi suficiente para evitar que as duas metrópoles brasileiras caíssem no ranking do banco do poder de compra doméstico.

Em 2006, São Paulo e Rio ocupavam, respectivamente, as posições número 42 e 52 do ranking de poder de compra nos países analisados pelo UBS.

Em 2011, as duas cidades caíram para os lugares número 54 e 58.

Custo de vida

O relatório Preços e Salários leva em conta uma cesta de 122 produtos e serviços variados, como moradia, alimentação, transporte (público e privado, incluindo manutenção de veículos), roupas, artigos domésticos e até corte de cabelo.

Os cálculos relativos a 2011 foram realizados com base nos preços de 2009, ajustados de acordo com a inflação, o crescimento do PIB e as taxa de câmbio. Um novo levantamento de preços será feito para o relatório do ano que vem.

Segundo o estudo, assim como vem ocorrendo no Brasil, a valorização das moedas nacionais frente ao dólar tem encarecido os custos de vida em várias cidades do mundo, em particular australianas e suíças.

As cidades mais caras para se viver, por ordem no ranking, são Oslo, Zurique, Genebra, Copenhague, Estocolmo, Tóquio, Sydney e Helsinque.

São Paulo e Rio ficaram, respectivamente, nas posições 19 e 26 das cidades mais caras do ranking do banco UBS.

Na semana passada, a consultoria Mercer divulgou seu ranking de custo de vida, no qual São Paulo aparece como a 10ª cidade mais cara do planeta (subindo 11 posições em um ano), enquanto o Rio ocupa o 12º lugar, subindo 17.

Dilma considera “inaceitável” divulgação de fotos de presos na Operação Voucher

Agência Estado/Foto: Reprodução Jornal a Gazeta

A presidente Dilma Rousseff considerou “inaceitável” a divulgação de fotos dos presos na Operação Voucher, realizada pela Polícia Federal, que resultou na prisão de 35 pessoas acusadas de envolvimento em irregularidades no Ministério do Turismo.

A informação foi prestada nesta sexta-feira pelo porta-voz do Planalto, Rodrigo Baena Soares. O Planalto informou ainda que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, considerou o vazamento das fotos “uma violação do princípio da dignidade do preso”.

O fato causou ainda mais irritação de aliados políticos que já haviam se considerado “expostos” pela Polícia Federal, com permissão para que fossem feitas imagens dos presos, criando mais problemas à presidente, que recebeu inúmeras queixas no Planalto.

As reclamações preocupam o governo que já enfrenta graves problemas com a base no Congresso pela demora na liberação de emendas e de nomeações para cargos. Mais cedo, o ministro da Justiça encaminhou ofício ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Cézar Peluso, pedindo que o Conselho Nacional de Justiça tome providências sobre o vazamento das fotografias dos presos na operação.

Os detidos aparecem nas imagens sem camisa e segurando placas de identificação. O Palácio do Planalto informou também que, em resposta ao ofício de Cardozo, Cézar Peluso disse ao ministro da Justiça que vai encaminhar a denúncia ao Ministério Publico, ao governo estadual e à Vara de Execuções de Macapá.

Após sequestro em ônibus, PM do Rio diz que precisa ‘diminuir erros’

BBC/Foto: Marcos de Paula

Após o sequestro de ônibus que terminou com seis pessoas feridas no Rio de Janeiro na última terça-feira, o comandante-geral da Polícia Militar do Estado, Mário Sergio Duarte, qualificou a operação como bem-sucedida, mas reconheceu que é preciso aprimorar os procedimentos policiais para “diminuir erros”.

“Eu disse que a ocorrência foi muito bem sucedida por consequência do resultado final do resgate dos reféns e da prisão dos criminosos daquela forma. Mas lamentamos profundamente pelas pessoas que foram feridas e vamos continuar buscando melhorar os nossos protocolos para diminuir os erros das ações policiais”, afirmou em coletiva de imprensa.

A polícia prendeu três dos quatro assaltantes que sequestraram um ônibus da viação Jurema nesta terça-feira, no principal acesso ao Centro do Rio, a Avenida Presidente Vargas.

Durante mais de uma hora, 20 passageiros foram mantidos reféns, depois que policiais tentaram conter uma tentativa de assalto, iniciada por volta das 20h. A operação terminou às 21h30, depois da rendição dos dois assaltantes que ainda estavam no ônibus.

Na manhã desta quarta-feira, peritos do Instituto de Criminalística Carlos Eboli (ICCE) fizeram a perícia do veículo e já constataram que pelo menos 16 tiros atingiram o ônibus.

A análise inicial indicou que vários tiros foram dados de fora para dentro do veículo, na altura dos pneus. Para eles, isso indica a intenção de parar o ônibus.

O comandante Mário Sérgio Duarte afirmou que policiais quebraram o protocolo ao atirar contra um ônibus com reféns. Porém, a ação permitiu que o ônibus fosse interceptado pela polícia.

“Nós sabemos que não podemos atirar, salvo em legítima defesa. A rigor, aqueles tiros não deveriam ter acontecido. Os tiros poderiam ter saído mais alto do que o esperado. Mas foi isso que acabou promovendo a parada do ônibus”.

Estado grave

Entre os seis feridos estão três passageiros, uma pessoa que estava em outro carro, um policial e um dos assaltantes. Uma mulher de 46 anos que foi baleada no tórax e sofreu fraturas na costela e na clavícula está internada em estado grave, no Hospital Souza Aguiar.

Em relato ao jornal Extra, uma das passageiras afirmou que os assaltantes embarcaram na altura da Central do Brasil, estação de trem na Avenida Presidente Vargas, e “sentaram como passageiros normais”.

Desconfiado de que assaltantes haviam entrado no ônibus, o motorista resolveu descer do veículo para falar com policiais no ponto seguinte, em frente à Universidade Estácio de Sá.

Um PM teria então entrado no ônibus e pedido para os passageiros colocarem as mãos no banco da frente, porque faria uma revista de rotina.

“Todo mundo obedeceu. Mas aí o assaltante que estava na primeira fileira rendeu ele (o PM), tirou o pino da granada e jogou (o pino) no policial. Ele gritava: ‘Vou explodir! Vou explodir todo mundo!’”, disse a passageira, uma secretária de 23 anos que saiu ilesa do sequestro.

Policiais atiraram contra os pneus do ônibus para impedir a fuga dos assaltantes com os reféns e cercaram o veículo na altura do Sambódromo. A via permaneceu fechada enquanto equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) tentavam negociar a rendição dos assaltantes.

Dois deles teriam conseguido fugir do ônibus logo no início do confronto, um deles tendo uma passageira como refém. Os dois que continuaram no veículo se renderam às 21h30, quando terminou a operação.

O episódio lembra o sequestro do ônibus 174, em 2000, que terminou com as mortes da professora Geisa Firmo Gonçalves, moradora da Rocinha, e do sequestrador, Sandro do Nascimento, sobrevivente da chacina da Candelária.

Chega a 35 o número de presos envolvidos em esquema no Ministério do Turismo

UOL/Foto: Marcelo Camargo

Frederico Costa, secretário-executivo do Ministério do Turismo, embarca de São Paulo para o Amapá

A Polícia Federal confirmou na noite desta terça-feira (9) que chega a 35 o número de pessoas presas durante a Operação Voucher, que desmantelou um esquema de irregularidade no Ministério do Turismo.

A PF não informou quem são os dois novos presos, nem se eles são servidores da pasta. Mais cedo, outras 33 pessoas ligadas direta ou indiretamente ao ministério já tinham sido detidas –há, contudo, 38 mandados de prisão expedidos (19 de prisão preventiva e 19 de prisão temporária).

Entre os detidos estão o secretário-executivo e número dois na hierarquia da pasta, Frederico Silva da Costa, além do ex-presidente da Embratur, Mário Moysés, o secretário nacional de Desenvolvimento de Programas de Turismo, Colbert Martins da Silva Filho, e diretores e funcionários do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) e empresários. Só do ministério, informa a PF, são seis presos.

O diretor-executivo da Polícia Federal, Paulo de Tarso Teixeira, afirmou nesta terça-feira (9) que o esquema de corrupção que envolvia o Ministério do Turismo e a associação sem fins lucrativos Ibrasi desviou cerca de R$ 3 milhões dos R$ 4,45 milhões destinados para um convênio firmado entre ambos com a finalidade de prestar serviços de capacitação aos servidores da pasta.

O Ibrasi, conforme as investigações, não teria capacidade técnica para o trabalho.

“A estimativa é de que um terço [do valor do convênio] teria sido aplicado. O restante teria sido desviado, mas isso só vai ser comprovado após a análise que será feita”, afirmou Teixeira durante entrevista coletiva na sede da Polícia Federal em Brasília.

De acordo com o diretor, “existem provas robustas” de que servidores e empresários seriam os beneficiados pelo desvio dos recursos públicos. “O que a gente sabe é que o dinheiro chegou às mãos deles através deste esquema [que usaria empresas de fachada].”

A operação foi realizada nos Estados de São Paulo, Amapá e no Distrito Federal. Conforme a PF, os suspeitos utilizavam empresas de fachada para desviar recursos públicos destinados ao convênio firmado em 2009 entre o ministério e o Ibrasi para capacitação de cerca de 1.900 funcionários públicos.

As investigações corriam desde abril e devem prosseguir ainda por mais 15 a 30 dias. Na casa de um dos suspeitos, em São Paulo, também sede do Ibrasi, a polícia apreendeu R$ 610 mil em espécie.

Bovespa volta a subir; para analistas, ações baratas atraem investidores

BBC/Foto: Google

As bolsas dos Estados Unidos, da Europa e do Brasil se recuperaram nesta terça-feira da forte turbulência do dia anterior, que havia levado a Bovespa à sua maior queda desde a crise de 2008. Segundo analistas ouvidos pela BBC Brasil, as ações na bolsa paulista estão com valores baixos, o que atrai investidores.

O índice Ibovespa fechou a terça-feira em alta de 5,1%. Por sua vez, o dólar comercial caiu, cotado a R$ 1,59.

Já o índice Dow Jones da bolsa de Nova York também se recuperou, com alta de 3,1%, em um dia de fortes oscilações.

A bolsa chegou a operar no vermelho após às 15h, refletindo o pessimismo da ata divulgada pelo Federal Reserve, o banco central americano, para quem os “os riscos negativos ao cenário econômico aumentaram”.

“A notícia do Fed talvez tenha colocado água fria na expectativa de uma injeção de dinheiro. Mas esses altos e baixos ainda vão acontecer várias vezes”, diz o analista Alcides Leite, da Trevisan Escola de Negócios.

“A recuperação na Bovespa, assim como em Nova York, acaba sendo um movimento normal, porque os papéis estão muito baratos e são um bom investimento.”

A Bovespa chegou a cair após a divulgação da ata do Fed, mas se recuperou minutos depois. Nessa segunda-feira, a bolsa de São Paulo fechou em baixa de 8,08%, o pior resultado desde outubro de 2008, auge da crise financeira mundial.

Para o analista Adriano Gomes, professor da ESPM, o preço baixo das ações na Bovespa após a queda de segunda-feira explicam a forte recuperação desta terça.

“As ações estão com um valor baixíssimo no Brasil. Chegamos ao piso, não tem como descer mais. Com a perspectiva de crise nos Estados Unidos e na Europa, é um ótimo negócio comprar ações no Brasil”, diz Gomes.

Na Europa, os mercados também deram sinais de recuperação. Em Londres, a bolsa fechou em alta de 1,89% e em Paris, de 1,63%. O índice DAX, de Frankfurt, teve baixa de 0,1%, muito menor que a queda da segunda-feira, que foi de 5,02%.

A recuperação nos mercados europeus se deu em um contexto de expectativa ante à divulgação da ata do Fed (divulgada apenas após o fechamento das bolsas da Europa). Esperava-se um anúncio de intervenção no mercado, que acabou não ocorrendo.

Pessimismo

A ata do Fed não trouxe as medidas esperadas, apesar de reafirmar a atual política monetária de juros baixos dos Estados Unidos. Segundo o documento, a taxa deve ficar entre 0 e 0,25% até o meio de 2013.

O Fed diz ainda que o “crescimento econômico até o momento tem sido mais lento que o esperado” pela instituição.

“O comitê (do Fed) espera um ritmo mais lento de recuperação nos próximos trimestres”, diz a ata.

Para Leite, da Trevisan, o período de incerteza deverá durar “um ano ou dois”. Ele diz que a bolsa paulista deve “oscilar ao sabor das notícias”, apesar dos bons indicadores da economia brasileira.

“A Bovespa segue o movimento das bolsas internacionais, tanto porque nós temos uma grande concentração de commodities e de minério listados na bolsa. Além disso, é possível que outras agências rebaixem os títulos americanos nos próximos meses. Também é possível que rebaixem os títulos do Reino Unido e da França”, diz.

Para Gomes, da ESPM, o que ocorre é uma “reação estúpida” dos mercados.

“Nem a Espanha, nem a Itália e muito menos os Estados Unidos vão quebrar. Tanto que o dólar ganhou valor nos últimos dias, o que mostra que os Estados Unidos ainda representam maior segurança para os investimentos”, diz, criticando o rebaixamento dos títulos americanos pela agência Standard & Poor’s.

Na última sexta-feira, a agência rebaixou a nota da dívida dos Estados Unidos de “AAA” para “AA+”, um dos motivos do mau humor nos mercados nesta semana.

Dívida

A avaliação negativa ocorreu dias após os Estados Unidos chegarem próximos de um calote inédito, devido a um impasse no Congresso para a aprovação da elevação no teto da dívida do país.

Na Europa, o temor é que a crise da dívida soberana, que já atingiu Grécia, Portugal e Irlanda (países que receberam ajuda financeira), chegue à Itália e à Espanha, cujo custo da dívida pública também aumentou na última semana.

No domingo, o Banco Central Europeu anunciou que irá comprar títulos espanhóis e italianos para deter a crise na zona do euro.

Para Gomes e Leite, a principal diferença entre a turbulência vista hoje nas bolsas e a de 2008 é justamente o endividamento dos Estados.

O endividamento, segundo eles, também é consequência dos pacotes de resgate aos bancos em 2008, que tiveram de ser socorridos pelos governos.

Governo planeja dar benefícios fiscais a alimentos saudáveis

BBC/Foto: Google

Em resposta à alta nos índices de obesidade no Brasil, o governo pretende beneficiar a produção e venda de alimentos saudáveis, assim como limitar o nível de açúcar em comidas industrializadas, de acordo com um projeto ao qual a BBC Brasil teve acesso.

O Plano para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis do Ministério da Saúde visa reduzir a ocorrência de doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas, câncer e diabetes.

A previsão é de que o programa, atualmente em fase de consultas, entre em funcionamento no mês de maio.

Estão previstas ações de combate aos chamados fatores de risco ligados a essas doenças, como tabagismo, consumo de álcool, sedentarismo, alimentação não saudável e obesidade – esta, objeto de outro plano, a ser lançado em outubro.

As medidas incluem aumentar a oferta de alimentos saudáveis nos mercados, para frear a substituição de alimentos in natura (frutas e hortaliças) por comidas industrializadas nas despensas dos brasileiros, tendência verificada em pesquisas recentes.

O maior consumo de alimentos processados, não raro ricos em calorias e gordura, é apontado por especialistas como uma das principais razões por trás do crescimento nos índices de obesidade no país.

O estímulo aos alimentos in natura ocorreria por duas vias: parcerias com agricultores familiares e pequenas associações de produtores e benefícios fiscais, como menos impostos e taxas ou até a concessão de subsídios que reduzam seu preço nas prateleiras.

Sobretaxa

A coordenadora de Doenças Não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta, disse à BBC Brasil que é favorável ainda à sobretaxação de alimentos obesogênicos (processados e com alta densidade de calorias).

“A questão ainda será levada à discussão com outros setores”, afirma.

O programa também visa garantir o fornecimento de comidas saudáveis às escolas. Hoje, uma portaria do Ministério da Educação determina que a merenda escolar contenha ao menos 30% de alimentos frescos.

Segundo Malta, no entanto, muitas escolas distantes de regiões produtoras de hortaliças enfrentam dificuldades para cumprir a regra.

Outra ação prevista no plano busca baixar a quantidade de sal e açúcar em alimentos processados. Em abril, o governo fechou um acordo com a indústria alimentícia para limitar a quantia de sal em produtos como pães e macarrão instantâneo.

A intenção, diz Malta, é reduzir nos próximos dez anos o consumo diário per capita de sal, hoje em 12 gramas, para 5 gramas, valor considerado ideal.

O próximo passo é negociar com a indústria alimentícia a redução na quantia de açúcar. Malta lembra que, por meio de acordo semelhante, conseguiu-se eliminar de alimentos fabricados no Brasil a gordura trans, prejudicial à saúde.

Atividades físicas

Além das medidas de incentivo à alimentação saudável, o programa relaciona uma série de ações, muitas das quais já anunciadas, destinadas a estimular a prática de atividades físicas.

Uma delas, o Programa Academia da Saúde, prevê repasse a municípios de verbas federais para a construção de áreas públicas propícias à realização de exercícios.

Outra ação busca facilitar a reforma de escolas para viabilizar a prática de aulas regulares de educação física e atividades esportivas fora do horário escolar.

O governo também pretende estimular obras de iluminação pública, calçamento e segurança no trânsito, para incentivar o brasileiro a caminhar mais pelas ruas, e promover campanhas que incentivem a prática esportiva e hábitos saudáveis, valendo-se da realização, no Brasil, da Copa do Mundo de 2014 e da Olímpiada de 2016.

Celso Amorim toma posse no Ministério da Defesa nesta segunda-feira

Agência Estado/Foto: Google

O ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, toma posse amanhã à frente do Ministério da Defesa em meio a uma insatisfação das Forças Armadas com o orçamento destinado à área.

Neste domingo, em Brasília, um grupo de esposas de militares e integrantes da reserva protestou durante solenidade da troca da bandeira nacional na praça dos Três Poderes. Eles pediram melhores salários e criticaram o que chamam de sucateamento das Forças.

Os problemas orçamentários da Defesa, que sofreu pesado corte no início do ano por ordem da presidente Dilma Rousseff, foram apontados como motivo de insatisfação de Nelson Jobim, que acabou deixando o cargo depois de uma sequência de declarações polêmicas.

As reivindicações salariais são mais fortes na base da carreira. Taifeiros, soldados, cabos e sargentos, segundo os familiares, recebem soldo incompatível com o trabalho que exercem quando se leva em comparação os rendimentos de profissionais da polícia militar e bombeiros do Distrito Federal.

“O salário nosso é terrível.”, resume Genilvaldo da Silva, presidente da Associação dos Militares da Ativa, da Reserva e Pensionistas (Amarp).

Quinze mil famílias perderam benefício do Bolsa Família

Agência Estado/Foto: Divulgação

Quinze mil famílias perderam o benefício do programa Bolsa Família em julho porque seus filhos tiveram mais faltas do que o permitido na escola. O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) cancelou ainda outros 5,3 mil benefícios sobre as parcelas de R$ 38 ou R$ 76 vinculadas aos jovens de 16 e 17 anos.

Crianças e adolescentes dos 6 aos 15 anos precisam manter frequência mínima de 85% nas aulas do bimestre de abril e maio para que o benefício seja repassado às famílias. Para os jovens de 16 e 17 anos, a frequência mínima é de 75%.

Os efeitos nos benefícios financeiros das famílias que não cumpriram as contrapartidas são gradativos. Na primeira vez em que é detectado descumprimento, as famílias recebem uma advertência. Nessa situação se encontram 155.748 famílias. Na segunda vez que os índices de frequência ficarem abaixo do exigido num período de 18 meses, o benefício é bloqueado. Nova reincidência leva à suspensão no recebimento do valor por 60 dias, seguida de uma segunda suspensão; caso haja cinco descumprimentos, o Bolsa Família é cancelado.

O pagamento de 56.084 benefícios está suspenso por 60 dias. Outros 70.575 foram bloqueados em julho, mas, como se trata do segundo descumprimento, as famílias voltam a receber os valores retroativos em agosto. Pela segunda vez 22 mil famílias tiveram recursos do programa suspensos e correm o risco de cancelamento com o resultado do próximo período de monitoramento. Para evitar a perda do benefício, é necessário que os contemplados sejam incluídos no acompanhamento familiar pela área de assistência social em parceria com a educação.

Montadora chinesa JAC terá fábrica no Brasil

Reuters/Foto: Divulgação

O grupo brasileiro SHC e a montadora chinesa JAC anunciaram nesta segunda-feira (1), investimento de 600 milhões de dólares no Brasil para a construção de uma fábrica no país.

A unidade terá a maior parte dos investimentos vindo do grupo SHC, que afirma ser o maior distribuidor de veículos do Brasil.

A localização e a divisão dos recursos do empreendimento não foram divulgados, mas o empresário Sergio Habib, do SHC, afirmou que a maior parcela dos recursos será brasileira e que o grupo negocia atualmente com dois Estados do país.

Sergio Habib

Habib comentou que a escolha do local deve ocorrer dentro de quatro a cinco meses e que a construção da fábrica deve começar em 2012. A meta é que o empreendimento seja concluído em 2014.

A unidade produtiva da JAC no Brasil marcará a entrada de Habib na indústria de produção de veículos, depois que o empresário iniciou a distribuição da Citroen no Brasil na década dos anos 1990.

Atualmente, o grupo SHC possui 89 concessionárias no Brasil, das quais 40 são da JAC, número que deve crescer para 200 em 2014.

“O mercado brasileiro vai dobrar nos próximos anos, vai chegar em vendas de 7 milhões de veículos. Portanto, tem muito espaço a ser explorado”, disse Habib, comentando a chegada de uma série de marcas ao país nos últimos anos, entre as quais a também chinesa Chery –que também irá construir uma fábrica no país.

Habib afirmou que espera que a participação de mercado da JAC no Brasil cresça de 1 por cento para 3 por cento em 2013.

Até agora, a JAC tem vendido carros no Brasil por regime de importação da China e, neste ano, a expectativa de investimento apenas em marketing é de 140 milhões de reais, disse ele.

“Quando a gente importa um carro, a gente importa muito ar junto, ocupa muito volume. Vamos perder uma parte da vantagem competitiva que a produção na China possibilita, mas vamos economizar 50 por cento do custo de importação”, disse Habib, afirmando que, atualmente, o frete da China encarece o preço do carro da marca em 15 por cento, sobre os quais há ainda o imposto de importação de 35 por cento.

Habib afirmou que, entre seus planos para a JAC no Brasil, está usar a fábrica também para exportações para Argentina e México. A unidade produtiva vai fabricar uma linha de veículos desenvolvida pelo grupo SHC, disse Habib.

Enquanto a fábrica não fica pronta, a JAC vai lançar no Brasil mais três modelos, que vão do subcompacto J2 à minivan J6. O executivo comentou que o foco do grupo com a fábrica é produzir veículos com preço abaixo de 40 mil reais, um mercado que representa vendas de 2 milhões de unidades por ano.

NOVAS MONTADORAS

Habib, que investiu cerca de 380 milhões de reais no início das vendas da marca JAC no país, afirmou em entrevista à Reuters em março que a instalação de uma fábrica no Brasil só poderia ser discutida a partir do momento em que a montadora registrasse vendas de 100 mil carros por ano.

A JAC começou a vender no Brasil em março, com abertura simultânea de 46 concessionárias e expectativa de chegar a fatia de mercado de cerca de 3 por cento. Até junho, a marca acumula vendas de 8.565 automóveis, uma participação de 0,67 por cento, segundo a associação de concessionárias, Fenabrave.

A rival chinesa Chery lançou em 20 de julho obras para a construção de sua fábrica no país, em investimento de 400 milhões de dólares.

As vendas de veículos no Brasil seguem fortes no ano, acumulando alta de 10 por cento no primeiro semestre sobre o mesmo período de 2010, para o recorde de 1,74 milhão de unidades. O ritmo até junho é duas vezes maior que a expectativa da indústria, de crescimento de 5 por cento em 2011.

Além da JAC e da Chery, uma série de outras montadoras anunciaram novas fábricas e ampliações de suas estruturas produtivas no Brasil, um dos maiores mercados de automóveis do mundo.

Motos serão obrigadas a de ter antena contra cerol

Agência Estado/Foto: Divulgação

Medida entra em vigor na quinta-feira apenas para motoboys e mototaxistas, mas Estados já pedem a ampliação do prazo

A partir da próxima quinta-feira, motofretistas e mototaxistas terão de usar dispositivos protetores de pernas (os populares “mata-cachorro”) e antenas “aparadoras de linha” para evitar que pipas com cerol provoquem acidentes, como o que matou anteontem um policial militar em São Paulo. A obrigatoriedade do uso de equipamentos de segurança foi determinada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). No entanto, Estados já estão pedindo o adiamento deste prazo.

Em junho e agosto do ano passado, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou duas resoluções para disciplinar os requisitos para um profissional atuar como motofretistas e os dispositivos de segurança obrigatórios. Elas entrariam em vigor em um ano, prazo no qual os Estados deveriam se ajustar. O órgão nacional agora afirma que os Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) estão solicitando mais tempo, pois não conseguiram se adequar às novas regras, principalmente à que determina cursos de formação para os condutores.

Moto Utilizada pelo policial morto

A legislação passou a prever um curso com carga horária de 30 horas. Os candidatos terão aulas, por exemplo, de ética, cidadania e gestão de riscos de acidentes (guiar com chuva, posicionamento na via). A decisão sobre a data será anunciada na próxima semana.

Morte. O caso do soldado da PM aconteceu anteontem na Penha, zona leste da capital. De folga, ele passeava de moto quando foi atingido por uma linha com cerol. O policial foi levado ao Hospital Ermelino Matarazzo, também na zona leste, mas não resistiu e morreu horas depois.

Filha de engenheiro morto diz não acreditar em hipotermia

BBC/Foto: BBC

A filha de um dos engenheiros brasileiros encontrados mortos no Peru nesta quarta-feira descarta a versão de que eles tenham morrido por hipotermia.

Para Júlia Torella Guedes, filha de Mário Gramani Guedes, o pai e o colega, Mário Augusto Soares Bittencourt, podem ter sido vítimas de um conflito local envolvendo camponeses.

Os corpos de Guedes e Bittencourt foram encontrados em uma mata próximo à cidade de Bagua Grande, na Amazônia peruana.

Segundo a polícia peruana, os corpos foram encontrados sem sinais de violência, o que faz os investigadores locais trabalharem com a hipótese de morte por hipotermia, causada pelo frio ou pela altitude, de acordo com o Itamaraty.

Júlia Torella Guedes, no entanto, disse à BBC Brasil que a família não acredita nesta versão.

“As duas famílias têm certeza de que eles não morreram por hipotermia. Os dois eram muito experientes e não era a primeira vez que faziam serviço na mata. Além de não serem amadores, não fazia frio, porque a região é perto da linha do Equador. Nem a empresa (Leme Engenharia) acredita”, diz.

A Leme Engenharia preferiu não se pronunciar sobre o tema, argumentando que aguarda o resultado das investigações.

Júlia afirma que os dois estavam em uma área de conflito, onde as comunidades locais se opõem à construção da hidrelétrica, para a qual ambos faziam estudos prévios.

“A gente acha que eles foram expostos a uma situação de perigo, que não cabia a eles. Caíram de paraquedas. Não acho que a empresa daqui mandaria dois funcionários antigos para uma área perigosa, mas eles prestavam serviços para uma empresa peruana”, diz Júlia.

Imprensa peruana

A imprensa peruana menciona a possível morte por hipotermia, mas também levanta a hipótese de que os dois brasileiros tenham sido vítimas de conflito com camponeses locais, contrários à obra.

Segundo o jornal El Comércio, circulou na região a notícia “de que eles haviam sido assassinados por camponeses”. “Nas consultas feitas meses atrás, estes não estavam de acordo com a hidrelétrica”, diz o diário.

O site da rádio peruana RPP e o jornal Correo também citam a hipótese de assassinato.

O Itamaraty deslocou um diplomata para acompanhar o caso.

Os corpos dos engenheiros passaram por autópsia, mas os resultados ainda não foram divulgados.

A Leme Engenharia disse que está prestando todo o apoio material e psicológico à família das vítimas.

Dólar tem maior alta em mais de 1 ano após medidas

Reuters/Foto: AFP

Medidas mais duras do governo para frear a queda do dólar surtiram efeito nesta quarta-feira, intensificando um movimento global de recuperação da moeda e interrompendo uma série de seis baixas seguidas.

O dólar à vista fechou em alta de 1,35 por cento, a 1,5595 real para venda. É a maior valorização diária desde 29 de junho de 2010.

A alta tirava o dólar das mínimas em mais de 12 anos. Na terça, a taxa de câmbio fechou a 1,5388 real.

A valorização do dólar foi mais intensa no Brasil do que em outros países. Em relação a uma cesta com as principais moedas, o dólar subia 0,81 por cento, devolvendo parte da queda dos últimos dias mas ainda mostrando volatilidade por causa da preocupação com a dívida norte-americana.

O mercado local reagiu à imposição de um imposto de 1 por cento sobre operações com derivativos cambiais que resultem em um aumento das posições líquidas vendidas. Uma fonte do governo já havia mencionado à Reuters há duas semanas que uma ação nos derivativos cambiais estava sendo preparada.

“As medidas cambiais anunciadas pelo governo devem, no curtíssimo prazo, reduzir drasticamente a componente especulativa da apreciação do real frente ao dólar”, afirmou Luciano Rostagno, estrategista-chefe da CM Capital Markets.

O novo imposto sobre derivativos afeta principalmente as posições vendidas dos estrangeiros na BM&FBovespa, que chegaram ao recorde de quase 25 bilhões de dólares em contratos futuros e de cupom cambial (DDI). Essas posições podem servir tanto como uma proteção quanto como uma aposta na queda do dólar.

A liquidez no mercado de câmbio diminuiu, especialmente no começo do pregão, enquanto os operadores analisavam as medidas. Mas, no fim do dia, o volume de contratos negociados no mercado futuro já estava dentro da média recente, com 321 mil papéis negociados no vencimento mais curto até as 16h40.

A maioria dos comentários convergiu no sentido de que as operações de câmbio ficarão mais caras no Brasil, incentivando negócios no mercado de balcão no exterior.

“A medida provavelmente vai tirar liquidez da bolsa local, com uma mudança provável para o mercado de NDF (contratos a termo sem entrega física, mais negociados no exterior) e para outras bolsas, como a CME (de Chicago)”, escreveu o analista Paulo Leme, do Goldman Sachs, ecoando opinião do presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, em entrevista à Reuters há duas semanas.

“Na mesma linha, a diferença entre o mercado local e o mercado ‘offshore’ deve se ampliar”, afirmou Leme.

A medida foi considerada pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) como a “mais eficaz” já tomada até agora pelo governo para frear a queda do dólar e, para muitos analistas, a mera possibilidade de que o governo adote novas restrições deve ser suficiente para sustentar a moeda acima de 1,55 dólar nas próximas semanas.

“O anúncio de hoje indica uma intolerância maior do governo com o nível do real e pode aumentar a preocupação dos investidores a respeito de controles futuros”, afirmou Henrique Caldeira, analista do Barclays.

Alguns, no entanto, ainda trabalham com a previsão de que o real continuará a se valorizar. “Medidas desse tipo não devem afetar o equilíbrio de longo prazo da taxa de câmbio real”, afirmou Leme, do Goldman Sachs.

A taxa Ptax, calculada pelo BC e usada como referência para derivativos e contratos futuros, teve alta de 1,92 por cento, a 1,5639 real para venda.

O BC fez um leilão de swap cambial reverso, mas não efetuou a rolagem de todos os contratos em vencimento na virada do mês. O lote que expira no fim de julho é de cerca de 1,3 bilhão de dólares, mas o BC vendeu apenas 499 milhões de dólares.

O BC fez ainda dois leilões de compra de dólares no mercado à vista. No Rio de Janeiro, o presidente da instituição, Alexandre Tombini, disse que a política de atuação do BC não muda após o novo imposto sobre derivativos.

Petrobras posterga refinaria e anuncia venda de ativos

Reuters/Foto: Google

A Petrobras vai atrasar a construção de uma grande refinaria no Nordeste e pretende vender participações em campos de petróleo e em empresas menos importantes, buscando garantir o financiamento de seu novo plano de investimentos.

O presidente-executivo da petroleira, José Sergio Gabrielli, disse que a venda de fatias em áreas de petróleo faz parte do programa de desinvestimento de 13,6 bilhões de dólares que a companhia anunciou na última sexta-feira, dentro de seu novo pacote de projetos para o período de 2011 a 2015.

Segundo Gabrielli, participações nos blocos poderão ser vendidas para os próprios parceiros nos projetos, que assim elevariam suas fatias nos consórcios. Mas ele descartou negociaçõs no pré-sal.

“Começa já (o processo de venda de ativos)”, afirmou ele a jornalistas.

“Agora, ninguém que quer vender ativos vai anunciar antes de ter um projeto completamente pronto. Já temos equipes trabalhando e contatos sendo iniciados. Portanto, já começamos, mas não vou colocar prazos”, acrescentou.

Ele preferiu não dar muitos detalhes sobre o programa de desinvestimento, mas afirmou que a companhia já está avaliando como ele será executado e que deverão ocorrer vendas de ativos principalmente no exterior.

“Nosso valor total de desinvestimento avaliado para esses projetos é mais do que 13,7 bilhões de dólares, mas estamos com essa meta de atingir 13,6 bilhões. Não haverá venda de ativos do pré-sal. Tirando a parte financeira (questão da otimização do capital de giro), a maior parte é no exterior. Não podemos falar a região geográfica, mas estamos presentes em 27 países”.

O diretor da Área Internacional da Petrobras, Jorge Zelada, minimizou o movimento da companhia.

“A maior parte dos desinvestimentos serão vendas parciais de participação. É a gestão de portfólio que na realidade sempre foi feita”, afirmou.

REFINARIA NO MARANHÃO

No caso da área de refino, a estatal decidiu postergar a entrada em operação da fase 1 da refinaria Premium do Maranhão de 2014 para 2016. Assim, uma boa parte dos gastos no projeto sai do plano atual, que vai até 2015, reduzindo o valor global do pacote.

“A Premium 1 foi feita a revisão… E a proposta que a diretoria fez foi não ter nenhum corte e sim postergação… Teve postergação dentro da avaliação maior dos objetivos da companhia, foi apenas uma postergação de prazo”, disse o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, durante o evento.

A Petrobras anunciou na sexta-feira um plano de investimentos de cinco anos no valor total de 224,7 bilhões de dólares, praticamente estável ante o plano anterior.

A estatal acabou reduzindo o valor global do programa após pedidos do governo, que procura diminuir os gastos da estatal buscando não aquecer demasiadamente o setor e evitar pressões inflacionárias.

Perto do fechamento da Bovespa, as ações da Petrobras operavam em alta de mais de 2 por cento, enquanto o índice principal da bolsa perdia meio por cento.

GERAÇÃO DE CAIXA MENOR

A empresa prevê gerar de 125 a 148,9 bilhões de caixa próprio no período 2011-2015, contra no máximo 155 bilhões no plano anterior, de acordo com o novo programa de investimento.

Questionado durante a entrevista, Gabrielli disse que vários fatores explicam a redução no teto da geração de caixa prevista.

“O primeiro elemento é a curva de produção. Ela estará mais apertada no primeiro período; segundo é que os custos operacionais aumentaram, como aumentou na indústria toda; terceiro elemento é o câmbio, o real se apreciou, por isso tem o efeito do câmbio sobre as nossas compras em reais”.

E o diretor financeiro, Almir Barbassa, acrescentou que, na medida em que a geração de caixa será menor, “vamos ter que trabalhar com recursos de terceiros e pagar um pouco mais de juros”.

A empresa prevê captar entre 91,4 e 67 bilhões de dólares no período.

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Gabrielli negou que tenha pedido durante as negociações com o governo uma elevação dos preços dos combustíveis.

“Não (pedi aumento). Nós temos a mesma política de preços de sempre. Observamos o preço de longo prazo. Esse preço tem volatilidade e nós acompanhamos. À medida que se fixa um novo patamar, nós atualizamos”, afirmou.

“Isso foi criação da imprensa. A briga (com o Planalto) foi criação da imprensa. De fato houve uma criação e vocês foram engambelados por fontes que queriam fazer isso e ficavam no anonimato”, acrescentou o executivo.

ANTT planeja para fevereiro primeira fase de leilão do trem-bala

Reuters/Foto: ChinaFotoPress

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) pretende realizar em fevereiro do ano que vem a primeira etapa do leilão de concessão do projeto do trem-bala que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, disse nessa quarta-feira o diretor-geral da agência, Bernardo Figueiredo.

A primeira fase do plano vai escolher o operador do serviço e o fornecedor da tecnologia para o empreendimento.

“O edital da primeira fase deve sair em outubro e o leilão deve ser em fevereiro. Esse é o prazo com que trabalhamos hoje”, disse Figueiredo.

Segundo ele, esse intervalo entre o edital e o leilão servirá para que os investidores interessados em disputar o leilão concluam o projeto básico do trem.

Esse primeiro leilão deverá contar com empresas internacionais, detentoras de tecnologia, interessadas em atuar como futuras operadoras do serviço. Entre quatro ou cinco grupos poderão se apresentar, disse Figueiredo, sem citar nomes dos interessados.

Desde o início das dicussões, empresas de países como Japão, Coréia do Sul, Alemanha, França e Espanha têm manifestado interesse no trem-bala brasileiro.

“Estamos agendando reuniões com todos os potenciais investidores na operação e tecnologia, que já são conhecidos. Eles querem entender melhor o novo modelo e contribuir para aperfeiçoamentos. Faremos isso até a metade de agosto”, disse.

LINHA FÉRREA

O edital da segunda etapa deve sair no fim de 2012, de acordo com Figueiredo. Esta fase escolherá o consórcio que será responsável pela infraestrutura, ou seja, que cuidará da contratação de construtoras que vão construir a linha férrea do trem-bala.

A obra será contratada a partir do projeto executivo a ser elaborado pelo vencedor da primeira etapa, com um valor máximo estipulado para a obra. Segundo o diretor-geral da ANTT, o vencedor da segunda etapa será a empresa que se propuser a entregar a infraestrutura e receber, do operador, o menor arrendamento, uma espécie de aluguel pelo uso da linha.

O governo, segundo Figueiredo, vai agir como um mediador nesse pagamento, recebendo do operador e repassando para o concessionário da infraestrutura.

Se a demanda não for suficiente para que o operador possa pagar o valor combinado, o governo complementa o pagamento ao outro concessionário. Mas, se a demanda exceder a expectativa a ser fixada, o governo fica com a diferença.

Bernardo não classifica esse eventual complemento como um subsídio porque, segundo ele, a demanda deve dar conta do pagamento do arrendamento. O critério para escolha do operador, inclusive, será o de quem apresentar a melhor relação entre o valor da obra e o valor a ser pago como arrendamento.

O governo, porém, retirou do projeto a cláusula do modelo anterior, que previa que os juros do empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderiam ser reduzido se a demanda do projeto for frustrada.

Desemprego em junho fica em 6,2%, menor taxa para o mês desde 2002, diz IBGE

BBC/Foto: Google

O desemprego em junho deste ano ficou em 6,2%, o menor índice para o mês desde o início da série medida pelo IBGE, em março de 2002, segundo informou o instituto nesta terça-feira.

A taxa de junho não apresentou variação significativa em relação a maio, quando ficou em 6,4%, mas apresentou redução de 0,8 ponto percentual na comparação com junho de 2010, quando foi de 7%.

Segundo o IBGE, a população desocupada nas seis regiões metropolitanas pesquisadas (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre) ficou em 1,5 milhão de pessoas em junho, praticamente idêntica à registrada no mês anterior.

Frente a junho do ano passado, a população desocupada apresentou queda de 10,4%, com 172 mil pessoas a menos à procura de trabalho.

Já a população ocupada de junho (22,4 milhões) não variou frente a maio, mas cresceu 2,3% na comparação com o mesmo mês do ano passado, com 512 mil ocupados a mais.

O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado ficou em 10,8 milhões em junho, sem variação significativa em relação a maio, mas com alta de 6,2% na comparação com junho de 2010, com 634 mil postos com carteira assinada a mais.

Nas regiões metropolitanas pesquisadas, a taxa de desemprego não teve variações significativas na comparação com maio. Frente a junho de 2010, houve quedas em Recife (2,5 pontos percentuais), Salvador (1,8 ponto) e em São Paulo (0,8 ponto).

Empregos formais

Por sua vez, o Ministério do Trabalho e Emprego informou nesta terça-feira que junho teve a criação de 215.393 postos com carteira assinada, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O resultado representa alta de 0,58% em relação ao estoque de trabalhadores com carteira assinada registrado até então, além de ser o segundo melhor na série histórica para o mês, atrás de junho de 2008 (com 309.442).

O ministério afirma que, entre janeiro e junho, foram gerados 1.414.660 empregos formais, o terceiro melhor resultado para o período na série de saldos semestrais.

O número de admissões e desligamentos em junho foi recorde para o mês, com 1.781.817 trabalhadores admitidos e 1.566.424 desligados.

O desempenho do mês passado foi resultado da expansão de todos os setores da economia. Em termos absolutos, o principal resultado ocorreu na Agricultura, com 75.227 novos postos e crescimento de 4,60%.

Entre as regiões, o melhor desempenho foi apresentado no Sudeste, com a abertura de 124.292 empregos formais, seguido do Nordeste, com 39.953.

Abilio Diniz desiste de fusão com Carrefour no Brasil

Reuters/Foto: Nacho Doce

O empresário Abilio Diniz desistiu nesta terça-feira do plano de união do Pão de Açúcar e do Carrefour no Brasil, anunciado há duas semanas.

A decisão ocorre no mesmo dia em que o sócio da varejista brasileira, o Casino, se posicionou oficialmente contra o negócio e que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) cancelou seu apoio à operação.

O francês Casino, que vinha descrevendo a proposta de fusão como “hostil e ilegal”, disse pela manhã que seu Conselho de Administração rejeitou por unanimidade a tentativa de aliança do Pão de Açúcar com seu principal rival doméstico Carrefour.

Em nota, a Península Participações, que representa os interesses da família Diniz, disse à noite reconhecer “que, nas presentes condições, não é factível prosseguir” com a atual proposta de fusão.

Abilio Diniz, que atualmente divide o controle do Pão de Açúcar com o Casino por meio da holding Wilkes, esteve na reunião do Conselho do sócio francês em Paris, mas não participou da votação.

Antes da Península se pronunciar, o BNDES informou que “cancelou o enquadramento” do financiamento à operação de aliança de Pão de Açúcar e Carrefour no país, que criaria uma gigante do varejo nacional com cerca de 27 por cento de market share.

Em comunicado separado, a Gama –fundo criado pelo BTG e que apresentou a proposta de associação– disse que a manifestação do Conselho do Casino “nos leva a suspender temporariamente a proposta, com o firme propósito de manter um diálogo aberto”.

Em 28 de junho, em uma complexa proposta orquestrada por Diniz, a Gama apresentou um plano para unir os ativos do Carrefour no Brasil ao Pão de Açúcar. Estava prevista a participação do BNDESPar, braço de participações do BNDES, e do próprio BTG, com aporte de até 1,7 bilhão de euros e 800 milhões de euros, respectivamente.

“Como reiterado em diversas oportunidades, o pressuposto da eventual participação da BNDESPar nesta operação era o entendimento entre todas as partes envolvidas”, afirmou o banco de fomento.

O governo brasileiro –que inicialmente incentivou a fusão– passou a adotar uma posição de neutralidade após as manifestações do Casino de que Diniz teria rompido o contrato na Wilkes ao negociar com o Carrefour supostamente sem o consentimento do sócio francês.

Apesar de ter suspendido por ora a proposta, a Gama reiterou acreditar que “trata-se de oportunidade excepcional para ambos os grupos, oferecendo enorme potencial de crescimento para o Grupo Pão de Açúcar e relevantes ganhos para todos os acionistas, inclusive o Casino”.

“Desde sempre, tratou-se de uma proposta amigável, sujeita à aprovação dos acionistas e em consonância com os contratos vigentes. Acreditamos que a associação entre Pão de Açúcar e Carrefour é excepcional para todos os públicos envolvidos e poderá ser reavaliada no futuro”, acrescentou o BTG.

Nessa mesma linha, a Península disse estar “convencida de que o Conselho de Administração do Casino não analisou devidamente todos os aspectos da proposta”.

“A decisão unilateral do Casino é, portanto, profundamente lamentável”, acrescentou a holding que representa os Diniz.

SEM VENCEDOR

Ainda que exista crença de que o Casino terá sucesso em bloquear o plano de fusão, há incertezas quanto ao futuro do relacionamento com Diniz, chairman e acionista-chave do Pão de Açúcar, assim como com a diretoria do grupo brasileiro.

“Não há de fato um vencedor nessa história, com o Casino preso a um sócio com interesses que claramente são outros”, disse a codiretora global de pesquisa da Planet Retail, Natalie Berg.

O Carrefour e o Casino buscam uma posição relevante no mercado brasileiro, mesmo caso do norte-americano Wal-Mart, maior varejista do mundo. Todos os três enfrentam vendas estagnadas em seus países-sede.

O colapso do plano de fusão de Pão de Açúcar e Carrefour no Brasil –ao menos em seu formato atual– é particularmente ruim ao Carrefour, que luta para se recuperar de três alertas de lucro feitos em menos de um ano.

“A diretoria (do Carrefour) claramente esperava que o acordo no Brasil fosse adiante e que as sinergias seriam fundamentais para que a empresa melhorasse de forma significativa a lucratividade de seus hipermercados brasileiros”, disse o analista Justin Scarborough, do RBS.

Ao mesmo tempo em que se posicionou contra a fusão com o Carrefour no Brasil, o Casino reafirmou seu comprometimento com o Pão de Açúcar e o Brasil, sinalizando que não tem planos de se desfazer da posição na varejista brasileira.

Alguns analistas acreditam que a saga não terminou e que Diniz poderá tentar seduzir o Casino com novos termos do plano, embora não esteja claro se o Carrefour aceitaria uma proposta diferente.

“Uma reestruturação da proposta seria menos favorável ao Carrefour”, disseram os analistas da Espirito Santo.

Alguns analistas também têm sugerido que o objetivo principal de Diniz é conseguir alterar o acordo de acionistas da Wilkes, pelo qual o Casino tem o direito de assumir o controle do Pão de Açúcar em junho de 2012.

Criminalística não conclui causa da morte de paraquedistas

Redação/Foto: Ricardo Chicarelli

As causas do acidente ocorrido no sábado (9), que causou a morte dos paraquedistas Luis Gustavo Machado da Silva de 34 anos e Rafael Cescatto de 29 anos, não puderam ser apuradas pelo setor de Criminalística de Londrina.

Segundo o perito Luis Noburo, provas que deveriam estar no local do acidente foram retiradas do local e apenas um paraquedas foi entregue. O equipamento de uma das vitimas simplesmente desapareceu.

“Perguntei insistentemente. O paraquedas de uma das vítimas desapareceu.”, afirmou o perito. Sem o equipamento a pericia não pode precisar se as mortes foram provocadas por falha humana ou do equipamento.

O laudo será remetido à autoridade policial incompleto. Ficam as dúvidas. O laudo criminal deve responsabilizar outra pessoa sobre o fato. “Alterar local de morte, mexer em evidências, é crime também. Está no Código Penal. Tudo será relatado”, concluiu.

Nesta segunda-feira (11), a Criminalística foi informada que o paraquedas de Rafael Cescatto está no Aeroporto 14 Bis. Mas o equipamento não pode mais ser usado como prova criminal, por ter sido manipulado. O paraquedas usado por Luis Gustavo Machado não apresentou defeitos.

Despedida

Em clima de muita emoção dezenas de pessoas despediram-se ontem (10), do paraquedista Rafael Cescato.

”Esse é um momento de muita dor para todos nós, o que nos conforta, de certa maneira, é que ele estava fazendo o que amava. O Rafael já saltava de paraquedas desde os 19 anos. Esse esporte e o motociclismo eram as grandes paixões da vida dele.”, relatou o cunhado do paraquedista, Edgar da Penha Costa.

O corpo do jovem foi velado na Igreja Batista de Londrina e foi sepultado por volta das 17h30 no Cemitério Parque das Oliveiras.

Luís Gustavo da Silva o outro paraquedista morto no acidente foi sepultado na cidade de Campinas interior de São Paulo.

Com informações da Folha de Londrina e Bond News

Prefeitura de SP planeja licitação para venda de 20 áreas públicas

Administração promete usar dinheiro para aumentar número de creches. Projetos provocam protestos onde há equipamentos públicos.

G1/Foto: Roney Domingos

Viveiro de flores na Mooca, uma das áreas que devem ser vendidas pela Prefeitura de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo vai colocar à venda, via licitação, 192.715 metros quadrados de 20 áreas públicas do município. A licitação para escolha dos compradores, que serão selecionados de acordo com o preço que estão dispostos a pagar, deve começar em setembro, de acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho.

Dos 20 imóveis, 19 já tiveram a venda aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo. Falta apenas o localizado entre a avenida Raimundo Pereira de Magalhães e a Otaviano Alves de Lima que tem 9.114 m² não foi aprovado pela Câmara.

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, o dinheiro arrecadado será utilizado para construção de creches. Em junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que determinou ao município matricular crianças menores de cinco anos em creches próximas de onde moram ou de onde seus pais trabalham. Segundo o STF, a decisão do ministro Celso de Mello foi tomada com base nos artigos 208 da Constituição Federal e 54 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que tratam do dever do Estado com a educação.

Nos últimos cinco anos, a atual gestão aumentou em mais de 120% o número de matrículas em creches, saltando de 59 mil em 2005 para 130 mil matrículas até o fim de 2010. Com a reorganização da Educação Infantil, o número de matrículas em creches em 2011 subiu para 190 mil.

A venda de uma área pública no Itaim Bibi, na Zona Oeste de São Paulo, provoca polêmica porque no terreno funcionam atualmente uma biblioteca, uma unidade básica de saúde, uma creche, uma unidade de educação infantil e uma Apae. O prefeito Gilberto Kassab tem dito que os equipamentos permanecerão no local.

Morador na Mooca desde que nasceu, o comerciante Roberto Ambrósio, de 64 anos, conta a trajetória de uma das áreas que a Prefeitura de São Paulo coloca à venda, ocupado atualmente por um viveiro de flores, à margem da Radial Leste, na esquina com a Rua Bresser.

“Isso aqui já foi serraria, concessionária de ônibus e prédio da saúde municipal. Agora é um viveiro, mas só tem um funcionário, que vive correndo de um lado para outro”, afirmou.

Para o morador, a venda de áreas públicas pode produzir benefícios se a alternativa for manter espaços abandonados.

“Praça hoje em dia só serve para trazer mendigo, cachorro e ladrão”, afirmou.

Veja as áreas que a prefeitura de São Paulo pretende vender

Vice-presidente sofre tentativa de assalto

Agência Estado/Foto: Google

O vice-presidente da República, Michel Temer, sofreu uma tentativa de assalto, na noite do último dia 1º (sexta-feira), na Avenida Cidade Jardim, no bairro do Itaim Bibi. Segundo informações da assessoria de imprensa do vice-presidente, a tentativa de assalto ocorreu quando ele se dirigia ao Aeroporto de Guarulhos para retornar a Brasília, no Distrito Federal.

O carro do vice-presidente era escoltado por mais dois veículos, que conduziam seguranças do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Ao parar em um semáforo, um homem se aproximou do veículo onde estava Temer e bateu em um dos vidros. Ele teria indicado, segundo a assessoria de imprensa, que portava uma arma.

O segurança que acompanhava o vice-presidente no veículo julgou a atitude suspeita e acionou os outros veículos. Os demais seguranças saíram dos carros e abordaram o homem, que prontamente largou o artefato que carregava. A suposta arma, segundo a assessoria de imprensa, era um revólver de brinquedo.

Moradores do Alemão elogiam teleférico, mas cobram mais investimento

BBC/Foto: Roberto Stuckert Filho/Julia Carneiro

Dilma e Sérgio Cabral passearam no teleférico

A presidente Dilma Rousseff inaugurou nesta quinta-feira um teleférico que servirá como meio de transporte para morros do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Apesar dos elogios ao projeto, os moradores locais cobram investimentos mais urgentes em infraestrutura.

No alto do Morro do Adeus, a presidente fez a abertura oficial do sistema suspenso por cabos que passa a interligar seis estações no conjunto de favelas na zona norte do Rio, onde vivem cerca de 150 mil pessoas.

Dilma, que foi batizada de “mãe do PAC” (Programa de Aceleração do Crescimento) pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva na mesma comunidade, há cerca de três anos, quando era ministra da Casa Civil, começou seu discurso com uma saudação ao ex-presidente.

Ela destacou o fato de o projeto ter sido “uma obra de mãos dadas” por ter integrado esforços dos governos do estado e do município do Rio e do governo federal.

“É fruto de uma parceria muito estreita, de interesses comuns, que são o povo do Rio de Janeiro e o povo do Alemão”, disse Dilma, que andou no teleférico sete meses depois que Lula.

O ex-presidente foi inaugurar a fase de testes do teleférico poucos dias antes de deixar o cargo, sob um sol escaldante de verão – bem diferente do dia cinza e chuvoso que recebeu Dilma. O evento era aberto ao público, mas não ficou lotado. A presidente foi saudada calorosamente pelos moradores que enfrentaram um frio incomum para o Rio, do lado de fora da estação.

Medellín

Inspirado no teleférico que interliga favelas em Medellín, na Colômbia, o projeto é o primeiro sistema de transporte de massa por cabos no Brasil. De acordo com a presidente, ele fará “o Brasil inteiro olhar com o olhar da boa inveja” para o Complexo do Alemão.

 A moradora Ana Amorim diz que está “achando ótimo” passar a contar com o transporte. Sobretudo para atrair turistas e ajudar a mudar a imagem da região – que era conhecida como um dos principais redutos do tráfico armado no Rio de Janeiro até novembro passado, quando foi ocupado por forças de segurança estaduais e federais.

“É uma coisa que vai valorizar o lugar onde a gente mora, malvisto lá fora, marcado por tanta coisa ruim. Pode ajudar muito no turismo, trazendo o pessoal de fora para cá para conhecer melhor o lugar onde a gente vive e tirar essa imagem feia”, diz ela, representante de uma associação que presta apoio a favelas.

Ana só não sabe dizer se de fato vai usar o transporte suspenso por cabos – morre de medo de altura e não quer ser uma das primeiras pessoas a embarcar.

Morador da favela das Palmeiras, uma das áreas mais carentes do Alemão, Galileu Vieira da Cruz acha que o teleférico vai trazer benefícios, mas diz que a comunidade precisa de investimentos mais urgentes de infraestrutura que não foram feitos.

“A gente vai ter essa estação linda, mas logo abaixo temos uma lixeira, criação de porcos e cavalos. O pessoal passando por cima no teleférico vai ver a imundície que está a comunidade”, diz, queixando-se de que muitas obras prometidas dentro do Programa de Aceleração do Crescimento não foram cumpridas.

Teste

Presidente da Federação Municipal de Favelas do Rio, que tem 629 comunidades filiadas, Mario Jorge Pita Silveira considera que a mobilidade oferecida pelo teleférico é importante diante da extensão do Complexo do Alemão, que abrange 13 favelas. Mas levanta dúvidas sobre a eficácia do meio de transporte no dia a dia, já que cinco das seis estações ficam no alto de morros, o que poderia dificultar o acesso de moradores.

“Já que o governo investiu tanto no teleférico, teria que ter dado alguma forma para o pessoal que usa a estação subir e descer o morro, porque as ladeiras são muito íngremes”, diz.

 Mototáxi, vans ou kombis são os meios de transporte informais que, até agora, eram a única opção para os moradores dentro do Alemão. Uma viagem sai a R$ 2 – ou R$ 3 com sacolas, diz a moradora Wellicar Araújo da Silva. “Eu usava muito o mototáxi e agora vou usar o teleférico”, diz.

O novo sistema terá tarifa unitária a R$ 1 e os moradores poderão se cadastrar para ter direito a duas passagens gratuitas por dia. O bilhete do trem metropolitano também dará direito ao uso do transporte, que tem uma das estações integradas à estação ferroviária de Bonsucesso.

Após três anos de obras, o teleférico começa a funcionar nesta sexta-feira, em fase de adaptação, com funcionamento apenas quatro horas por dia no primeiro mês. O tempo de operação diária aumenta gradualmente até novembro, quando começa o funcionamento pleno, das 6h às 21h, durante a semana, das 8h às 20h, aos sábados, e das 9h às 15h, aos domingos.

Além das seis estações concluídas, o governo do Estado estuda possibilidade de erguer outras duas na região, na Igreja da Penha e no NorteShopping. O teleférico tem capacidade para transportar três mil passageiros por hora e percorre um trajeto de 3,5 quilômetros. A viagem da primeira à última estação tem duração prevista de 16 minutos.

TCU pede mudança no trem-bala e inviabiliza cronograma do leilão

Reuters/Foto: Google

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nesta quarta-fera alterações no edital de licitação do trem-bala Campinas-São Paulo-Rio de Janeiro, informou o gabinete do ministro Augusto Nardes, responsável pelo caso.

Na prática, isso inviabiliza o cronograma do leilão, que previa entrega de propostas na próxima segunda-feira, dia 11, e abertura dos envelopes no dia 29.

Pelas regras do edital, mudanças no documento só poderiam ser feitas pelo menos 15 dias antes da data de entrega das propostas.

O gabinete do TCU não informou quais são as alterações que está exigindo. Uma fonte ouvida pela Reuters a par do assunto disse que uma das mudanças prevê que o futuro concessionário terá que reduzir o preço da passagem se tiver ganhos obtidos com negócios secundários relacionados ao trem-bala, como hotéis nas estações, por exemplo.

Procurada, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) disse não ter sido notificada sobre a determinação do TCU.

A ANTT informou, contudo, que recebeu formalmente nesta quarta-feira dois pedidos para novo adiamento do leilão de concessão do trem-bala.

Um dos pedidos, para postergar a licitação por seis meses, foi apresentado pela Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer). O outro foi feito pelo chamado consórcio coreano, tido como o principal interessado no empreendimento.

A determinação do TCU e os pedidos de adiamento coroam um processo que deve levar o governo a anunciar, até sexta-feira, o adiamento ou até a suspensão da licitação.

Orçado em 33 bilhões de reais pelo TCU, o trem-bala é um projeto polêmico com críticas da oposição e que enfrenta resistência até dentro do governo.

Originalmente, o leilão deveria ter ocorrido em dezembro passado. A licitação foi adiada para abril, com empresas pedindo mais tempo para analisar o projeto, e depois para julho, com interessados solicitando prazo adicional para formação dos consórcios.

Fontes no governo e nas empresas que estão analisando o projeto acreditam que se o governo insistisse com o leilão, não haveria candidatos entregando envelopes com propostas no início da semana que vem.

A decisão sobre o destino do trem-bala estaria agora nas mãos da presidente Dilma Rousseff, que se mostrava uma entusiasta do projeto que está dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O vácuo no Ministério dos Transportes com a saída do ministro Alfredo Nascimento nesta quarta-feira, em meio a denúncias envolvendo a pasta, é mais um fator a pesar sobre o trem-bala.

Entre investidores existe ainda a percepção de que o governo subestimou os custos da obra. Alguns agentes na iniciativa privada avaliam que o trem-bala custaria cerca de 50 bilhões de reais, muito acima da estimativa oficial.

Em abril, o Congresso concluiu a votação da medida provisória que trata do trem-bala, autorizando a União a garantir empréstimo de até 20 bilhões de reais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Na ocasião, também foi aprovada a criação da estatal do trem-bala –batizada de Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade(ETAV).

Vivo vai pra cima da Nextel e lança PTT no RS

Baquete/Imagem: radiodavivo.com.br

A Vivo iniciará nacionalmente nesse semestre uma investida contra a Nextel.

Chamado de Vivo Radio, o serviço custará R$ 29,90 por mês e já está disponível aos clientes do Rio Grande do Sul.

Não foram estabelecidas metas de participação de mercado de push to talk (PTT) no curto prazo, mas executivos da operadora deixam claro que “vieram para brigar com a concorrência”.

“Estamos a fim de uma disputa direta mesmo”, diz Paulo Cesar Teixeira, presidente da Unidade de Mercado Individual da Vivo, ao lançar o serviço em Porto Alegre nessa terça-feira, 05.

Até agora, o serviço estava disponível apenas no Paraná, desde junho.

“Pronto, falei”

Os trunfos da operadora, atual líder na telefonia móvel com 29,48% de share, segundo dados de maio da Anatel, são cobertura, praticidade e uma oferta mais barata.

“São 3.663 municípios (da Vivo) contra 385 (da Nextel). É um só número para os dois serviços (na Vivo) contra dois (na Nextel). E isso por cerca de R$ 20 a menos”, alfineta Teixeira.

A seu favor, a Vivo também reivindica os mais de 60 milhões usuários, contra 3,5 milhões da Nextel, que formam uma “comunidade” muito maior de cadastrados para usar o serviço.

Além disso, a Vivo, com receita bruta de R$ 25,7 milhões no ano passado, crescimento de 11,5%, investe contra uma empresa que chegou aos R$ 2,6 milhões no mesmo indicador para igual período, porém com avanço de 49,4% sobre 2010.

Do alto da primeira posição, e da receita 10 vezes maior, Teixeira ironiza até os anúncios da concorrência.

“Eles colocam o vídeo bonito, do clube, de uma pessoa na praia. Mas reparem que não tem nenhum aparelho (celular) nos comerciais. Por que? É porque não funciona lá”, cutuca o diretor.

Sob o bordão “pronto, falei” a peça publicitária da Vivo tenta emplacar o som do toque de chamada do Vivo Direto – em oposição ao conhecido som das chamadas do Nextel – sem os rostos famosos da campanha do rival (confira os sons no podcast relacionado à matéria).

Como funciona

Um portfólio de sete aparelhos estará disponível até o final do ano para os usuários do Vivo Direto.

Atualmente, é possível habilitar o recurso no Blackberry Curve 9300, Nokia 2710 o OT900 (Alcatel) ou LG 295, e outros três aparelhos serão incluídos nas ofertas até o final de 2011.

Na prática, o Vivo Direto é similar a um walk talk. O usuário seleciona um contato, aperta um botão, fala, solta o botão, e aguarda a resposta. No teste realizado para jornalistas, um delay de três segundos foi observado.

O serviço também permite conectar até sete pessoas, desde que organizadas em um mesmo grupo, simultaneamente.

Ofertas especiais para o mercado corporativo e para os usuários serão promovidas pela Vivo, com descontos em aparelhos e abatimentos graduais nos celulares de acordo com o número de terminais comprados.

Brasil no foco da Vivo

De acordo com o CEO recém-empossado da Vivo Brasil, Luis Miguel Gilpérez, o PTT já é oferecido pela Telefônica – grupo de telecomunicações do qual a Vivo faz parte – em outros mercados há três anos, e chega ao país como parte do esforço da empresa de crescer no Brasil.

Nesse ano, a empresa investirá R$ 2,5 bilhões no mercado brasileiro.

Novos aparelhos e serviços estão programados para os clientes do país – que somaram em maio 63,4 milhões, segundo a Anatel.

“Esse esforço se dá porque o Brasil é um mercado muito importante. Mais investimentos serão feitos para que novos produtos sejam lançados aqui. Essa é a missão da Telefônica no Brasil”, insiste Gilpérez, sem revelar números para esses aportes.

N Vantagens

No mesmo dia em que a Vivo fazia o anúncio em Porto Alegre, a Nextel apresentou a família de planos N Vantagens, com ligações locais ilimitadas de Nextel para Nextel, chamdas DDD e DDI, rádio ilimitado, além de descontos de até 60% em alguns aparelhos.

“Criamos um plano que destaca as principais características da Nextel, reunindo serviços ilimitados e vantagens que os consumidores procuram em um só plano”, afirma Tiago Galli, diretor de Produtos e Serviços da Nextel.

Os valores dos planos serão diferenciados de acordo com as praças em que a Nextel está presente.

Nos estados do Sul, por exemplo, a assinatura do N Vantagens mais 200 minutos para ligações locais, DDD ou DDI custa R$ 109,00.

Dilma se despede de Itamar em velório e corpo é cremado em MG

Reuters/Foto: Roberto Stuckert Filho

Após um velório que pôs lado a lado a presidente Dilma Rousseff e importantes líderes da oposição, o corpo do ex-presidente Itamar Franco foi cremado nesta segunda-feira no cemitério Parque Renascer, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Cerca de 4,5 mil pessoas compareceram ao Palácio da Liberdade para se despedir do senador, que morreu no sábado, em São Paulo, vítima de complicações de uma leucemia. O corpo de Itamar chegou em um carro especial do Corpo de Bombeiros.

A presidente Dilma ficou cerca de 40 minutos no velório, acompanhada dos ministros Fernando Pimentel (Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior), Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Antônio Patriota (Relações Exteriores) e Helena Chagas (Comunicação Social).

Nos poucos minutos em que ficou ao lado do caixão de Itamar, Dilma esteve cercada de alguns de seus principais adversários políticos: o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Os três chegaram a conversar por algumas vezes.

Em meio a denúncias de corrupção envolvendo o Ministério de Transportes, Dilma não concedeu entrevistas.

Fernando Pimentel falou com os jornalistas em nome da presidente. “Itamar foi um homem que dedicou a sua vida à causa do Brasil. Disputamos o mesmo cargo no Senado, e nem por isso nossa relação se interrompeu, se abalou, sempre foi uma relação muito fraterna”, disse o ministro.

Amigo de Itamar, o ex-ministro Ciro Gomes também compareceu ao velório. Houve constrangimento quando ele evitou cumprimentar o candidato tucano derrotado à presidência no ano passado, José Serra, seu desafeto, que ficou bem à sua frente.

Fernando Henrique, que foi ministro de Itamar e o sucedeu na Presidência, disse que “chorava de saudades” do colega. “Nós tivemos uma relação estreita. Itamar sempre foi um homem simples no modo de falar, de viver, de se relacionar”, disse.

FHC lembrou mais uma vez que recebeu total apoio do ex-presidente para lançar o Plano Real, o que alguns interpretam como um modo de deixar claro de quem era a paternidade do plano que acabou com a inflação no Brasil.

O governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), disse que Itamar vai fazer falta para a política brasileira. “Ele era um exemplo de caráter.”, disse.

Velório de Itamar reúne protagonistas do impeachment

Agência Estado/Foto: Vlademir Platonow

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou 35 minutos no velório do corpo do senador e ex-presidente Itamar Franco, na Câmara Municipal de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Lula foi recebido e se despediu com palmas da população que esperava para entrar na Câmara. Dentro do salão, durante o velório, Lula conversou com o presidente do Senado, José Sarney, e o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início desta tarde, durante 20 minutos, as principais figuras políticas que protagonizaram episódios que levaram Itamar à Presidência, em 1992, estiveram juntas no velório neste domingo (3) em Juiz de Fora: o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL), o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que na época presidia a União Nacional dos Estudantes (UNE), e o senador Pedro Simon (PMDB-RS), um dos líderes do movimento pró-impeachment de Collor no Congresso Nacional.

Collor e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) saíram juntos do velório na Câmara Municipal de Juiz de Fora e foram vaiados pela população. Ainda tiveram de ouvir gritos de “pega ladrão” de alguns populares.

Apenas o vice-presidente Michel Temer falou com os jornalistas ao deixar o velório do corpo de Itamar Franco. “Um grande brasileiro. O presidente Itamar Franco deixa um exemplo de dignidade, de coerência ao longo da vida, especialmente em matéria de administração e política. É um exemplo para todos nós que fazemos a vida pública, especialmente porque ele foi praticante de um dos atos mais importantes do País, que foi precisamente a estabilidade em relação à inflação. Foi capaz e teve a coragem de lançar o Plano Real, que manteve o Brasil nos trilhos de uma boa economia. Um exemplo de honestidade para todos os brasileiros,” disse Temer, que encerrou a entrevista ao ser questionado sobre o escândalo do Ministério dos Transportes.

O senador Itamar Franco (PPS), presidente da República de 1992 a 1994, morreu na manhã de sábado (2), aos 81 anos, em São Paulo, vítima de leucemia. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein desde o dia 21 de maio e permanecia licenciado de suas atividades no Senado. Nos últimos dias, o senador apresentou um quadro de pneumonia grave e foi transferido para a UTI. Nas últimas horas de vida, foi vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) e entrou em coma. Segundo o hospital, Itamar morreu por volta das 10h15 da manhã.

Filho de Bolsonaro provoca homossexuais no Twitter

 Isto é Guarulhos/Foto: Twitter

O arquivamento do processo contra deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), foi à deixa para seu filho criar polêmica no Twitter. O vereador da cidade do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, postou diversas mensagens ofensivas contra homessexuais em sua página pessoal no microblog (@VerBolsonaro).

O deputado Bolsonaro o arquivamento da representação do P-SOL por 10 votos a 7.

Leia algumas mensagens postadas:

“Beira ao Ridículo: A Ditadura Gay quer calar a todos! Chico Alencar ñ conseguirá!”

“CHuUuuupa Viadada. Bolsonaro absolvido!!!! Viva a Liberdade d Expressão. Parabéns Brasil!”

“Disse e repito; ChuuuuUUUupa Viadada. A Ditadura Gay ñ representa a maioria do Brasil! A Luta Continua!!!!”

“ESTA É A PRIMEIRA DERROTA DA DITADURA DO HOMOSSEXUALISMO, OUTRAS VIRÃO. ABAIXO PLC122, KIT-GAY E PRIVILÉGIOS DA LEI AOS GAYS!”

“Tenho orgulho d ser igual ao meu pai em todos os sentidos e um deles é colocar sua competência acima d sua sexualidade.”

“O INICIO DA QUEDA DA DITADURA DO HOMOSSEXUALISMO: Podem me ameaçar e me xingar, nada do q vcs tem a oferecer me interessa!”

“Desejar minha morte é o menor dos elogios q tenho lido no twitter. Rs! Pregam a Liberdade d Expressão, só a deles, a minha ñ. Ditadura Gay!”

Policiais do Rio encontram local onde estaria o corpo de modelo desaparecida

Redação/Foto: Google

Policiais civis chegaram por volta das 12h de hoje (29), no alto da favela da Rocinha, na localidade conhecida como Dioneia, onde supostamente estaria o corpo da modelo Luana Rodrigues de Souza, desaparecida desde o último dia 9 de maio. Com pás e enxada, os agentes contaram com o apoio de dois cães do Corpo de Bombeiros.

No local, os agentes encontraram restos de materiais queimados, como pneus e galhos, o que pode significar que ali funcionava um microondas, que são locais utilizados pelo tráfico para queimar inimigos e x-9 (delatores).

Ao todo, 130 agentes participam da operação, sendo 30 da DH (Divisão de Homicídio) e cem da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais)

Um blindado da Core (Caveirão) dá apoio à operação. O comércio dentro da favela e nos seus acessos está aberto e funciona normalmente.

Por enquanto não há relato de confronto contra os traficantes.

O caso

Depois do desaparecimento no dia 9 de maio, amigos e familiares de Luana confirmam a informação de que as duas jovens teriam sido carbonizadas. Mesmo sem o corpo, a família celebrou no dia 18 de maio a missa de sétimo dia em homenagem à modelo.

No fim de maio, a Polícia Civil do Rio descobriu para quem Luana ligou pouco antes de desaparecer. A DH não informou para quem foram os telefonemas e a quebra do sigilo telefônico foi autorizada pela Justiça.

A DH também busca saber se o desaparecimento de Luana seria uma retaliação à suposta denúncia de que a modelo teria informado a polícia sobre o esconderijo de drogas na comunidade. Ela teria indicado ao suposto namorado da Polícia Militar o local onde a Polinter apreendeu 2,6 t de maconha em abril deste ano.

Há suspeitas de que, com autorização do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, as duas tenham sido esquartejadas e os corpos queimados antes de serem enterrados em uma região de mata na comunidade.

Outra linha de investigação sugere que o crime tenha causa passional. Segundo moradores da Rocinha, Luana namorava um morador da comunidade e pode ter sido morta por ter se envolvido com outro homem antes de romper o relacionamento.

A polícia só tem confirmado que a jovem saiu da casa dos pais acompanhada de uma amiga, na Vila das Canoas, em São Conrado, na Zona Sul, informando que ia para a Rocinha e não voltou mais. Segundo a polícia, quanto à amiga de Luana, não há registro sobre desaparecimento dela.

Primeiro casamento gay do Brasil pode ser anulado, dizem juristas

BBC/Foto: AFP

O primeiro casamento gay do Brasil, realizado nesta terça-feira em Jacareí (SP), pode ser contestado na Justiça e acabar sendo considerado nulo, segundo afirmaram juristas ouvidos pela BBC Brasil.

O casamento ocorreu de acordo com decisão do juiz da 2ª Vara da Família e das Sucessões de Jacareí, Fernando Henrique Pinto, após um parecer favorável do Ministério Público de São Paulo.

Os noivos, Luiz André de Rezende Moresi e José Sérgio Santos de Sousa, estão juntos há oito anos e viviam em regime de união estável. A conversão da união estável em casamento ocorreu no Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais de Jacareí.

No entendimento do jurista Ives Gandra Martins, o casamento homossexual, nos termos atuais, fere o parágrafo 3º do artigo 226 da Constituição Federal, que, segundo ele, prevê que apenas casais heterossexuais podem se casar.

Para Gandra, qualquer pessoa ou entidade – como o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por exemplo – pode entrar na Justiça com uma ação de inconstitucionalidade e contestar a união.

O jurista afirmou que, se o caso for para o Supremo Tribunal Federal (STF), a aprovação do casamento gay é uma possibilidade concreta, de acordo com a tendência de decisões recentes tomadas pelos ministros.

Em 5 de maio, o Supremo decidiu, por unanimidade, reconhecer a união estável para casais do mesmo sexo, ao julgar ações ajuizadas pela Procuradoria-Geral da República e pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

“Do ponto de vista constitucional, o STF teria de dizer que não pode (haver casamento gay)”, disse Gandra. “Mas com essa nova visão dos ministros, de agir com um certo ativismo judicial, acredito que isto possa ser aprovado”.

Isonomia

Já para o professor de Direito Constitucional da PUC Minas Fernando Horta Tavares, a Constituição, embora se refira a gênero no que diz respeito ao casamento, também defende o princípio de isonomia, que garante que todos são iguais perante a lei.

“Esta parece ser a linha mais indicada (para avaliar o casamento gay), mais universalista”, disse o professor.

Tavares afirmou que, ao reconhecer a união estável de casais gays, o STF deu um “passo importante” no sentido de conceder isonomia aos homossexuais e abrir espaço para a liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

No entanto, o jurista e professor de Direito da Faap Álvaro Villaça Azevedo disse que só será possível afirmar que o STF reconheceu a união estável gay quando sair o acórdão da decisão do tribunal, o que ainda não ocorreu.

No entendimento do jurista, os ministros do Supremo apenas reconheceram que os casais gays têm, por analogia, os mesmos direitos das pessoas que vivem em união estável.

“Uma coisa é aplicar analogicamente as regras da união estável, outra é admitir a união gay como estável”, disse Villaça.

Na opinião do jurista, ao dar à união gay a proteção enquanto família, o STF não afronta o artigo 226 da Constituição, que, segundo ele, “não esgota a matéria”. No entanto, Villaça entende como inconstitucional a concessão do status de união estável aos casais homossexuais.

Kassab chama hackers de vândalos

Isto é Guarulhos/Foto: Reprodução Twitter

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (sem partido), chamou de vândalos os hackers que publicaram na internet dados pessoais dele e da presidente Dilma Rousseff, nesta quinta-feira (23). Em seu perfil no Twitter, Kassab qualificou a ação do grupo como ‘lamentável’.

A publicação dos supostos dados (números do CPF e do PIS, data de nascimento, telefones, signo) foi anunciada, também no Twitter, pelo grupo LulzSecBrazil, o mesmo grupo que reivindicou a autoria de um ataque ao site da Petrobras, depois de ter tentando invadir sem sucesso, na madrugada de quarta-feira, (22), os sites da Presidência da República, da Receita Federal e do Portal Brasil.

Muitas dessas informações, no entanto, são públicas e constam, por exemplo, na prestação de contas dos políticos durante campanhas eleitorais.

“Fatos como esse mostram como a tecnologia precisa avançar para impedir a ação dos vândalos.”, completou Kassab ao comentar a ação. O prefeito também aproveitou para prestar solidariedade à presidente Dilma. “Minha solidariedade à presidenta Dilma que, como eu, foi pessoalmente vítima desta truculência.”

A assessoria de imprensa de Dilma informou que a presidente não iria se manifestar sobre o ocorrido, já que o Serviço de Processamento de Dados (Serpro) assegurou que nenhum dado foi violado durante a ação do grupo. Ainda de acordo com a assessoria, as supostas informações publicadas são de conhecimento público e facilmente encontradas na internet.

De acordo com a BBC, o LulzSecBrazil é o braço brasileiro do grupo coletivo internacional Lulz Security, que vem ganhando notoriedade por ataques recentes aos servidores da CIA (agência de inteligência americana), do FBI (polícia federal americana), do serviço público de saúde britânico, o NHS, da empresa Sony e das TV americanas Fox e PBS.

Embraer entregará 100 jatos para JetBlue

Reuters/Foto: Google

O contrato firme da Embraer com a JetBlue será cumprido e a fabricante brasileira de jatos entregará 100 aviões para a companhia aérea norte-americana, apesar dos planos de revisão de frota da cliente.

A informação foi dada à Reuters pelo vice-presidente de Aviação Comercial da Embraer, Paulo César de Souza e Silva, durante a Paris Air Show, nesta terça-feira.

Mais cedo, a JetBlue anunciou que irá revisar sua frota, otimizando o uso dos jatos regionais Embraer 190. A expectativa da JetBlue é utilizar 75 unidades da aeronave em suas operações, segundo comunicado ao mercado. O plano inclui a compra de 40 aviões Airbus A320neo.

Não está claro qual será o destino dos 25 aviões Embraer 190 que não serão integrados à frota da companhia aérea norte-americana.

A JetBlue foi a cliente que lançou o Embraer 190, de 100 passageiros, com encomenda firme por 100 aviões e 100 opções de compra. O acordo anunciado em 2003 foi estimado à época em até 6 bilhões de dólares.

Na noite de domingo, em entrevista à Reuters, o presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, disse ser pouco provável que a JetBlue exerça as opções de compra do contrato.

Até o final de março, a Embraer tinha entregue 49 aviões para a JetBlue, restando 51 unidades do pedido firme na carteira de encomendas da fabricante.

SEM MAIS ANÚNCIOS

A Embraer não deve anunciar mais vendas durante o salão de aeronáutica que acontece no aeroporto de Le Bourget além das divulgadas na segunda-feira, segundo a assessoria de imprensa da fabricante.

Na abertura do evento, a Embraer divulgou cinco contratos para venda de 39 aviões avaliados em 1,7 bilhão de dólares. Há ainda opções de compra de outras 22 aeronaves, que podem levar o valor combinado dos novos negócios para 2,6 bilhões de dólares.

Além disso, também na segunda-feira, o vice-presidente de Aviação Comercial da fabricante disse que vê boa chance de conseguir uma encomenda da Delta Air Lines, com previsão de que a companhia aérea norte-americana decida fornecedores para renovar sua frota em outubro. “A nossa expectativa é que a Delta decida em outubro. Estão falando em 250 aviões, sendo 100 jatos regionais.”

O executivo da Embraer também disse que deve ser concluído nas próximas semanas contrato firme de venda de seis a 10 jatos para a norte-americana Republic Airlines.

Outra negociação em curso é com a companhia aérea Garuda, da Indonésia, com desfecho da campanha de venda esperado em três meses.

Supremo libera realização das Marchas daMaconha

BBC/Foto: Google

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira, por unanimidade, liberar as manifestações públicas em defesa da descriminalização das drogas, como a Marcha da Maconha, realizada em diversas cidades brasileiras.

Em maio, as manifestações foram vetadas em São Paulo, Campinas (SP), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR) e Brasília (DF).

Os defensores das Marchas afirmam que elas são um exercício legítimo da liberdade de expressão, garantida pela Constituição. Como alternativa, os manifestantes evitaram citar a maconha nos protestos e acabaram realizando “Marchas da Liberdade”.

No dia 21 de maio, um protesto contra a proibição da Marcha da Maconha levou ao confronto entre manifestantes e policiais na capital paulista, deixando várias pessoas feridas.

O STF tomou a decisão desta quarta em favor de uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF), ajuizada em junho de 2009 pela vice-procuradora-geral da República, Deborah Duprat, quando ela respondia interinamente pela instituição.

Na ação, Duprat questionava a interpretação que o artigo 287 do Código Penal tem recebido da Justiça, levando a enquadrar as marchas como apologia ao crime – o que, segundo ela, estaria gerando restrições indevidas à liberdade de expressão.

Assim, a vice-procuradora pedia o fim de qualquer entendimento judicial no sentido da criminalização da defesa da legalização das drogas, e que eventos públicos pró-legalização das drogas não fossem enquadrados no artigo 287 do Código Penal.

Na votação desta quarta, o Supremo considerou as marchas constitucionais e descartou o argumento de que constituem apologia ao crime. O ministro Celso de Mello, relator do caso no STF, disse que “o Estado tem o dever de respeitar o direito de reunião” dos cidadãos, mas ressaltou que isso não significa permitir o uso de drogas durante essas aglomerações.

Argumentos

O advogado Mauro Machado Chaiben, que fez a argumentação pró-marcha no STF, afirma que o próprio Supremo já havia tomado decisões em favor da liberdade de expressão, e que proibir as manifestações em favor da maconha seria um “retrocesso”.

“A sociedade não conhece o tema e vem há tempo acreditando no antigo discurso proibicionista, de que a droga é um ‘bicho de sete cabeças’, sem refletir se quer encontrar outras soluções, se quer debater o assunto”, disse o advogado à BBC Brasil.

Chaiben diz que um dos objetivos das marchas é mostrar à população que existem alternativas viáveis à criminalização da maconha, reduzindo o mercado ilícito das drogas e tirando poder dos traficantes.

Já o procurador de Justiça do Mìnistério Público do Paraná (MP-PR) Leonir Batisti afirma que ninguém pode ser contra a livre manifestação de ideias, mas que as Marchas da Maconha são marcadas pela apologia do uso das drogas em si.

“O debate até é necessário, mas ele deve ser feito em instâncias adequadas, como universidades, e em foros de outra natureza, como na mídia, onde podem ser discutidos os efeitos da liberação”, disse o procurador à BBC Brasil.

Batisti teme que, com a liberação das manifestações, a população entenda a mensagem de que as drogas são algo positivo. “Quem sabe ocorram marchas contra a liberação, ou então a maioria vai continuar silenciosa, enquanto os ativistas tomam conta”, diz.

Aposta em queda aumenta e Bovespa tem mínima do ano

Reuters/Foto: Google

A combinação de queda das commodities com apostas de queda nos contratos de futuros levou o principal índice da Bovespa ao menor nível em 11 meses nesta segunda-feira.

O Ibovespa caiu 1,08 por cento, aos 62.022 pontos, no piso de fechamento desde os 60.865 pontos em 5 de julho de 2010.

Com o mercado entregue a operações envolvendo derivativos, boa parte dos investidores preferiu ficar de fora dos negócios, fazendo com que o giro financeiro somasse apenas 4,03 bilhões de reais, o terceiro menor do ano.

Segundo profissionais do mercado, sinais de desaceleração na China, que derrubaram as cotações de matérias-primas em meio à leitura de que isso reflete menor demanda desses insumos por parte da segunda maior economia do mundo, também alvejaram algumas das principais ações da bolsa paulista.

O índice Reuters-Jefferies de commodities teve queda de 1 por cento, enquanto a cotação do petróleo em Nova York caiu 2 dólares, para o menor nível desde 17 de maio.

Com esse pano de fundo, empresas domésticas ligadas a metais, que têm na China um de seus principais mercados, foram as que mais pesaram no índice. O papel preferencial da Vale caiu 1,5 por cento, a 43,40 reais. A preferencial da Petrobras foi ainda mais longe, com declínio de 1,64 por cento, a 23,33 reais.

Individualmente, alguns ativos aprofundaram ainda mais a pressão.

Foi o caso de Brasil Foods, a pior do índice, com um tombo de 4,59 por cento, a 24,09 reais. O julgamento do processo de fusão que deu origem à empresa deve ser retomado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) na quarta-feira. Na semana passada, o relator do caso deu parecer contrário à operação.

Segundo operadores, um ingrediente que está contribuindo para pressionar os preços das ações brasileiras para baixo é a proximidade dos vencimento de contratos de futuros. Para o de índice, na quarta-feira, há mais de 94 mil contratos com aposta de investidores estrangeiros na queda do Ibovespa.

“O cenário está favorável pra quem aposta na baixa, porque tem muita indefinição lá fora”, disse um operador de uma corretora paulista, sob condição de anonimato, referindo-se a novos dados econômicos da China, que serão divulgados esta noite, como os de produção industrial e de vendas no varejo.

Além disso, disse outro operador, há importantes índices econômicos dos Estados Unidos que serão divulgados ao longo da semana, e o nervosismo com a definição de um novo socorro financeiro à Grécia, que nesta segunda-feira teve o rating rebaixado para “CCC”, a pior do mundo na escala da Standard & Poor’s.

MP do Rio denuncia 439 bombeiros que participaram de invasão a quartel

Agência Estado/Foto: Fábio Motta

O Ministério Público do Rio apresentou, no início da noite desta sexta-feira, 10, denúncia contra os 439 bombeiros que participaram da invasão do Quartel Central da corporação, no sábado passado. Os promotores identificaram 14 militares como líderes do movimento. Eles foram denunciados por motim, dano em material de utilidade militar e dano em instalação militar. As penas somadas chegam a 19 anos de reclusão.

Para os militares que apenas participaram da invasão, as eventuais condenações podem somar 17 anos. Os relatórios dos promotores Leonardo Cuña e Isabella Pena Lucas foram encaminhados à Auditoria Militar do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Caberá agora à juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros aceitar ou não a denúncia, e iniciar o processo penal. Os militares também vão responder a inquéritos administrativos na corporação.

Na madrugada desta sexta, o desembargador Cláudio Brandão de Oliveira, do plantão judiciário do Tribunal de Justiça, concedeu habeas corpus aos militares presos desde sábado. Até a noite, no entanto, os alvarás de soltura ainda não haviam sido enviados para os quartéis onde os bombeiros estavam encarcerados.

Pane em sistema atrasa soltura de bombeiros

A Justiça do Rio mandou nesta manhã soltar os 439 bombeiros presos desde a semana passada por invadir o Quartel Central da corporação, mas até o início da noite nenhum alvará de soltura havia chegado aos quartéis que serviam de cárcere aos bombeiros presos. Uma pane no sistema de digitalização de documentos da Auditoria da Justiça Militar do Estado atrasa a libertação dos militares.

Entre os motivos enumerados pelo desembargador Cláudio Brandão de Oliveira para soltar os militares estão a carência de condições dignas nas instalações onde os militares estavam presos e a falta de documentação pertinente nesses locais. O pedido de habeas corpus foi solicitado pelos deputados federais Alessandro Molon (PT/RJ), Doutor Aluizio (PV/RJ) e Protógenes Queiroz (PC do B/SP).

Senadora Gleisi Hoffman é a nova chefe da Casa Civil, confirma Planalto

Agência Brasil/Foto: Wlademir Rodrigues

A presidenta Dilma Rousseff convidou a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) para ocupar a Casa Civil no lugar de Antonio Palocci, que deixou o cargo na tarde desta terça-feira(7). A informação foi confirmada no início da noite pela assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) é filiada ao partido desde 1989. Em 2002, compôs a equipe de transição do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela é mulher do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e assumiu a presidência do PT no Paraná em 2008.

Gleisi disputou uma vaga para o Senado em 2006 e concorreu à prefeitura de Curitiba em 2008, mas só no ano passado conquistou a primeira vitória nas urnas. Foi diretora financeira da Itaipu Binacional e secretária de Gestão Pública de Londrina (PR) e de Reestruturação Administrativa de Mato Grosso do Sul. É advogada e tem 45 anos.

Palocci cai após cinco meses no governo

Após cinco meses à frente de um dos principais cargos do governo federal, Palocci, anunciou seu afastamento no final da tarde desta terça-feira. A saída foi comunicada em nota divulgada pela assessoria de imprensa do ex-ministro.

Palocci é o primeiro ministro do governo Dilma a deixar o governo. A saída ocorre quase um mês depois da reportagem do jornal Folha de São Paulo que aponta que ele teve o patrimônio aumentado em 20 vezes entre 2006 e 2010, quando era deputado federal do PT pelo Estado de São Paulo.

No documento entregue à presidente Dilma Rousseff à tarde, Palocci justifica a decisão no fato de que “a continuidade do embate político poderia prejudicar suas atribuições no governo”.

Veja a nota divulgada pela Casa Civil

O ministro Antonio Palocci entregou, nesta tarde, carta à presidenta Dilma Rousseff solicitando o seu afastamento do governo.

O ministro considera que a robusta manifestação do Procurador Geral da República confirma a legalidade e a retidão de suas atividades profissionais no período recente, bem como a inexistência de qualquer fundamento, ainda que mínimo, nas alegações apresentadas sobre sua conduta.

Considera, entretanto, que a continuidade do embate político poderia prejudicar suas atribuições no governo. Diante disso, preferiu solicitar seu afastamento.”

IPCA desacelera em maio, mas acumulado dos 12 meses ultrapassa meta

BBC/Foto: Google

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,47% em maio, caindo 0,3 ponto percentual em relação a abril (0,77%). No entanto, o acumulado dos últimos 12 meses (6,55%) ultrapassa a margem de dois pontos acima do centro da meta anual do governo, que é de 4,5%.

Segundo o IBGE, o índice foi de 6,51% nos 12 meses imediatamente anteriores. Já o acumulado do IPCA em 2011 está em 3,71%, alta de 0,62 ponto percentual na comparação com o mesmo período de 2010 (3,09%).

A taxa de maio ficou 0,04 ponto percentual acima do mesmo mês em 2010, quando a inflação foi de 0,43%.

O grupo de maior impacto no IPCA de maio foi alimentação e bebidas, que respondeu por 0,15 ponto percentual do índice mensal.

Já a maior alta no mês passado foi do grupo vestuário, que subiu 1,19%. A única queda em maio ocorreu em transportes (-0,24%).

Dentre os índices regionais em maio, o maior foi o de Belo Horizonte (0,7%), devido a taxas de água e esgoto e de energia elétrica. Já o menor índice foi o de Brasília (0,02%), onde os combustíveis tiveram queda de 3,35%.

No acumulado dos últimos 12 meses, Curitiba apresenta a maior variação do IPCA (8,29%), seguida de Goiânia (7,29%). As menores altas de preços nos últimos 12 meses foram registradas em Salvador (5,43%) e Recife (5,67%).

Petrobras procura sócios para PetroquímicaSuape

Reuters/Foto: Google

A Petrobras está em busca de possíveis sócios para a PetroquímicaSuape, fábrica de produtos petroquímicos que está sendo construída perto de Recife, Pernambuco, um empreendimento que a estatal assumi inteiramente durante a crise de 2008, depois que o sócio Vicunha, que tinha 60 por cento, desistiu da empreitada.

Inicialmente com interesse de deter apenas 20 por cento de uma das três unidades da petroquímica –a que vai produzir ácido tereftálico purificado (PTA), matéria-prima do poliéster e das embalagens PET– a Petrobras decidiu assumir toda a obra para evitar sua parada e assim garantir o abastecimento do produto que atualmente é importado pelo Brasil.

“Depois que a gente construir queremos ter sócios privados, mas a prioridade agora é acabar a obra”, explicou Paulo Roberto Costa, diretor de Abastecimento da Petrobras, sem querer citar nomes, durante visita à refinaria nesta segunda-feira.

Na lista das conversas da estatal, segundo uma fonte, estão Braskem e Reliance, mas nada ainda foi concluído.

A previsão é de que a unidade de PTA entre em operação no segundo semestre deste ano e as outras duas –uma para produção de polímeros e fios de poliéster e outra para fabricação de resina PET– no ano que vem.

Segundo Costa, o Brasil vai economizar cerca de 1 bilhão de dólares em divisas com a substituição do produto importado. O volume que será produzido de PTA vai atender 80 por cento do consumo nacional.

A unidade petroquímica, que vai produzir a matéria-prima para fios e embalagens PET, um investimento de 4,9 bilhões de reais, fica ao lado da refinaria Abreu e Lima, projeto para o qual a Petrobras também espera um sócio: a estatal venezuelana

PDVSA.

Fruto de um acordo em uma época em que, segundo Costa, tudo era diferente –”não tínhamos o pré-sal, as reservas brasileiras eram pequenas”–, a refinaria Abreu e Lima, projeto de 26 bilhões de reais, já está 35 por cento construída e até o momento absorveu 7 bilhões de reais apenas da Petrobras, oriundos de um empréstimo de 10 bilhões de reais com o BNDES e pelo o qual a PDVSA ainda tem que dar garantias se quiser participar do investimento.

ESPERA POR VENEZUELA

A PDVSA decide até agosto se vai entrar no projeto, já que os recursos do BNDES terminam em setembro e a Petrobras terá que usar o seu próprio caixa para finalizar o restante da obra, ou cerca de 16 bilhões de reais.

“Não posso usar o nosso caixa para fazer desembolsos pela parte dela (PDVSA) também,” ressaltou Costa, evitando dar a sua opinião sobre a demora da decisão da petroleira venezuelana, que seria dona de 40 por cento do projeto segundo um acordo feito entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez, em 2005.

Mas o cancelamento da parceria pode acabar resultando em economia para o projeto, informou Costa.

Sem ter que adquirir um equipamento para equiparar o pesado óleo venezuelano ao brasileiro, a refinaria Abreu e Lima custaria menos 400 milhões de dólares, uma redução de custo significativa mas que na verdade apenas anularia um gasto extra pela decisão inicial de fazer dois trens de refino (conjunto de equipamentos que compõem uma refinaria), um para o petróleo nacional e outro para o petróleo da PDVSA.

“A Abreu e Lima tem dois trens de refino de 115 mil (barris por dia), ter um trem só otimiza o projeto”, disse o executivo, explicando que na época a solução foi necessária para viabilizar o refino separado dos dois óleos.

De acordo com Costa, as refinarias Premium que a Petrobras está construindo no Maranhão e no Ceará ficarão mais baratas do que a Abreu e Lima, sendo um dos motivos justamente o fato de possuir apenas um trem de refino, com capacidade para processar 300 mil barris de petróleo diariamente.

Apesar de ter dois conjuntos de processamento, a Abreu e Lima terá capacidade para 230 mil barris diários.

A refinaria Abreu e Lima entra em operação em 2013, dois anos depois do previsto no início do projeto, com 70 por cento da produção voltada para diesel. Segundo Costa, uma das causas do atraso foram as licitações que tiveram que ser refeitas, o que significou economia de 6 bilhões de reais para a estatal, informou.

Dilma diz que vetará o que prejudique o país no Código Florestal

Reuters/Foto: Ueslei Marcelino

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira que vai vetar trechos do Código Florestal que considere prejudicial ao país mas que antes vai trabalhar para que o Senado vote com o governo, ao contrário do que ocorreu na Câmara dos Deputados.

“Se eu julgar qualquer coisa que prejudique o país, eu vetarei, e a Câmara pode mudar o veto”, afirmou a presidente, referindo-se à possibilidade de o Congresso derrubar um veto presidencial.

Dilma disse que não concorda que o Brasil seja um país que não tenha condições de combinar “a situação de grande potência agrícola” com a de “grande potência ambiental”.

“Nós temos sim condições de fazer isso, por isso não sou a favor da consolidação dos desmatamentos, da anistia aos desmatamentos”, afirmou.

A Câmara dos Deputados aprovou esta semana o texto do relator Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que altera o Código Florestal, depois de muitas negociações com o Executivo. O projeto, no entanto, foi alterado por uma emenda do PMDB, costurada com a oposição e outros partidos da base aliada, contrariando orientação do governo.

Dentre outras medidas, a emenda permite aos Estados legislar sobre a ocupação de Áreas de Preservação Permanente (APPs), atribuição que hoje é exclusiva da União, e regulariza ocupações feitas nessas áreas até julho de 2008. O governo considera que esse dispositivo anistia desmatadores.

“Não sou a favor da emenda (do PMDB), fui contra a aprovação da emenda, e obviamente respeitando a posição de todos aqueles que divergem de mim, continuarei defendendo a mudança dessa emenda no Senado”, disse.

“Eu primeiro tentarei construir uma solução que não leve a essa situação de impasse que ocorreu na Câmara”, afirmou a jornalistas. “Sou a favor do caminho da compreensão e do entendimento… o governo tem uma posição, espero que a base siga a posição do governo.”

Segundo a ministra de Comunicação Social, Helena Chagas, a partir desta quinta-feira Dilma vai se reunir com as bancadas do Senado para tratar do Código Florestal. A decisão de negociar com parlamentares mostra uma mudança em relação à estratégia que o governo adotou durante as negociações na Câmara dos Deputados.

Dilma determina suspensão de material de kit contra a homofobia

BBC/Foto: Google

A presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira que seja suspensa a produção de materiais sobre homofobia pelos ministérios da Saúde e da Educação.

O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, disse que Dilma não gostou do tom dos vídeos relacionados ao kit contra a homofobia, que seria distribuído a 6 mil escolas de ensino médio do país.

Carvalho afirmou, segundo a Agência Brasil, que, por decisão da presidente, “todo material sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade”, inclusive a integrantes da Igreja Católica e de cultos evangélicos.

Cerca de 30 congressistas da bancada religiosa se encontraram com Carvalho nesta quarta-feira. Os parlamentares contestaram o conteúdo do material relacionado à campanha do governo.

O kit de combate à homofobia foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, hays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros), devido à constatação de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema.

Três vídeos relacionados à campanha vazaram pela internet, provocando polêmica e críticas devido a seu conteúdo. Parlamentares da bancada religiosa alegaram que o material fazia apologia da homossexualidade.

O material ainda estava em fase de análise pelo governo. Na semana passada, o ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu o projeto, afirmando que a violência contra o público gay é muito grande e que a educação é direito de todos.

Mesmo com as críticas, os kits tiveram parecer favorável da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (Unesco), para quem o material contribui para a redução do estigma e da discriminação contra os gays.

Ambientalistas do Pará foram mortos em ‘tocaia’, diz delegado

Portal Amazônia/Foto: Arquivo CNS

O delegado Marcos Augusto Cruz afirmou que o casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva, de 54 anos, e Maria do Espírito Santo, de 53, foram mortos em uma “tocaia” em uma estrada na Zona Rural de Nova Ipixuna (PA), na manhã desta terça-feira (24).

“Eles foram mortos a tiros na estrada que dá acesso ao assentamento onde residiam. As vítimas seguiam em uma motocicleta e, em determinado ponto, quando tiveram de reduzir a velocidade para passar em uma ponte, foram interceptados e atingidos pelos atiradores. Os autores do crime já estavam de tocaia. Eles esperavam as vítimas ali para cometer o homicídio”, afirmou o delegado.

Segundo o delegado, a polícia trabalha com a hipótese de que duas pessoas teriam atirado nas vítimas, mas o número ainda não foi confirmado. Os atiradores também estariam em uma motocicleta.

“Com certeza, foi um crime por encomenda, a mando de alguém. As características são típicas de uma execução”, disse Cruz.

O delegado afirma que, por enquanto, não há suspeitos, mas a polícia já começou a reunir informações para encontrar aos criminosos. Parentes das vítimas e possíveis testemunhas do crime serão convocadas para prestar depoimento.

“Eram pessoas que estavam inseridas em um contexto de lutas sociais. Eles eram ambientalistas, viviam em um assentamento e têm uma história de conflitos de interesses com madeireiros e fazendeiros da região”, disse.

Os corpos serão encaminhados para perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Marabá (PA).

Inimigos

Claudelice Silva dos Santos, irmã do ambientalista, afirmou ao G1 que o casal possuía inimigos. As vítimas teriam registrado queixas, na delegacia de Marabá, pelas ameaças constantes que sofriam.

“Nós somos ambientalistas e envolvidos com o movimento social. Muitos fazendeiros e madeireiros tinham interesse em que meu irmão e a mulher não atrapalhassem mais. Eles faziam denúncias de desmatamento, grilagem de terras e sempre foram ameaçados, mas nunca imaginamos que essas ameaças seriam consolidadas”, afirma.

De acordo com Claudelice, a residência do casal já havia sido invadida e revirada inúmeras vezes. O casal já teria sofrido outros atentados anteriormente.

“Muita gente tinha interesse na morte dele, porque realmente fazíamos as denúncias de crimes contra o meio ambiente. Temos certeza de que foi um crime que teve mandantes. É do interesse da família que se faça Justiça, não vamos deixar que isso fique impune como tantos outros aqui.”

Repercussão

A presidente Dilma Rousseff determinou que a Polícia Federal investigue o assassinato. Segundo o Planalto, Dilma ficou sabendo do assassinato pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e pediu ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que tomasse providências necessárias junto à Polícia Federal.

Pai mata filho de 4 anos e se suicida em Foz do Iguaçu

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Arquivo familiar

Clodoaldo estaria depressivo

O homicídio seguido de suicídio aconteceu nesta segunda-feira (23), no município de Matelândia, há 80 km de Foz do Iguaçu-PR. De acordo com as primeiras informações divulgadas Clodoldo Berlanda (35) matou o filho de apenas quatro anos com um tiro na cabeça e depois se matou. Os corpos foram encontrados por volta das 10 horas da manhã de hoje em uma estrada rural, na comunidade do Alto Barreirão.

O corpo de Clodoaldo e do filho foram levados para o IML (Instituto Médico Legal) de Cascavel. O carro foi recolhido para perícia.

Segundo informações de familiares, Clodoaldo estaria depressivo em função do fim do casamento. Ele teria deixado uma carta para a mãe explicando os motivos do crime e enviado mensagens para a ex-mulher avisando dos planos que tinha. O enterro deverá acontecer nesta terça-feira (24) no cemitério de Matelândia. O local do velório ainda não foi confirmado.

Teixeira foi forçado a devolver dinheiro de propina, aponta programa da BBC

BBC/Foto: AFP

Teixeira, Hayatou e Leoz teriam recebido pagamentos de empresa

A Fifa está impedindo a divulgação de um documento que revela a identidade de dois dirigentes da Fifa que foram forçados a devolver dinheiro de propinas em um acordo para encerrar uma investigação criminal na Suíça no ano passado.

Uma reportagem do programa de televisão Panorama, da BBC, apurou que um dos dois dirigentes é o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que integra também o Comitê Executivo da Fifa.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, que tentará ser reeleito para o cargo no próximo dia 1º de junho, declarou recentemente a adoção de uma política de “tolerância zero” para casos de corrupção.

No entanto, advogados que atuam em nome da Fifa estão contestando a decisão de um promotor de Zug, cidade no nordeste da Suíça, que determinou a divulgação de detalhes do caso.

O acordo encerrou uma investigação sobre propinas pagas a altos dirigentes da Fifa na década de 1990 por uma empresa de marketing esportivo, a ISL (International Sports and Leisure).

Até sua falência em 2001, a ISL comercializava os direitos de televisão e os anúncios publicitários da Copa do Mundo para anunciantes e patrocinadores.

Empresa de fachada

No ano passado, o Panorama acusou três integrantes do Comitê Executivo da Fifa, que escolhem as sedes das Copas do Mundo, de receber propinas da ISL. Além de Teixeira, foram citados o paraguaio Nicolas Leoz e o camaronês Issa Hayatou.

Pagamentos feitos aos três dirigentes – no caso do brasileiro, a uma empresa ligada a ele – estavam em uma lista secreta obtida pelo Panorama de propinas pagas a dirigentes esportivos pela ISL em um total de US$ 100 milhões.

A lista de pagamentos incluía uma empresa de fachada em Liechtenstein, chamada Sanud, que recebeu um total de US$ 9,5 milhões.

Uma investigação do Senado brasileiro em 2001 concluiu que Teixeira tinha uma relação muito próxima com a empresa. O inquérito descobriu que fundos da Sanud haviam sido secretamente desviados para Teixeira por meio de uma de suas companhias.

Eleição

O jornalista suíço Jean François Tanda, que requisitou a divulgação de detalhes do acordo na Justiça, diz que a Fifa está atrasando a liberação do documento ao “esticar os prazos, um após o outro”.

“A meta agora é evitar que a decisão seja divulgada antes do fim de maio ou do começo de junho”, quando a eleição para presidente da Fifa será realizada, diz Tanda.

Além de Ricardo Teixeira, a investigação do Panorama cita o ex-presidente da Fifa João Havelange e conclui que a decisão da promotoria suíça ao encerrar o caso também aponta que a Fifa falhou em coibir o pagamento de propina.

Blatter teria conhecimento de casos de propinas pagas a colegas do Comitê Executivo da Fifa pelo menos desde 1997, quando um suborno de US$ 1 milhão destinado a Havelange, então presidente da Fifa, foi enviado por engano para a entidade.

Tanto Ricardo Teixeira como João Havelange se recusaram a responder perguntas feitas pela BBC. A Fifa se recusou a comentar alegações específicas e se limitou a reafirmar que, em relação ao acordo com a promotoria suíça, o caso está encerrado.

Mil pessoas protestam em São Paulo contra alterações no Código Florestal

Mobilização ocorreu neste domingo no Parque Ibirapuera

Agência Brasil/Foto: Andre Penner

Mais de mil pessoas protestaram neste domingo em frente ao Parque Ibirapuera, em São Paulo, contra as alterações no Código Florestal que estão em discussão na Câmara dos Deputados. O diretor de Políticas Públicas da organização não governamental (ONG) SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani, disse que a manifestação comprova o quanto a população está mobilizada.

“Nós hoje estamos muito mais animados, você vê a reação da cidade, está cada vez maior.”

Para Mantovani, as lideranças favoráveis à alteração da lei estão contribuindo para o desmatamento confiantes que o novo código anistiará os crimes ambientais. A ex-senadora, Marina Silva, afirmou que vai entregar ao Congresso Nacional e à presidenta da República, Dilma Rousseff, uma carta assinada por ela e outros ex-ministros do Meio Ambiente pedindo a manutenção da legislação.

“A presidenta Dilma se comprometeu com o Brasil inteiro que vetaria qualquer mudança no Código Florestal, que promovesse desmatamento.”, lembrou Marina após discursar, durante o protesto.

A senadora relacionou o aumento do ritmo de devastação da Amazônia, verificado nos últimos meses, com as propostas do novo código. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), houve aumento no desmatamento na Amazônia Legal de 27% entre agosto de 2010 e abril de 2011, na comparação com o mesmo período anterior.

Brasil e Argentina decidem flexibilizar barreiras para liberar produtos na fronteira

Argentina liberará a entrada de produtos brasileiros como pneus e calçados

Agência Estado/Foto: Google

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou no início da noite desta quinta-feira que Brasil e Argentina decidiram flexibilizar as barreiras colocadas a alguns produtos como um gesto de boa vontade.

A partir de amanhã, o governo brasileiro voltará a colocar em licença automática a importação de alguns modelos de veículos, enquanto o governo argentino promete liberar a entrada de produtos brasileiros como baterias, pneus e calçados. O MDIC não informou quais veículos serão liberados, mas adiantou que não serão todos.

A decisão foi tomada em reunião por telefone esta tarde, entre o secretário-executivo do MDIC, Alessandro Teixeira, e o secretário da Indústria da Argentina, Eduardo Bianchi.

Os dois irão se reunir na próxima segunda e terça-feira, em Buenos Aires, para tentar avançar numa negociação que permita retirar dos dois lados as barreiras que atravancam o comércio bilateral.

Mais de 200 produtos com entrada dificultada

Antes da decisão, mais de 200 produtos estavam com a entrada no país vizinho dificultada, o que prejudicava a indústria do Rio Grande do Sul. Durante reunião no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, parlamentares e prefeitos relataram os prejuízos acumulados pela indústria gaúcha. O governo federal se comprometeu a levar em conta nas negociações a situação de cada setor afetado.

“O setor de máquinas agrícolas continua confiante, na espera que o governo tome ações para que a crise não se agrave.”, disse o prefeito de Horizontina, Irineu Colato.

Brasileira de 114 anos é pessoa mais velha do mundo, diz Guinness

BBC/Foto: AP

O Guinness World Record reconheceu a brasileira Maria Gomes Valentim, de 114 anos e 313 dias, como a pessoa mais velha do mundo.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira no site da empresa, responsável pela publicação de um famoso anuário de recordes.

Maria nasceu em 9 de julho de 1896 na cidade de Carangola (MG), onde mora até hoje. Ela se casou em 1913 com João Valentim, ficando viúva em 1946. Com seu marido, Maria teve um filho, quatro netos, sete bisnetos e cinco tataranetos.

De acordo com o Guinness, Maria atribui a sua longevidade a uma dieta saudável – ela diz que come um pãozinho toda manhã com café, frutas e, ocasionalmente, leite com linhaça.

A recordista afirma que consegue comer sem a ajuda de ninguém e ainda se dá ao luxo de beber uma taça de vinho ocasionalmente.

Com seu recorde, Maria superou aquela que se acreditava ser a pessoa mais velha do mundo: a americana Besse Cooper, que mora na cidade de Monroe (Estado da Geórgia, sul do país), 48 dias mais nova que a brasileira.

De acordo com o Guinness World Record, esta é a primeira pessoa “supercentenária” (com 110 anos ou mais) nascida no Brasil a receber reconhecimento oficial.

A empresa afirma que 99% das pessoas que alegam ter 115 anos ou mais mentem ou não têm documentos para comprovar a idade.

Geração de empregos com carteira assinada cresce 0,75% em abril

BBC/Foto: Google

O Brasil registrou a criação de 272.225 novas vagas de emprego com carteira assinada em abril de 2011, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta terça-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O resultado corresponde a um crescimento de 0,75% em relação ao mês anterior e se posiciona acima da média do mesmo mês nos últimos quatro anos, que ficou em torno de 250 mil empregos.

O desempenho de abril foi o resultado de 1.774.378 admissões e 1.502.153 desligamentos, ambos os maiores números já registrados para o mês.

Segundo o ministério, o desempenho de abril foi possibilitado pela expansão generalizada do emprego em todos os setores. Serviços e Comércio tiveram um saldo recorde para o mês, com 114.434 e 41.587 novos postos, respectivamente.

Entre os 25 subsetores pesquisados pelo Caged, seis obtiveram saldo recorde para o mês, enquanto quatro registraram seu segundo melhor saldo. Apenas a Indústria Mecânica teve queda, com o fechamento de 407 postos.

Entre janeiro e abril, 880.711 postos de trabalho formal foram gerados, um crescimento de 2,45% em relação ao estoque de empregos de dezembro de 2010.

Entre as Unidades da Federação, 23 tiveram alta no nível do emprego em abril. Rio de Janeiro e Amazonas apresentaram um saldo recorde para o mês, com a geração de 25.756 e 4.346 novos empregos com carteira assinada, respectivamente.

Oposição quer investigação de aumento de patrimônio de Palocci

Reuters/Foto: Ueslei Marcelino

A oposição quer esclarecimentos sobre o crescimento do patrimônio do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, e vai tentar convocá-lo para dar explicações na Câmara dos Deputados ou até pedir que o Ministério Público investigue a possibilidade de enriquecimento ilícito.

“Vamos dar um prazo para que ele se explique até amanhã (terça). Caso contrário, vamos entrar com um pedido de investigação por enriquecimento ilícito no Ministério Público”, disse o líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres (GO), que considera insuficientes as explicações dadas até agora.

Segundo o líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), o que ficou definido foi o pedido de explicações do ministro à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara.

Mas Torres avalia que dificilmente a oposição conseguirá aprovar um requerimento para chamar Palocci ao Congresso e, por isso, aposta na linha da investigação criminal para esclarecer as denúncias.

O ministro foi alvo de acusações, publicadas na edição de domingo pelo jornal Folha de S.Paulo, de que seu patrimônio teria aumentado 20 vezes desde 2006.

Em nota, Palocci afirmou que sua “evolução patrimonial, pessoa física, consta de sua declaração de renda”.

Já a Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu nesta segunda-feira que o crescimento patrimonial do ministro não será investigado.

“Não há no momento o que apurar… Não cabe à Comissão indagar como cada ministro chegou ao patrimônio que revela ao tomar posse”, disse a jornalistas o presidente da Comissão, Sepúlveda Pertence, após reunião do grupo no Palácio do Planalto.

Segundo uma fonte do Planalto, que pediu para não ser identificada, o ministro não deve dar explicações adicionais à nota divulgada. Sobre a possibilidade de comparecer à comissão da Câmara, a fonte disse que o ministro só se pronunciará se o convite for aprovado.

Palocci é visto pelo mercado financeiro como um grande defensor da estabilidade fiscal e das políticas econômicas ortodoxas no governo da presidente Dilma Rousseff.

Além da posição que ocupa de ministro da Casa Civil, Palocci mantém uma relação próxima com a presidente, o que o tornou uma figura influente no governo.

Segundo a fonte, a presidente já foi informada sobre as acusações e disse para o ministro “ficar tranquilo”.

A ordem na Casa Civil é trabalhar normalmente e esperar a poeira baixar sem dar combustível para a oposição e, com isso, tentar fazer o assunto cair no esquecimento.

Para o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, do ponto de vista formal a nota esclarece, mas como o ministro é um homem público espera-se que ele esclareça “quais os ganhos que a empresa teve”.

“Tem que mostrar de onde veio o dinheiro”, afirmou.

O ministro Palocci esclareceu na nota que a empresa Projeto, citada na reportagem, foi aberta em 2006 para prestar serviços de consultoria econômico-financeira, atividade que realizou até 2010. “Em dezembro último, as atividades de consultoria foram encerradas por força da função ministerial a que se dedica hoje”, disse na nota.

O jornal não acusou Palocci diretamente de corrupção, mas forneceu amplos detalhes sobre o rápido crescimento de seu patrimônio durante seu mandato na Câmara dos Deputados.

O ministro, segundo o jornal, comprou dois imóveis por meio da empresa Projeto. Um apartamento em São Paulo de 6,6 milhões de reais e uma sala comercial de 882 mil reais, ambos adquiridos antes de assumir o cargo no governo Dilma.

Em 2006, Palocci também enfrentou turbulências políticas e deixou o governo após ser envolvido na denúncia de quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa.

Sua situação ficou insustentável depois que o caseiro testemunhou em uma CPI afirmando que Palocci frequentava a chamada casa do lobby, ou República de Ribeirão Preto. A casa, em Brasília, frequentada por ex-assessores, era apontada como local de organização de lobby junto ao governo federal.

Mesmo assim, o ex-ministro se candidatou à Câmara e foi eleito. No Congresso, tentou manter a discrição e presidiu a Comissão Especial da Reforma Tributária. Em 2009, o Supremo Tribunal Federal livrou Palocci de processo sobre a violação.

No ano passado, o ministro desistiu de concorrer à reeleição parlamentar para se dedicar à coordenação da campanha de Dilma.

Queixa da Itália no caso Battisti é improcedente, diz procurador

BBC/Foto: Google

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, enviou nesta quinta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) um parecer em que qualifica como improcedente a reclamação da Itália quanto à decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de negar o pedido de extradição do ativista político italiano Cesare Battisti.

Battisti foi condenado à prisão perpétua pela Justiça italiana, acusado de participação em quatro assassinatos entre 1977 e 1979, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo. Ele nega as acusações.

No Brasil desde 2004, foi preso em 2007 a pedido da Itália, que mantém um acordo de extradição com o Brasil.

O STF aprovou a extradição, mas concluiu que a decisão sobre o caso deveria ser tomada pelo presidente da República. Em 31 de dezembro de 2010, Lula negou o pedido de extradição, com base em parecer da Advocacia-Geral da União.

O governo italiano, então, protocolou, por meio de seu advogado de defesa, Nabor Bulhões, um pedido junto ao STF para evitar que Battisti fosse solto.

No entanto, para o procurador-geral da República, “se o Brasil não pode interferir nos motivos que ensejaram o pedido de extradição, ao Estado requerente (Itália) também não é possível interferir no processo de extradição dentro do Estado brasileiro”.

Segundo Gurgel, a tentativa de interferência no processo de extradição viola o “princípio da não-intervenção em negócios internos de outros Estados, regra basilar do Direito Internacional Público”.

Em seu parecer, ele ainda afirma que não cabe ao STF decidir se Lula descumpriu o tratado de extradição ou se praticou algum ilícito internacional ao não extraditar Battisti, conforme alega a defesa do governo italiano.

O ministro do STF Gilmar Mendes, relator do processo, disse em fevereiro que a corte tomaria a decisão final sobre o caso ao avaliar se a decisão de Lula contraria o tratado de extradição entre os países.

CNBB não reconhece decisão sobre união homoafetiva

Agência Estado/Foto: Helvio Romero

ardeal Raymundo Damasceno

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) aprovou hoje, durante sua 49ª Assembleia Geral, reunida em Aparecida (SP), uma nota na qual estranha que o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha se pronunciado sobre a união homoafetiva, porque, em sua avaliação, o exame da matéria caberia ao Legislativo. “Preocupa-nos ver os poderes constituídos ultrapassarem os limites de sua competência, como aconteceu com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal”, afirma o documento.

Os bispos brasileiros reafirmam que, conforme a doutrina da Igreja Católica, o casamento entre homem e mulher deve ser a base da família, instituição que precisa ser reconhecida e valorizada. A nota da CNBB afirma que as pessoas que manifestam preferência pelo mesmo sexo não podem ser discriminadas, mas insiste que a união entre homossexuais não equivale à família.

“O matrimônio natural entre o homem e a mulher bem como a família monogâmica constituem um princípio fundamental do Direito Natural”, diz o documento. “Equiparar as uniões entre pessoas do mesmo sexo à família descaracteriza a sua identidade e ameaça a estabilidade da mesma”, acrescenta o texto.

Menino que recebeu coração morre no Rio

Agência Estado/Foto: Reprodução

O menino Patrick Hora Alves, de 10 anos, que foi submetido a um transplante cardíaco no dia 15 de abril, morreu às 19h40 de ontem (10), no Instituto Nacional de Cardiologia (INC), onde estava internado desde 14 de março. A causa da morte, de acordo com boletim médico, foi falência de múltiplos órgãos. Patrick foi a primeira criança brasileira a receber um coração artificial.

O quadro de Patrick havia se agravado nos últimos dias. Ele teve insuficiência hepática e renal – desde o transplante passava por sessões de diálise.

Também respirava com o auxílio de aparelhos e desenvolveu a Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA), tipo de insuficiência pulmonar, que provoca acúmulo de líquido nos pulmões. De acordo com boletim médico divulgado na tarde de ontem, ele não vinha respondendo bem ao tratamento.

Patrick foi a primeira criança brasileira a receber um coração artificial, depois que seu coração parou, durante uma cirurgia para a retirada de coágulos. O equipamento, instalado do lado de fora do corpo e ligado ao ventrículo, bombeou o sangue para o corpo de Patrick por 22 dias. No dia 15 de abril, ele recebeu o coração de uma mulher, moradora de Volta Redonda.

Patrick sofria de uma doença cardíaca rara – cardiomiopatia restritiva hipertrófica, que provoca o espessamento e a rigidez das paredes do ventrículo, dificultando o bombeamento do sangue.

O corpo do menino será cremado na sexta-feira, no Memorial do Carmo, no Caju, zona portuária do Rio de Janeiro.

Oficializada em Curitiba primeira união de casal gay 

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Franklin de Freitas

O presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, 43 anos, não esperou nem uma semana após a decisão proferida na quinta-feira (5), pelo Superior Tribunal de Justiça, para marcar a união estável com seu parceiro David Harrad, 53 anos. “Agora somos uma família com todos os direitos”, comemorou Reis

O STF reconheceu a união estável entre pessoas do mesmo sexo e definiu que o efeito da decisão seria imediato.

Toni e seu companheiro, David Harrad, vivem juntos há 21 anos. Os dois conheceram-se na Inglaterra, onde nasceu Harrad, que hoje trabalha como tradutor.

De acordo com o tabelião substituto Elton Jorge Targa, que assinou o registro de união estável, não há mudança substancial em relação aos documentos de união homoafetiva que já eram realizados. “Estamos em um estado democrático de direito e temos que atender à sociedade como um todo”, afirmou.

A união foi registrada na tarde hoje (9), no 6º Tabelionato de Curitiba (PR). O casal contou com a ajuda de três advogados e precisou passar por quatro cartórios da capital paranaense antes de encontrar um que aceitasse registrar a união estável.

Segundo Toni, eles estão muito felizes e o casal levará os documentos para a Vara da Infância e Adolescência com o objetivo de facilitar o processo de adoção. Desde 2005 Toni e David tentam adotar uma criança. Eles esperam que a decisão do STF também facilite esse processo.

Campanha de desarmamento começa no Rio com presença tímida de voluntários

BBC/Foto: Reprodução

Armas foram destruidas a marretadas

Após solenidade para inaugurar a Campanha Nacional do Desarmamento no Palácio da Cidade, o primeiro dia de recolhimento de armas na ONG Viva Rio, na capital carioca, foi marcado pela presença forte de políticos, jornalistas e representes de entidades civis, mas ainda tímida de voluntários.

De acordo com o Viva Rio, cem armas foram entregues no primeiro dia. Quase 80 destas vieram das Centrais de Abastecimento do Estado do Rio (Ceasa-RJ), e estavam exibidas logo na entrada para encorajar voluntários.

As demais foram entregues ao longo do dia por pessoas como Marilda Dantas de Pádua, de 85 anos, que viu a campanha como uma “oportunidade” para se livrar da arma que seu marido, falecido há sete meses, tinha desde antes do casamento, 62 anos atrás.

“Ele era engenheiro civil e comprou para se defender porque ia para os acampamentos abrir estradas de ferro, e tinha onça, cobra, eram lugares perigosos”, diz. O único tiro disparado pelo revólver de calibre 32 foi para matar uma cobra em um acampamento em Minas Gerais.

“Depois disso, ela ficou guardada e não teve mais nenhuma utilidade”, diz. “É um perigo ter uma arma em casa, né? Achei melhor ficar livre dela.”

Aeronauta aposentado, Jail Serra, de 79 anos, diz nunca ter usado a arma que herdou de seu sogro, e quis entregá-la por temer a curiosidade do neto de sete anos, que mora com ele.

“Com a campanha, vim devolvê-la, porque poderia causar uma grande tragédia. Assim, é um problema a menos em casa”, afirma ele, que considera e campanha de “enorme” importância. “As pessoas têm uma falsa ideia de que uma arma traz segurança. A única arma que traz segurança é a paz”, diz.

‘Livre’

Serra saiu do Viva Rio sentindo-se “livre”e com um comprovante para receber R$ 100 pela arma no Banco do Brasil. O Ministério da Justiça vai destinar cerca de R$ 10 milhões às indenizações, que podem variar de R$ 100 a R$ 300, de acordo com o armamento deixado.

O som de marretadas ecoou no Viva Rio durante a tarde. As armas recebidas eram levadas para uma mesa no pátio, e policiais, representantes da ONG e políticos se alternaram com a marreta de ferro, mirando para inutilizar as armas.

O chefe da assessoria jurídica da Ceasa, Luciano Alvarenga, diz que a empresa estatal aproveitou a campanha para se desfazer de 78 armas – entre revólveres, pistolas e espingardas – da época em que ainda fazia parte de sua própria segurança, hoje toda terceirizada.

“Apesar da boa vontade da Polícia Federal, os trâmites anteriores eram extremamente burocráticos, tinha que preencher guias, recolher documentos. Esse é um sistema muito mais ágil e simplificado”, afirma ele.

Cerca de dez familiares e amigos das vítimas da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, participaram da inauguração da campanha para marcar sua adesão à causa.

Inês Moraes da Silva, de 47 anos, vestia uma camiseta com a estampa da foto do filho, Igor, sorridente e vestindo uma camisa do Flamengo. Aos 13 anos, ele foi uma das 12 crianças assassinadas na escola um mês atrás. Inês diz esperar que o número de armas em circulação diminua.

“Através de uma arma dessas que o meu filho morreu. Se o homem não tivesse uma arma na sala, ele podia até bater, empurrar, mas o meu filho não ia morrer. Ele ia correr”, diz.

Nova campanha de desarmamento promete indenização ágil e anonimato

BBC/Foto: Divulgação

O Ministério da Justiça lançou a nova Campanha Nacional de Desarmamento nesta sexta-feira, com a promessa de inutilizar as armas no ato da entrega, acelerar a indenização e assegurar anonimato aos voluntários.

O início da campanha foi antecipado em um mês em reação à tragédia de Realengo, onde um atirador matou 12 crianças nas salas de aula de uma escola municipal, há um mês. O atirador usou armas obtidas no mercado ilegal, e o crime reacendeu o debate sobre o desarmamento e o controle ao tráfico de armas no país.

Segundo o grupo Viva Rio, cerca de 35 parentes das vítimas foram ao lançamento, no Palácio da Cidade, para marcar sua adesão à campanha. A solenidade contou com a presença do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do governador do Rio, Sérgio Cabral, e do prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes. A campanha envolve as instâncias federal, estadual e municipal.

“Nesta campanha, as principais novidades são que o cidadão não precisa dar nenhuma informação a seu respeito, e a arma receberá marretadas na sua frente”, diz Shelley de Botton, coordenadora de comunicação do Viva Rio, uma das ONGs engajadas na campanha.

A legislação brasileira determina que apenas o Exército pode destruir armas, por isso o recurso ao “sistema da marretada” nos postos de recolhimento (polícias, delegacias, igrejas e sedes de ONGs), para inutilizá-las e dissipar dúvidas de que possam ser desviadas.

A indenização não será mais depositada na conta dos voluntários, como da última vez. “Elas receberão um voucher do Banco do Brasil e poderão retirar o dinheiro no terminal de saque de qualquer agência no país”, diz Melina Risso, diretora do Instituto Sou da Paz.

O novo procedimento é uma reação a problemas ocorridos na última campanha. A indenização varia de R$ 100 a R$ 300, de acordo com o modelo da arma, e não se estenderá à entrega de munição, como chegou a ser aventado.

Menos armas, menos crime

O objetivo da campanha é tirar armas de circulação e reduzir a taxa de homicídios no país. “Já temos vários estudos sérios mostrando que a redução do número de armas em circulação tem efeito positivo sobre a redução de homicídios”, diz Risso.

A atual campanha é a terceira realizada pelo Ministério da Justiça. Nas duas anteriores (em 2003/2004 e 2008/2009) foram entregues, respectivamente, 460 mil e 40 mil armas. No período, de acordo com o Ministério da Saúde, o número de homicídios por armas de fogo caiu 11% no país.

O Viva Rio estima que haja cerca de 16 milhões de armas no país, das quais pouco menos da metade (7,6 milhões) pertenceriam às forças de segurança do governo, e quase metade estaria em situação ilegal.

“Acreditamos que quanto menos armas estiverem circulando nas ruas e nas mãos de civis, menos mortes teremos”, afirma Botton, que começou a trabalhar no Viva Rio em 2003 e entregou, na primeira campanha, uma arma que seu marido havia recebido da família.

“A sensação foi a de estar me livrando de uma coisa que só faz o mal, porque a arma só tem uma função, que é matar”, afirma. “Algumas pessoas acreditam que uma arma pode trazer mais segurança, mas procuramos mostrar que geralmente é o contrário.”

‘Impacto nulo’

Presidente da ONG Movimento Viva Brasil, Bene Barbosa diz que a campanha “foi organizada às pressas para dar uma resposta à sociedade após Realengo” e que sua antecipação foi “oportunista”. Ele afirma que promover o desarmamento da população civil é uma maneira ineficiente de combater a criminalidade.

“Quem entrega as armas são aposentados, viúvas, gente que tem uma arma velha em casa e não sabe o que fazer com ela”, afirma. “Não são as armas que circulam entre os criminosos, as que são vendidas ilegalmente. O impacto sobre a criminalidade vai ser nulo.”

Barbosa diz que o governo não vai conseguir cumprir a garantia de anonimato a quem entregar as armas. Para transportá-las aos postos de recolhimento sem que se enquadrem no porte ilegal, as pessoas precisam preencher uma Guia de Trânsito (GT) na Polícia Federal, que pede seus dados pessoais.

Risso diz que, na campanha, as GTs dispensarão a identidade das pessoas. Porém, no site da Polícia Federal, os primeiros campos a serem preenchidos no formulário disponível de GT pedem para informar nome, RG e CPF do portador.

João Trajano Sento Sé, professor do departamento de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), diz que países como Austrália e Inglaterra tiveram exemplos bem-sucedidos de redução de número de homicídios associado a campanhas de desarmamento.

No Brasil, entretanto, ele aponta que o referendo de 2005 – quando a população civil optou pelo direito de poder adquirir armas – ainda conspira contra a capacidade de mobilização.

“Acho que campanha não emplaca, porque a mobilização do plebiscito é muito recente”, afirma. Por outro lado, ele cobra as políticas de estado na área de segurança prometidas em época de campanha pela presidente Dilma Rousseff, ainda não levadas adiante.

STF aprova por unanimidade união estável entre homossexuais

Reuters/Foto: Carlos Humberto

Ayres Britto “É tão proibido discriminar em relação ao sexo, como à respectiva opção sexual.’’

O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou na quinta-feira por unanimidade o reconhecimento da união estável para casais do mesmo sexo, o que coloca o Brasil num grupo de países que já tomaram decisões semelhantes.

Dos 11 ministros da mais alta Corte do país, dez votaram a favor, incluindo o relator Carlos Ayres Britto. Apenas o ministro Antonio Dias Toffoli se declarou impedido de votar porque atuou em uma das ações julgadas quando foi advogado-geral da União.

Os magistrados começaram na quarta-feira o julgamento de duas ações em sessão conjunta.

Uma delas foi protocolada pela Procuradoria-Geral da República, que busca o reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo como entidade familiar. A ação também pede que os mesmos direitos e deveres dos companheiros nas uniões estáveis sejam estendidos aos companheiros nas uniões entre pessoas do mesmo sexo.

A outra ação, apresentada pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, alega que o não reconhecimento da união homoafetiva contraria preceitos fundamentais como igualdade, liberdade e o princípio da dignidade da pessoa humana, todos da Constituição Federal.

Com esse argumento, a ação pede que o STF aplique o regime jurídico das uniões estáveis, previsto no Código Civil, às uniões homoafetivas de funcionários públicos civis do Rio de Janeiro.

O que está em discussão no Brasil é o reconhecimento da união estável entre homossexuais, e não o casamento, como já ocorreu em outros países.

Em julho de 2010, a Argentina se tornou a primeira nação latino-americana a autorizar homossexuais a se casarem e adotarem filhos, desafiando a oposição católica para engrossar as fileiras dos poucos países, em sua maioria europeus, que já contam com leis semelhantes.

Apenas alguns poucos países autorizam o casamento de pessoas do mesmo sexo, entre eles Holanda, Suécia, Portugal, Espanha e Canadá. Nos Estados Unidos, os homossexuais podem se casar apenas em cinco Estados e na capital Washington.

Em dezembro, uma lei aprovada pelos legisladores da Cidade do México concedeu aos homossexuais da cidade os mesmos direitos de casamento e adoção de filhos que os heterossexuais. O Uruguai autoriza casais homossexuais a adotar filhos, mas não a se casar.

Ministro do Supremo Tribunal Federal dá voto favorável à união gay

Relator Ayres Britto deu início a julgamento de ações que pedem reconhecimento de relações estáveis entre pessoas do mesmo sexo; sessão será retomada nesta quinta

Agência Estado/Foto: Dida Sampaio

Com um voto favorável a estender para os casais gays os mesmos direitos e deveres dos casais heterossexuais, o Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta quinta-feira, 5, o julgamento das duas ações que pedem que as uniões homoafetivas sejam equiparadas às uniões estáveis. O relator da ação, ministro Carlos Ayres Britto, o único a se manifestar na sessão desta quarta-feira, 4, votou pelo reconhecimento das uniões homoafetivas.

Pelo voto do ministro, os casais homossexuais teriam direito a se casar, poderiam adotar filhos e registrá-los em seus nomes, deixar herança para o companheiro, incluí-lo como dependente nas declarações de imposto de renda e no plano de saúde.

Dentre as razões para a decisão, Britto lembrou que a Constituição veda o preconceito em razão do sexo das pessoas. Além disso, afirmou que a Constituição, ao não prever a união de pessoas do mesmo sexo, não quis com essa lacuna proibir a união homoafetiva. “Nada mais íntimo e privado para os indivíduos do que a prática da sua sexualidade”, disse.

No entendimento do ministro, se a união gay não é proibida pela legislação brasileira, automaticamente torna-se permitida. E sendo permitida a união homoafetiva, ela deveria ter os mesmos direitos garantidos para as uniões estáveis de heterossexuais.

Logo depois de seu voto, por volta das 19 horas, o julgamento foi interrompido e será retomado nesta quinta, com o voto do ministro Luiz Fux. A tendência, de acordo com integrantes da Corte, é reconhecer a união homoafetiva como união estável.

Juro sobe na medida certa e indexação é problema, diz Mantega

Reuters/Foto: Molly Riley

A alta dos juros está sendo feita “na medida certa” pelo Banco Central e a inflação terminará o ano sob controle, disse nesta terça-feira (3), o ministro da Fazenda, acrescentando que o governo pretende agir para reduzir a indexação da economia.

“(O BC) está sendo criativo, está usando várias armas contra a inflação”, afirmou Guido Mantega, em audiência de quase cinco horas em comissão no Senado. “A política de juros do governo está sendo consistente, está sendo na medida certa.”

Para Mantega, parte das críticas feitas por analistas de mercado à política do governo atende a interesses de investidores.

“Temos que tomar cuidado com certos posicionamentos, porque muitas vezes o mercado está operando”, afirmou Mantega na Comissão de Assuntos Econômicos.

A autoridade monetária já elevou a taxa básica Selic três vezes neste ano, para o patamar atual de 12 por cento ao ano.

Em outros esforços para conter a demanda, o governo também anunciou corte de despesas orçamentárias de 50 bilhões de reais, aumento da taxação sobre o crédito à pessoa física e, no final do ano passado, requerimentos maiores de capital para a concessão desses financiamentos.

“Posso lhe garantir que a inflação será controlada no Brasil. Faremos todo o esforço para isso, cortaremos gastos”, disse o ministro, ressaltando que o corte de despesas é “para valer” e que a meta de superávit primário será alcançada “facilmente”.

As expectativas de inflação dos agentes de mercado medidas pelo BC, no entanto, seguem em alta há dois meses. O último levantamento mostrou expectativa de que a inflação alcance 6,37 por cento em 2011, perto do teto da meta, de 6,5 por cento.

Mantega atribuiu parte da pressão inflacionária à alta internacional dos preços das commodities. Segundo ele, o IPCA em 12 meses estaria em 4,76 por cento se não fossem considerados os preços de alimentos e combustíveis, contra os 6,30 por cento acumulados pelo IPCA em 12 meses até março.

Do lado do crescimento, o ministro também manteve um discurso otimista.

“A economia brasileira em 2011 está crescendo em torno de 4,5 por cento, é o resultado que nós esperamos para o final deste ano”, disse ele.

INDEXAÇÃO E CÂMBIO

O ministro destacou, ainda, a importância de reduzir o nível “desconfortável” de indexação da economia, começando pelos serviços. Segundo ele, um dos problema são os aluguéis, tradicionalmente corrigidos pelo IGP-M.

“Temos que dar novos passos no sentido de desindexar mais a economia. Se não, ficamos com uma inflação basal alta”, disse, sem dar detalhes mas ressaltando que a ideia não é “forçar o cidadão” a adotar outras regras de correção.

Mantega voltou a afirmar que o governo não descarta nenhuma medida para conter a valorização do real, mas afirmou que a questão exige criatividade.

“Os mercados são muito criativos, você fecha uma porta e eles vem por uma segunda porta”, afirmou, destacando especificamente o aumento recente verificado nos empréstimos obtidos por bancos no exterior.

“Nós temos fechado as portas e administrado a situação, com bastante sucesso, eu diria”, afirmou Mantega, acrescentando que a “nossa valorização não é tanto assim”.

Nos últimos 12 meses o real valorizou 9 por cento frente ao dólar. Mantega argumentou que a valorização frente ao euro tem sido menor eque o dólar vive situação particular de desvalorização global.

Dilma é diagnosticada com pneumonia, fará mais exames

Reuters/Foto: Google

A presidente da República, Dilma Rousseff, foi diagnosticada com uma pneumonia durante o final de semana e está sendo tratada com antibióticos em São Paulo, informaram um assessor do Palácio do Planalto e o hospital Sírio-Libanês .

Ela, que é sobrevivente de um câncer, deu entrada no hospital paulista no sábado, após vários dias com sintomas de gripe forte, informou o assessor Rodrigo Baena.

Dilma cancelou inclusive sua participação no World Economic Forum do Rio de Janeiro na sexta-feira porque se sentiu mal, disse o asssessor à Reuters na tarde de domingo.

Mais tarde, o hospital Sírio-Libanês, um dos mais renomados da capital paulista, divulgou um comunicado à imprensa sobre a situação da mandatária .

“A Presidenta Dilma Rousseff há alguns dias iniciou quadro gripal e, como estava prevista avaliação clínica rotineira para a próxima sexta-feira, a mesma foi antecipada para este final de semana”, afirmou a assessoria de imprensa do hospital em comunicado.

“A Presidenta foi submetida a uma série de exames, incluindo tomografias, e detectou-se um foco de pneumonia”, acrescentou.

O hospital acrescentou que ela está sendo “tratada com antibióticos e acompanhada pela equipe médica” coordenada por Roberto Kalil Filho, David Uip, Yanna Novis, Paulo Hoff, Raul Cutait, Carlos Carvalho e Milberto Scaff.

A agenda da presidente, divulgada na última sexta-feira, indicava que ela passaria o final de semana em Brasília, mas seu assessor afirmou que ela já passou a noite de sábado no hospital paulista, e deveria ficar na cidade pela segunda noite no domingo para realizar exames adicionais.

Dilma revelou em abril de 2009 que estava realizando um tratamento para remover um linfoma, um câncer no sistema linfático, em estágios iniciais na época. Ela se submeteu ao tratamento com quimioterapia por quatro meses.

Em pronunciamento, Dilma promete “jogo duro” contra inflação

Reuters/Foto: Roberto Stuckert Filho

A presidente Dilma Rousseff voltou a dizer nesta sexta-feira que não medirá esforços para controlar a inflação, em pronunciamento em cadeia nacional comemorativo ao Dia do Trabalho, no próximo domingo. Ela também reiterou seu compromisso de erradicar a miséria.

Dirigindo-se aos trabalhadores, Dilma afirmou que garantir o poder de compra é tão importante quanto gerar empregos e que não abrirá mão de fazer o necessário contra a inflação.

“Garantir o poder de compra do salário significa jogar duro contra a inflação. Esse é um dos fundamentos da nossa política econômica e dele jamais abriremos mão”, disse a presidente no pronunciamento de dez minutos transmitido pela TV.

Dilma reiterou que o governo está atento “aos mínimos detalhes” da economia do país e que busca “na hora certa, soluções para os problemas”. Ela citou, assim como fez durante o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, na última terça-feira, a situação econômica mundial.

“Assim como fomos um dos países que melhor reagiu à crise financeira internacional, estamos preparados para enfrentar as pressões inflacionárias que rondam, no momento, a economia mundial”, disse.

Como desafios para o crescimento em curso no Brasil, Dilma enumerou o combate aos gargalos da infraestrutura, às distorções do sistema tributário e à necessidade de especialização da mão-de-obra. Com a solução desses pontos, o crescimento será realizado de forma “harmônica” e “sustentável”, acredita a presidente.

“Feliz de um país que está alerta e tem instrumentos para responder, sem titubear, a cada um desses desafios”, afirmou.

Também citou a necessidade da melhora dos gastos públicos. No começo do ano, o governo federal anunciou um corte no Orçamento de 50 bilhões de reais, na linha definida pela presidente de “fazer mais e melhor com menos recursos”.

Em recado aos trabalhadores, assegurou que manterá a política de valorização do salário mínimo, aprovada em fevereiro. Ao mencionar programas de especialização de mão-de-obra, lançados pelo governo, fez uma citação à classe média, que vem sendo foco de polêmica entre o seu partido, o PT, e a oposição representada pelo PSDB.

“São iniciativas (os programas) que demonstram o compromisso especial que nosso governo tem com os pobres e com a classe média. Com os pobres, para garantir que subam na vida. Com a classe média, para garantir que seu padrão de vida melhore ainda mais”, explicou.

Dilma afirmou ainda que programas de infraestrutura –como o Minha Casa, Minha Vida e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)– serão mantidos, “sem interrupções” e anunciou que pretende lançar, “nas próximas semanas”, o Programa Brasil Sem Miséria, que irá integrar recursos para programas sociais do governo.

Novo protesto com gasolina no mastro da bandeira

Agência Estado/Foto: Wilson Dias

Três homens que se dizem ex-soldados da Aeronáutica subiram no mastro da bandeira localizada na Praça dos Três Poderes, em Brasília, para protestar na manhã desta quarta-feira contra a recusa daquela força em readmiti-los. Demitidos entre 1994 a 2001, eles colocaram uma faixa no mastro afirmando portar três litros de gasolina, supostamente para atear fogo à bandeira, o que levou à movimentação no local de policiais e bombeiros.

Protesto semelhante ocorreu no dia 13, quando Paulo Sérgio Ferreira, 38 anos, subiu no mastro de 110 metros e pôs fogo em parte da bandeira. Ainda não se sabe extamente contra o quê protestava, já que suas declarações ao descer pareceram bastante confusas: disse que se “sentia perseguido”. Na ocasião, o manifestante subiu com dois galões de combustível.

Logo depois do episódio, o delegado da Polícia Federal Laércio Rosseto informou que o homem responderia pelo crime de dano ao patrimônio público, segundo publicaram vários órgãos de imprensa.

Desde segunda-feira (25), a Praça dos Três Poderes convive com o protesto conduzido pela Associação dos ex-Soldados Especializados da Aeronáutica (Anece), que reivindica a readmissão de 13 mil soldados. Em insistente buzinaço, os ex-soldados têm se postado de manhã até à noite em frente ao Palácio do Planalto.

Sobe para R$ 11 mil recompensa por suspeita de matar dois maridos no RJ

G1/Foto Divulgação

‘Viúva-negra’, como é conhecida, foi condenada a mais de 19 anos de prisão. Advogada é suspeita de quatro homicídios e duas tentativas de homicídio.

A recompensa por informações que levem à prisão da advogada Heloísa Gonçalves Duque Soares Ribeiro, acusada, entre outros crimes, de matar dois maridos, no Rio, subiu nesta segunda-feira (25) de R$ 2 mil para R$ 11 mil. As informações foram confirmadas pelo Disque-Denúncia. Segundo a central, a advogada também é suspeita de estelionato.

Heloísa ficou conhecida como “viúva-negra” por causa dos vários crimes de que é acusada: quatro homicídios e duas tentativas de homicídio. Ela também já assinou como Heloísa Saad e Heloísa Borba Gonçalves. A viúva-negra é uma espécie de aranha cuja fêmea mata o macho após a cópula.

Ainda de acordo com o Disque-Denúncia, a advogada foi condenada a mais de 19 anos de prisão pela 19ª Vara Criminal. A recompensa aumentou, segundo a central, devido à falta de informações e da periculosidade da criminosa.

A recompensa será paga somente por informações passadas exclusivamente ao Disque-Denúncia. Quem tiver qualquer informação que auxilie nas investigações e ajude a Polícia a localizar e prender Heloísa, pode ligar para o Disque-Denúncia através do telefone (21) 2253-1177. O serviço funciona 24 horas e garante o anonimato.

Maridos e namorados eram alvos

Em uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que lhe negou um pedido de habeas corpus em 2009, está o resumo do histórico de crimes da advogada já registrados na Justiça. Ela foi denunciada pela morte de Jorge Ribeiro, um dos maridos; é a principal suspeita da morte do ex-namorado Wargih Murad, que descobriu seu passado suspeito, e do pedreiro que o acompanhava na ocasião; é acusa ainda de tentar matar o filho de Wargih, Elie Murad, e de mandar matar o detetive por ele contratado para investigar a morte do pai, Luiz Marques da Mota.

Ainda de acordo com o STF, Heloísa teve um marido, Irineu Duque Soares, assassinado em 1983, em Magé, meses depois de ter se casado com ela, com pacto nupcial de comunhão total de bens. Na época, após seu depoimento à delegacia, o crime foi registrado como latrocínio.

O documento afirma ainda que um de seus companheiros e pai de alguns de seus filhos, Carlos Pinto da Silva, chegou a ser denunciado por crimes patrimoniais junto com Heloísa e acabou sofrendo uma tentativa de homicídio durante uma viagem com ela a Salvador. Na época, ele chegou a acusá-la de ser a responsável pelos tiros que o atingiram. A viúva-negra já foi denunciada também por fraude do INSS.

Bígama, tentou registrar o mesmo filho com dois pais

Heloísa já foi condenada por bigamia. Quando era casada com o militar Jorge Ribeiro, casou-se, ao mesmo tempo, com o comerciante aposentado Nicolau Saad, que morreu pouco tempo depois. Com idade avançada, sua morte foi tida como natural. Ela passou, então, a usar uma antiga procuração do marido para transferir imóveis do falecido e acabou condenada por falsidade ideológica.

Enquanto mantinha os dois relacionamentos, Heloísa engravidou e, segundo o Tribunal de Justiça do Rio, induziu os dois a registrarem a criança. Em 1992, Jorge Ribeiro foi assassinado a pauladas, com as mãos amarradas, em uma sala comercial de propriedade dele, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Heloísa, que estava separada de Ribeiro, é acusada de ser a mandante, ajudar na execução do crime e facilitar a fuga do assassino. O motivo do assassinato seria os bens da vítima.


Copom eleva Selic em 0,25 ponto e sinaliza mais alta

Reuters/Foto: Bruno Domingos

BRASÍLIA – O Comitê de Política Monetária reduziu o ritmo de alta da Selic, ao elevá-la em 0,25 ponto nesta quarta-feira (20), para 12 por cento ao ano, mas indicou que o ciclo de aumentos pode continuar.

Num comunicado longo, o colegiado do BC fez um breve balanço do cenário macroeconômico, incluindo o internacional, para justificar a decisão.

“Dando seguimento ao processo de ajuste das condições monetárias, o Copom decidiu elevar a taxa Selic para 12 por cento, sem viés” informou o Copom em nota.

“Considerando o balanço de riscos para a inflação, o ritmo ainda incerto de moderação da atividade doméstica, bem como a complexidade que ora envolve o ambiente internacional, o comitê entende que, neste momento, a implementação de ajustes das condições monetárias por um período suficientemente prolongado é a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta em 2012″, completa a nota.

Os dois votos dissidentes defenderam uma alta de 0,50 ponto percentual, ritmo de aperto que o Copom havia aplicado nas duas primeiras reuniões deste ano.

Pesquisa Reuters realizada na semana passada mostrou o mercado dividido. De 26 economistas consultados, 14 esperavam um ajuste de 0,5 ponto contra 11 de 0,25 ponto. Apenas um economista ouvido esperava manutenção do juro básico.

No mercado de renda fixa, entretanto, as apostas num aperto menor cresceram nesta semana.

Vale está próxima de ser sócia em Belo Monte, diz fonte

Reuters/Foto: Google

BRASÍLIA – A Vale está próxima de fechar negócio para ser sócia no projeto da usina hidrelétrica de Belo Monte, disse à Reuters uma fonte do Norte Energia, empresa responsável pela hidrelétrica.

Segundo essa mesma fonte, a tendência é de que a Vale fique, sozinha, com os 9 por cento do projeto que pertenciam à Gaia Energia, empresa do grupo Bertin que anunciou, em fevereiro, que sairia do empreendimento.

“A operação deve ser fechada em, no máximo, 30 dias”, disse a fonte, que falou sob a condição de anonimato.

Procurada, a Vale declarou, por meio de sua assessoria de imprensa, que continua analisando o projeto, mas não tem informações adicionais.

Se for confirmada a operação, a Vale entraria na sociedade na condição de autoprodutora, o que significa que ela pode usar parte da energia da usina –até os mesmos 9 por cento da participação societária– em instalações próprias.

A usina, que será instalada no rio Xingu, no Pará, terá potência de 11,2 mil megawatts, o que fará dela a terceira maior do mundo, atrás de Itaipu (divisa do Brasil com Paraguai) e Três Gargantas (China).

No início de março, uma fonte afirmou à Reuters que ao menos quatro grupos estariam mais avançados nas negociações para entrar no projeto.

“É difícil frear a inflação e segurar o dólar.”, diz Mantega

 Reuters/Foto: Wikimedia Commons

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, defendeu nesta quinta-feira (14),o acerto da estratégia do governo para mitigar a valorização do real, mas admitiu que combinar isso com o combate a inflação é difícil.

Mantega negou que esteja tomando medidas em “conta-gotas” e falou que um exagero poderia ser danoso.

“Você não explode uma bomba nuclear porque se não os efeitos colaterais são piores que a medida em si”, disse à Reuters antes das reuniões do G20 e do Fundo Monetário Internacional. “Temos tomado medidas severas.”

As declarações vêm num momento em que os índices de inflação se aproximam do teto da meta fixada pelo Banco Central para 2011, de 6,5 por cento, enquanto o dólar segue numa trajetória cadente frente ao real.

Segundo o ministro, sem as medidas tomadas pelo governo no câmbio, o dólar poderia estar agora entre 1,35 e 1,40 real –nesta quinta, a moeda norte-americana fechou a 1,580 real.

“Não é fácil conseguir conter a inflação, o que significa aumentar os juros, e ao mesmo tempo tomar medidas para conter a valorização do real”, disse o ministro. “Mas acho que temos conseguido.”

Na semana passada, o governo dobrou para 3 por cento a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente nas operações de crédito ao consumo, em mais um esforço para tentar desacelerar a economia.

Em dezembro, o BC havia adotado medidas macroprudencias com o mesmo objetivo. Segundo Mantega, elas estão funcionando. Em outra frente, o BC elevou o juro básico em 1 ponto percentual. Na semana que vem, os diretores do órgão devem adotar um aumento entre 0,25 ponto e 0,5 ponto, segundo estimativa do mercado.

O receio do governo e de vários economistas é de que juro mais alto intensifique a entrada de dólares no país que tem valorizado o real e prejudicado setores da economia brasileira.

De acordo com Mantega, é preferível aumentar a taxação sobre a entrada de dólares do que impor restrições mais severas, como uma quarentena. Ele disse que o Brasil continua querendo capital de longo prazo.

China investirá R$ 18,9 bilhões em produção de telas para iPad e celulares no Brasil

BBC/Foto: APF

A presidente Dilma Rousseff anunciou na China um projeto de investimento na área de tecnologia da informação no Brasil pela Foxconn de US$ 12 bilhões (cerca de R$18,9 bilhões) em seis anos.

O investimento seria para a produção de telas usadas em equipamentos como celulares de terceira geração e iPads. A Foxconn é o maior fornecedor de produtos da Apple na China.

Se o investimento for concretizado, a fábrica será primeira do tipo do Hemisfério Ocidental.

Dando mais detalhes sobre o projeto, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloízio Mercadante, disse que o investimento vai gerar 100 mil empregos, entre eles para 20 mil engenheiros. Além disso, a Foxconn, que ainda não escolheu local para o investimento no Brasil, construiria uma ” cidade do futuro” para 400 mil pessoas, onde seria instalada a fábrica.

“Precisa de fibra ótica, infraestrutura, banda larga. É algo extremamente sofisticado”, disse Mercadante, listando parte do que o governo ainda precisaria fazer.

Investimento

O governo destacou agora uma comissão que vai se dedicar a negociar os detalhes com a gigante de alta tecnologia.

Ele destacou ainda que o acordo para o investimento inclui pontos fundamentais para o governo como transferência de tecnologia e sócio brasileiro (o que ainda não foi definido). Este sócio entraria com parte dos recursos, mas, segundo o ministro, a Foxconn está disposta a investir “pesado”.

O volume de investimento prometido pela Foxconn, que seria distribuído ao longo de um período, equivale a quase o total de investimentos da China no Brasil em todo o ano de 2010, quando o país, segundo levantamento da entidade americana Heritage Foundation, que acompanha o destino final dos investimentos chineses, recebeu cerca de US$ 13 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões) de investidores diretos vindos da China.

A maior parte desses investimentos, 85%, foram para áreas de recursos naturais, como petróleo e mineração.

Comemoração

A promessa de investimento da Foxconn foi comemorada pelo governo como mais um êxito na tentativa de atrair para o Brasil investimentos para a geração de maior valor agregado.

A presidente citou ainda os investimentos, também no ramo da tecnologia da informação, da Huawei e da ZTE, entre US$ 300 milhões (R$ 473 milhões) e US$ 400 milhões (R$ 630 milhões) e também um investimento de US$ 300 milhões (R$ 473 milhões) na construção de uma planta de processamento de soja na Bahia.

A presidente comemorou também o documento assinado por ela e pelo presidente chinês, Hu Jintao, que assume o compromisso de tentar atender à principal demanda do Brasil nesta viagem: a diversificação da relação entre Brasil e China.

Em dois discursos, antes de se encontrar com Hu Jintao, Dilma Rousseff destacou a necessidade de se iniciar um novo capítulo na relação com a China com investimentos em áreas que agreguem valor à cadeia produtiva brasileira e mais abertura no mercado chinês a produtos brasileiros que não sejam apenas commodities.

Em um de seus discursos, no seminário empresarial do qual participou, a presidente chegou a dizer que nenhum país pode alcançar a prosperidade à custa de outros.

O comunicado conjunto, assinado pelos dois presidentes, faz várias referências – menos incisivas – à questão.

“A parte chinesa manifestou disposição de incentivar suas empresas a ampliar a importação de produtos de maior valor agregado do Brasil”, diz o documento.

Na área de investimentos, o memorando diz que os dois lados “comprometeram-se a ampliar e a diversificar investimentos recíprocos em particular na indústria de alta tecnologia, automotiva, nos setores de energia, mineração, logística, sob forma de parcerias entre empresas chinesas e brasileiras”. Também falaram da importância de “estratégias comuns para agregar valor a produtos alimentares agrícolas”.

Se na busca por mais equilíbrio na relação entre os dois países houve avanços, pelo menos nas promessas expressas pelo documento, em outros pontos importantes da relação bilateral, não houve novidades.

Questão pendente

O Brasil não reconheceu o status da China como economia de mercado, uma questão pendente, desde que o governo Lula prometeu o reconhecimento do status em 2004. Entre analistas chineses, havia expectativa de que, com uma solução para o caso da Embraer na China, o Brasil cedesse e pudesse mudar a posição de protelar o reconhecimento oficial.

Um acordo permitiu que a Embraer mantivesse sua fábrica em Harbin, na China, após conseguir licença do governo para produzir no país jatos executivos Legacy, que não competem com o objetivo do governo chinês de desenvolver seu próprio avião comercial de grande porte. O plano inicial da Embraer era produzir jatos comerciais de 100 lugares no país.

O documento dos dois governos, no entanto, diz que ” a parte brasileira reafirmou o compromisso de tratar de forma expedita a questão do reconhecimento da China como economia de mercado”.

Do lado chinês, não houve apoio explícito à candidatura do Brasil a uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU em uma eventual reforma da organização.

A diplomacia brasileira, no entanto, interpretou como um bom sinal palavras presentes no texto como “A China atribui alta importância à influência e ao papel que o Brasil, com maior país em desenvolvimento do Hemisfério Ocidental, tem desempenhando em assuntos regionais e internacionais, e compreende e apoia a aspiração brasileira de vir a desempenhar papel mais proeminente nas Nações Unidas”.

A questão do direitos humanos mereceu uma menção curta no texto ao falar da possibilidade de um diálogo e intercâmbio de experiências. Segundo Dilma, o texto seguiu modelo semelhante ao do último memorando do Brasil com os Estados Unidos.

Respondendo a uma última pergunta na entrevista coletiva de imprensa sobre o assunto, a presidente disse que “todo país tem problema de direitos humanos. Nós temos problemas de direitos humanos”.

O documento prevê ainda a ida de uma missão empresarial chinesa ao Brasil no primeiro semestre de 2011 para, segundo o comunicado, promover a diversificação do comércio bilateral e investimento recíproco.

Dilma Rousseff e a delegação brasileira, que ficam na China até sábado, assinaram mais de 20 acordos de cooperação em diversas áreas.

Bono Vox se encontra com Mantega e Lula

Agência Estado/Foto: Divulgação/ Ernesto Rodrigues

SÃO PAULO – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, se reuniu por cerca de 20 minutos, durante o fim da tarde, com o vocalista da banda U2, Bono Vox, no escritório do ministério na capital paulista. A imprensa não teve acesso ao encontro, que somente foi registrado por fotógrafos e cinegrafistas durante menos de 2 minutos. A assessoria de imprensa do Ministério da Fazenda informou, antes da reunião, que os dois conversariam sobre os programas sociais de combate à pobreza adotados pelo Brasil.

O U2 está na América do Sul para apresentar sua nova turnê, “360º”. Os irlandeses já fizeram apresentações em São Paulo, sábado e domingo, no Estádio do Morumbi. Eles voltarão a se apresentar na quarta-feira no mesmo local.

Encontro com Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também se encontrou com o vocalista da banda U2, Bono Vox. Segundo a assessoria de imprensa do ex-presidente, a conversa sobre desenvolvimento econômico e projetos de combate à pobreza na África durou duas horas.

Lula e Bono se encontraram às 14h no Hotel Sofitel. De acordo com a assessoria de Lula, foi o cantor que solicitou o encontro. Durante a reunião, Bono teria elogiado a experiência do Brasil no combate à pobreza e propôs que as políticas sociais brasileiras sejam levadas para o continente africano. Bono estaria interessado em promover trabalhos em conjunto com o futuro Instituto Lula. Em 2006, Bono doou a Lula uma guitarra para o programa Fome Zero.

Na sexta-feira, a banda se encontrou com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Alvorada também para falar sobre combate à miséria.

Bono lamenta tragédia em escola do Rio em vista a Dilma

Reuters/Foto: Ueslei Marcelino

BRASÍLIA – Em visita à presidente Dilma Rousseff no Palácio da Alvorada nesta quinta-feira, o líder da banda U2, Bono, lamentou a tragédia ocorrida em uma escola no Rio de Janeiro em que 12 crianças foram mortas.

“Ela (Dilma) está muito triste, nós todos estamos muito tristes”, disse o músico a jornalistas após o encontro.

Bono, que visitou com a presidente e outros integrantes da banda a capela do Palácio, fez orações pelas vítimas do massacre no Rio.

Um homem armado invadiu na última quinta-feira uma escola municipal no bairro de Realengo (zona oeste), abriu fogo e matou 12 alunos, deixando outros 12 feridos. O autor dos disparos se suicidou após o ataque.

Bono, que também atua em causas humanitárias por meio da Fundação One, conversou com Dilma sobre o combate à pobreza extrema, uma das bandeiras da presidente. O ativista disse ainda que todo presidente deveria priorizar o combate à miséria.

“O mundo tem muito o que aprender sobre o que vocês fizeram no Brasil e é por isso que vim aqui”, disse o músico.

O vocalista do U2 conversou ainda com a presidente Dilma sobre as ações de combate à Aids, o tema corrupção e sobre a lei da Ficha Limpa. A lei, aprovada no ano passado pelo Congresso, impede a candidatura de políticos condenados por órgãos colegiados ou que tenham renunciado ao mandato para evitar cassação.

O ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, e a ministra da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas, também participaram da visita da banda.

Antes do grupo chegar ao Alvorada, já havia fãs aglomerados na entrada do Palácio. Ao sair, o líder da banda conversou com jornalistas, com fãs e distribuiu autógrafos.

A banda faz show neste domingo em São Paulo.

Em 2006, Bono doou ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma guitarra para o programa Fome Zero.

Dilma chora ao falar do massacre e policial lamenta

Agência Brasil/Foto: Sérgio Lima

A presidente Dilma Rousseff seguiu ontem à noite para o Rio de Janeiro para acompanhar, hoje (8), o velório das crianças assassinadas por uma atitador.

Dilma disse que o país passa por um momento de “sentimento e repúdio” após o assassinato das crianças. Mais cedo, a presidente se emocionou e pediu um minuto de silêncio como homenagem às vítimas.

“Este é um país que sempre teve relação de grande carinho cultural pelas crianças”, disse Dilma, durante encontro com o movimento das mulheres atingidas por barragem.

A presidente cumprimentou as crianças que estavam na plateia e afirmou que o governo investirá em políticas para a construção de creches.

MILITAR LAMENTA

Os primeiros socorros às vítimas da Escola Municipal Tasso da Silveira foram dados pelo sargento da Polícia Militar Márcio Alves, de 38 anos. O policial lamentou não ter chegado cinco minutos antes no local do crime para evitar a tragédia. “Estou com o dever cumprido por ter evitado que ele chegasse ao terceiro andar, onde poderia matar mais crianças”, afirmou Alves. “Mas se tivesse chegado cinco minutos antes, teria evitado outras mortes.”

Governo amplia cobrança de IOF para empréstimo no Exterior de até dois anos

Medida busca conter queda do dólar no país

Agência Estado/Foto: Renato Araújo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou hoje a ampliação da cobrança de 6% do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os empréstimos de bancos e empresas brasileiras no exterior com prazos inferiores a 720 dias.

Na semana passada, o governo havia tornado a cobrança obrigatória para as operações inferiores a 360 dias.

— O objetivo é reduzir o ingresso de dólares no País e evitar uma valorização excessiva do real — afirmou Mantega.

Segundo ele, a medida vale para os empréstimos tomados a partir de amanhã. Mantega ressaltou que empresas e bancos que tomarem crédito a prazos mais longos, por exemplo, de dois anos e meio ou três anos, não pagarão IOF.

— Essa medida é para desencorajar a tomada de crédito no exterior a prazos mais curtos. Hoje as empresas que tomam (crédito) para investimentos tomam a prazos mais longos e queremos atingir principalmente as empresas que fazem arbitragem —completou.

Economia: Para ser um grande investidor você deve saber em primeira mão o que acontece no mundo dos negócios. Envie INFOCEL para 46956 e saiba a cotação diária da Ibovespa e os valores do dólar. O custo por mensagem recebida é R$ 0,31 mais impostos para todas as operadoras.

Dilma cobra pressa na execução das obras para a Copa

Agência Estado/Foto: Divulgação

O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse hoje (5) na Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados que a presidenta da República, Dilma Rousseff, chamará os prefeitos das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e os respectivos governadores para uma conversa sobre o andamento das obras para a competição. Segundo Silva, a reunião deve acontecer após a viagem da presidenta à China, entre os dias 12 e 15 de abril. “Dilma também anunciará inovações no sistema aeroportuário”, adiantou ele.

O ministro disse que as obras são motivo de preocupação. Segundo ele, “70% dos projetos e 85% dos recursos [previstos] são de obras que devem começar em 2011″. Silva disse que o compromisso com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) é concluir todos os estádios até dezembro de 2012.

As 12 cidades que receberão os jogos da Copa do Mundo do Brasil, em 2014, são Riode Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Recife e Salvador.

Agência de risco aumenta classificação do Brasil em um grau

BBC/Foto: Google

Guido Mantega diz que economia do país está mais sólida.

A agência de classificação de risco Fitch Ratings elevou em um grau a nota do Brasil, que passou de BBB- para BBB. Agora, o país está a oito graus da nota máxima, que é AAA.

Segundo a Fitch, quanto maior é a nota de um país, mais seguro ele é considerado pela agência para os investidores externos.

Como justificativa para o aumento da nota, a Fitch afirma que o Brasil tem um potencial de crescimento econômico sustentável entre 4% e 5%.

Além disto, a agência diz que o país continua fortalecendo a sua posição de liquidez externa, aumentando a sua “capacidade de absorção de choques”.

“O governo de (Dilma) Rousseff mostrou sinais de um maior contenção fiscal, o que, ao lado de perspectivas saudáveis de crescimento, deve viabilizar uma queda no ônus da pesada dívida pública do Brasil”, afirma o comunicado da Fitch.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a elevação da nota do Brasil é um reconhecimento de que a economia do país está mais sólida.

Mantega admitiu que esta melhora na classificação pode trazer mais dólares ao Brasil, o que desvalorizaria ainda mais a cotação da moeda americana em relação ao real – algo que o governo tem tentado evitar, com o objetivo de aumentar as exportações.

“Mas é melhor ter esse problema de excesso de dólares do que o problema que tínhamos no passado de falta de dólares”, afirmou o ministro, segundo a Agência Brasil.

Mantega também afirmou que novas medidas podem ser tomadas para conter a entrada excessiva de dólares no Brasil.

Consórcio Rafale faz parceria com empresas mineiras

Agência Estado: Foto Divulgação

O consórcio Rafale International assinou hoje, durante seminário na Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), quatro acordos com empresas mineiras e com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para treinamento de pessoal e desenvolvimento e transferência de tecnologia aeronáutica. As parcerias são parte da estratégia do grupo francês de conquistar, com apoio do empresariado, a preferência do governo na renovação da frota da Força Aérea Brasileira (FAB).

O consórcio, formado pela Dassault Aviation, Snecma e Thales, disputa com a sueca Saab, fabricante do Gripen NG, e com a norte-americana Boeing, que produz os caças FA-18 Hornet, uma licitação avaliada em ao menos US$ 4 bilhões para as aquisições, que podem ultrapassar 100 aeronaves.

Uma das parcerias foi firmada entre a empresa IAS, da capital mineira, e a Snecma, para treinamento em manutenção de motores de jatos. A IAS é uma das empresas que participa do esforço do governo mineiro de criar um polo aeronáutico próximo ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte.

“Levaremos o pessoal da IAS para a fábrica francesa e, depois, técnicos da França virão ao Brasil fazer o treinamento. Vamos passar à IAS toda a manutenção dos motores dos Rafales, caso eles sejam escolhidos pelo Brasil”, disse Jean Marc Merialdo, diretor da Dassault Aviation no Brasil.

Outra carta de intenção foi assinada pela Dassault e a CSEM Brasil, instituição privada sem fins lucrativos especializada em micro e nanotecnologia. A parceria com os franceses terá o objetivo de desenvolver microssistemas para transmissão de dados e sensores sem fio, entre outros, para as aeronaves. Os dispositivos serão feitos com base na tecnologia Low Temperature Co-fired Ceramics (LTCC), que usa cerâmica de alta resistência nos sistemas. “Esperamos contribuir com nossa experiência no desenvolvimento de soluções estratégicas”, declarou o diretor da CSEM, Tiago Alves.

Já a UFMG firmou parceria com a Snecma e a Dassault para o desenvolvimento de tecnologias aeronáuticas, de motores e de biocombustíveis para aviação, além de intercâmbio de estudantes. “Vale a apena investir em relacionamento de longo prazo com a universidade, que já tem premissas de desenvolvimento técnico aeronáutico de qualidade”, avaliou Merialdo, referindo-se às pesquisas já desenvolvidas pela instituição.

Os acordos de ontem se juntam a outros 63, firmados pelo consórcio com 40 empresas, para o desenvolvimento de projetos e capacitação de pessoal. Segundo o representante do grupo francês, os acordos foram feitos com a perspectiva de que o Brasil opte pela compra do Rafale, “mas nada impede que sejam mantidos mesmo que o governo escolha outro concorrente”.

Em fevereiro, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou que, mesmo com o corte de R$ 50 bilhões no orçamento da União, o governo pode anunciar ainda neste semestre qual será o fornecedor das aeronaves. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já havia declarado preferência pelos franceses, enquanto a Aeronáutica avaliou as aeronaves da Boeing como melhor opção. “Mudança de governo não significa mudança de posicionamento estratégico dos concorrentes. Mudaram as pessoas que vão avaliar as ofertas. As vantagens que cada um oferece são as mesmas”, concluiu Merialdo.

Adolescente foi morta por desfazer venda do filho

Bem Paraná /Foto: Giovani Santos

Eva confessou o crime

A polícia paranaense elucidou o homicídio da adolescente Paloma dos Santos Agostinho e o sequestro do seu filho recém-nascido. Segundo o delegado Gil Rocha Tesserolli, de São José dos Pinhais, a suspeita Eva Cássia Ferrarezi Zeglan, 40 anos, confessou, nesta quinta-feira (31), ter levado o bebê depois de assassinar a adolescente. A polícia investiga se a mulher iria ficar com a criança, como afirmou no depoimento.

O delegado Hamilton da Paz, chefe da Divisão Metropolitana, ressaltou o trabalho conjunto das delegacias de Guaratuba, São José dos Pinhais e Foz do Iguaçu, que tornou possível a rápida elucidação do crime. “Os delegados e policiais agiram com muita rapidez e eficiência. Também foi fundamental a ação da recém-criada agência de inteligência da Polícia Civil, que monitorou a suspeita”.

O corpo de Paloma, de 16 anos, foi encontrado em uma estrada rural, no bairro Rio Pequeno, em São José dos Pinhais, no sábado (26). O bebê foi deixado, na tarde de terça-feira (29), na Igreja Nossa Senhora de Fátima, em Guaraniaçu, no Oeste do Estado.

Junto à criança foi encontrado um bilhete, informando que o recém-nascido havia sido vendido por R$ 1,5 mil e que a mãe havia sido deixada com vida pelo suposto casal que tinha a intenção de cuidar do bebê. Porém, em seu depoimento, Eva admitiu ter deixado o bebê na igreja e escrito o bilhete com informações falsas, na tentativa de despistar a polícia.

Conforme levantamento da polícia, Eva tinha uma casa vizinha à da mãe de Paloma, em Guaratuba, e assediou a jovem para que lhe vendesse a criança por R$ 1.500. Eva levou Paloma e o bebê ao hospital para o teste do pezinho e depois os trouxe a São José dos Pinhais, onde daria o dinheiro a Paloma.

“Ela fez empréstimo bancário para conseguir a quantia. Paloma, no entanto, se arrependeu e quis desfazer o trato. As duas brigaram e Eva sufocou e enforcou a adolescente com um pano e depois se desfez do corpo”, descreveu o delegado.

Em seguida, a suspeita voltou a Guaratuba, apanhou os filhos, retornou a São José dos Pinhais e viajou para Foz do Iguaçu. No caminho, deixou o bebê em Guaraniaçu. Eva foi presa em companhia de três filhos, em Santa Terezinha de Itaipu, na quarta-feira (30). No momento da prisão, a polícia encontrou no carro que ela dirigia a certidão de nascimento do bebê, documentos de identidade dos pais, fraldas, mamadeiras e roupas.

Dilma diz que conseguirá dar “salto maior ainda” que Lula

Reuters/Foto: Ueslei Marcelino

A presidente Dilma Rousseff prometeu nesta segunda-feira, em Belo Horizonte, honrar a herança deixada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a seu governo, que segundo ela tem condições de dar um salto ainda maior do que o dado pelo seu antecessor.

“Eu tenho certeza que o nosso país está num momento muito especial. Eu recebi um país diferente. Eu recebi um país, através da política do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que eu tive a honra de suceder, em condições de dar um salto maior ainda do que o presidente Lula conseguiu dar no seu governo”, disse a presidente ao lançar o programa Rede Cegonha na capital mineira.

“Ele me legou essa herança, e vocês podem ter certeza, eu vou honrar essa herança que eu recebi”, afirmou Dilma.

A presidente, que ficou cerca duas horas na capital mineira, lançou o programa que tem como meta aumentar a qualidade da assistência pública prestada às gestantes de baixa renda desde o início da gravidez até os 2 anos da criança.

A agenda corrida — Dilma deve embarcar ainda nesta segunda para Portugal — levou a presidente a trocar o encontro reservado que teria com o governador mineiro, Antonio Anastasia (PSDB), por uma “reunião” em trânsito. Anastasia acompanhou Dilma no carro da presidência na chegada e na partida da presidente de volta para Brasília.

APROXIMAÇÃO

A escolha da capital mineira para o lançamento do Rede Cegonha foi estratégica. Minas é a terra natal de Dilma, mas foi Marina Silva quem venceu as eleições na cidade. Nos bastidores, a informação é que a petista, em clima de lua de mel com o opositor Anastasia, sente necessidade de aumentar a presença no Estado.

É a segunda vez em menos de dez dias que Dilma viaja a Minas. Na semana passada, ela esteve em Uberaba, no Triângulo Mineiro, para o anúncio de um investimento da Petrobras, e trocou elogios rasgados com o governador mineiro, que retribuiu à altura.

O programa terá investimento de 9,4 bilhões de reais até 2014 em uma série de medidas para ampliar os programas de pré-natal nos hospitais conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS). As medidas incluem exames rápidos e em maior quantidade, transporte seguro para a gestante, com o vale-táxi, e maior oferta de leitos para partos na rede pública.

“Esse é um programa de expansão do SUS. Queremos transformar o serviço de saúde pública do Brasil em um serviço de alta qualidade”, disse.

Em vários momentos, Dilma fez questão de ressaltar seus laços com Minas. “Eu venho aqui, onde eu nasci, porque para mim Belo Horizonte representa a segurança, a proteção, o carinho e o conforto que eu senti na minha infância. E eu quero ele estendido para todos os brasileiros”, afirmou.

Dilma lembrou ainda que o programa é um passo importante no seu objetivo de acabar com a miséria no Brasil.

Dilma assina MP que reajusta em 4,5% a tabela do IRPF

Agência Estado/Foto: Leo Caldas

A presidente Dilma Rousseff assinou no final da tarde desta sexta-feira a Medida Provisória (MP) que reajusta em 4,5% a tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). O texto da MP será publicado no Diário Oficial da União da próxima segunda-feira. Com a mudança, todas as faixas de rendimento serão reajustadas. Exemplo disso é o limite de isenção, que passará de 1 499,15 reais para 1 566,61 reais. A mudança favorece o contribuinte, que terá de pagar um imposto menor. A explicação é que, para quem recolhe IR na fonte, a faixa de isenção maior reduzirá a base de tributação. O mesmo acontecerá no ajuste anual. Há ainda os casos em que o contribuinte passará de uma faixa com alíquota mais elevada para outra com taxa menor.

A presidente também assinou dois decretos “compensatórios”. O primeiro que reajusta de 2,38% para 6,38% o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre as compras no exterior com cartões de crédito. O segundo decreto aumenta os tributos incidentes sobre bebidas frias, como refrigerantes e cervejas. O porcentual da elevação desse imposto não foi confirmado, mas a expectativa era de que o aumento fosse de 10% a 15%.

Os preços de referência para o setor de bebidas foram tomados pela última vez em janeiro de 2009 e posteriormente congelados pelo governo para dar fôlego às empresas durante a crise. Agora, apesar das tentativas de acordo por parte dos empresários, o governo decidiu atualizar a base de tributação para os preços atuais.

Os decretos também serão publicados no Diário Oficial de segunda-feira, segundo informações do Palácio do Planalto. Os textos da MP e dos dois decretos não foram divulgados ainda.

Solução de mistério de ‘cidade dos gêmeos’ no RS é destaque no ‘NYT’

BBC/Foto: Divulgação

A apresentação de uma possível solução para o mistério da “cidade dos gêmeos” gaúcha é destaque nesta sexta-feira no jornal americano The New York Times.

Reforçando o destaque internacional que o tema tem recebido pela imprensa mundial, a reportagem aguarda as revelações de um estudo conduzido para explicar o alto percentual de nascimento de gêmeos em Cândido Godói (RS), uma história que motivou várias especulações.

O mistério aumentou quando o jornalista argentino Jorge Camarasa, autor de uma biografia sobre o geneticista nazista Josef Mengele, sugeriu que o fenômeno poderia ter sido resultado dos experimentos realizados por ele durante uma suposta passagem pela região nos anos 1960.

Os moradores se perguntam também se se trata de alguma substância presente na água da cidade, segundo reza a lenda local.

“Um grupo de cientistas agora pode descartar esses rumores de longa data. Úrsula Matte, uma geneticista de Porto Alegre, afirma que uma série de testes de DNA conduzidos em 30 famílias a partir de 2009 identificou um gene específico entre a população de Cândido Godói que aparece mais frequentemente em mães de famílias com gêmeos que naquelas sem gêmeos”, escreve o jornal americano.

“O fenômeno é reforçado por um alto nível de procriação consanguínea entre a população, composta quase inteiramente por imigrantes de língua alemã.”

Os detalhes serão apresentados em um evento da prefeitura nesta sexta-feira, após dois anos de pesquisas conduzidas pelo Instituto Nacional de Genética Médica Populacional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

A pesquisadora foi a primeira a registrar cientificamente o fenômeno, particularmente notável na pequena São Pedro, um vilarejo de 350 moradores perto de Cândido Godói. Entre 1990 e 1994, o percentual de nascimentos de gêmeos em São Pedro foi de 10%, comparado com a média nacional de 1%.

A pesquisa analisou certidões de nascimento de 80 anos atrás e concluiu que o fenômeno dos gêmeos já existia nos anos 1930, antes da suposta passagem de Mengele pelo sul do Brasil.

Estudos feitos na água local não mostraram nenhuma substância atípica.

Dilma assina convênios para construção de 718 creches

Reuters/Foto: Ueslei Marcelino

A presidente Dilma Rousseff assinou nesta quinta-feira convênios com 419 municípios para construção de 718 creches e anunciou a edição de uma medida provisória para bancar o custeio dessas unidades enquanto estiverem sem receber recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Segundo o Ministério da Educação (MEC), serão gastos 800 milhões de reais para construção das creches, que fazem parte do Proinfância, cujo objetivo é colocar em operação 6 mil escolas infantis em todo país ao custo de aproximadamente 6 bilhões de reais.

“Hoje estamos aqui para aumentar a aceleração do resgate das crianças brasileiras”, disse Dilma em discurso. “Seremos bem-sucedidos se ao fim ou no meio desse processo de desenvolvimento do Brasil os maiores beneficiados sejam as crianças e os jovens”, acrescentou.

A presidente arrancou aplausos dos prefeitos ao anunciar a edição de uma MP que garanta o repasse de recursos do MEC para o custeio das creches mesmo que elas ainda não estejam cadastradas pelo FNDE.

Normalmente, as prefeituras precisam aguardar meses para receber a verba até que o governo tenha certeza de que a escola está funcionando dentro dos padrões exigidos pelo Executivo.

O MEC não soube informar quando a MP será enviada ao Congresso e nem qual o valor que será gasto pelo governo para garantir o funcionamento das creches.

Brasil vota pela nomeação de relator da ONU para investigar Irã

BBC/Foto: Reuters

O Brasil votou nesta quinta-feira a favor da nomeação de um relator que fará uma investigação da situação dos direitos humanos no Irã, em sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, realizada nesta quinta-feira em Genebra.

O conselho aprovou a matéria com 22 votos a favor, sete contra e 14 abstenções. A resolução pede que o governo iraniano “coopere totalmente” com os trabalhos deste relator, permitindo sua entrada no país e fornecendo as informações necessárias.

Ao justificar seu voto, a representante brasileira no Conselho, Maria Nazareth Farani Azevedo, disse que o Brasil acredita que todo país, “sem exceção”, tem desafios a superar no campo dos direitos humanos.

Segundo Azevedo, a resolução deve ser vista como a expressão de um julgamento comum de que é “importante, necessário e imperativo” para todos os Estados-membros da ONU cooperar com os mecanismos de proteção aos direitos humanos.

Mudança de posição

A representante brasileira disse que a não-observância da suspensão da prática da pena de morte no Irã, assim como em outros países, era uma “preocupação particular” do Brasil.

Esta votação indica uma mudança de posição do Brasil em relação aos direitos humanos no Irã.

Em novembro do ano passado, em um comitê da Assembleia Geral da ONU, o Brasil se absteve de votar em uma proposta que condenava violações de direitos humanos no país persa.

A justificativa do Brasil para se abster foi o fato de não considerar a Assembleia “o melhor fórum” para se debater a questão dos direitos humanos no Irã.

Mesmo assim, o texto acabou sendo aprovado no órgão e levado à plenária da Assembleia Geral.

Posição iraniana

O representante do Irã, Seyed Mohammad Reza Sajjadi, contestou a resolução, afirmando que os Estados Unidos, principal autor da proposta, têm um papel “destrutivo” no Conselho, desviando o órgão de suas funções mais adequadas.

Além disto, o iraniano disse que os Estados Unidos defenderam violações dos direitos humanos praticadas por Israel contra os palestinos e árabes, e acusou os americanos de patrocinarem diversas formas de racismo, xenofobia e intolerância em seu território.

Coreia do Norte

O Brasil também votou nesta quinta-feira a favor da proposta de estender em um ano o mandato do relator especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU para a Coreia do Norte.

A resolução do Conselho a respeito do regime de Pyongyang foi aprovada por 30 votos a favor, três contra e 11 abstenções.

Por meio do texto, o Conselho expressa “a mais séria preocupação” em relação às “graves, disseminadas e sistemáticas violações dos direitos humanos” na Coreia do Norte.

A resolução pede ainda que o governo norte-coreano garanta acesso “completo, rápido e desimpedido” de seus cidadãos à assistência humanitária quando necessária, de acordo com os princípios humanitários, junto de um monitoramento adequado.

Polícia Civil do Rio ganha sala de treinamento high tech

AE/Foto: Fabio Motta

A Polícia Civil do Rio de Janeiro inaugurou hoje uma sala de treinamento onde o policial será testado em 30 diferentes situações de estresse, cercado por três telões, que simulam a realidade em um ambiente de 120 metros quadrados. As simulações vão desde uma simples abordagem a um carro até incursões em favelas.

“Queremos que o policial tenha a capacidade de gerar soluções rápidas. Para isso, nós vamos estimular o agente a pensar”, disse o secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame. Ele afirmou que o treino pode ajudar na diminuição dos autos de resistência (morte de criminosos em confronto com a polícia).

O policial pode treinar com a arma que usa nas ruas, mas a munição será substituída por um sistema de ar comprimido. Uma pequena descarga elétrica no corpo avisa que o agente foi alvejado pelo inimigo. O equipamento possui software brasileiro e foi comprado por R$ 2,1 milhões. O treinamento na sala da Academia de Polícia Civil (Acadepol) já começou. A Polícia Militar ganhará duas salas, mas as instalações ainda não foram construídas.

Dilma diz que não é concebível reforma do CS da ONU sem Brasil

Reuters/Foto: Google

A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira não ser concebível uma reforma do Conselho de Segurança da ONU que não inclua o Brasil como membro permanente do órgão.

“Não é concebível uma ONU reformada sem o Brasil. Nós não temos a menor dúvida quanto a isso”, disse Dilma a jornalistas em Manaus após o lançamento de programa para prevenção e tratamento do câncer de mama e do colo de útero.

A obtenção de um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) é um dos principais objetivos da política externa brasileira. A reforma do órgão e a inclusão do Brasil foi, inclusive, um dos temas tratados por Dilma com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante a visita dele a Brasília no sábado.

Brasil e outros países, como Índia e Alemanha, defendem uma reforma do Conselho que permita a ampliação dos membros permanentes. Atualmente, são integrantes fixos Estados Unidos, Rússia, Grã-Bretanha, França e China.

Ao contrário do que fizera com a Índia durante viagem a Nova Délhi em novembro, Obama não apoiou explicitamente as aspirações brasileiras na ONU.

Segundo Dilma, “não existirá um Conselho da ONU reformado” sem a presença de alguns países, como Índia e Brasil, “países expressivos… que hoje são consideradas grandes forças”.

Dilma também defendeu um cessar-fogo na Líbia, onde forças internacionais iniciaram no sábado ataques para conter o avanço das tropas do líder Muammar Gaddafi, que há mais de um mês enfrenta rebeldes que exigem sua saída.

“Nós somos a favor de uma solução pacífica”, disse ela.

Na véspera, o governo brasileiro já havia se posicionado a favor de um “cessar-fogo efetivo” no país do norte da África.

Na semana passada, o Brasil se absteve na votação da ONU que criou uma zona de exclusão aérea na Líbia.

Obama encerra passagem pelo Brasil com visita em família ao Corcovado

BBC/Foto: Reuters

O presidente americano, Barack Obama, encerrou a programação de sua primeira viagem ao Brasil com uma visita em família ao Corcovado, no Rio de Janeiro. Obama visitou a estátua do Cristo Redentor na noite deste domingo, acompanhado da primeira-dama, Michelle, e das filhas do casal, Sasha e Malia.

Obama chegou ao Rio na noite de sábado, depois de iniciar sua visita ao Brasil em Brasília, onde foi recebido pela presidente Dilma Rousseff e participou de encontros com empresários dos dois países.

Na manhã deste domingo, o presidente e a família fizeram uma rápida visita à favela de Cidade de Deus. À tarde, Obama fez um discurso no Theatro Municipal.

O pronunciamento, inicialmente previsto para um grande público, na Cinelândia, acabou sendo transferido para o teatro, onde foi acompanhado por mais de 2 mil pessoas, entre convidados, autoridades dos dois países e jornalistas.

No discurso, de pouco mais de 20 minutos, Obama elogiou o avanço da democracia e da economia no Brasil e disse que, depois de anos sendo chamados de o país do futuro, os brasileiros devem saber que o futuro chegou.

Ao comentar os protestos por democracia em países do norte da África e do Oriente Médio, o presidente disse que o Brasil é um exemplo de liberdade e elogiou a transição brasileira de uma ditadura para uma democracia “próspera”.

O presidente disse ainda que os Estados Unidos querem trabalhar ao lado do Brasil como “parceiros iguais”.

Nova fase

O presidente chegou ao Brasil com uma agenda de negócios, de olho no aumento das exportações e nas oportunidades de investimento em setores como energia e infra-estrutura, ampliadas com as descobertas de petróleo no pré-sal e com a expectativa pela realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Durante a visita, foram fechados 10 acordos bilaterais, entre eles um Tratado de Cooperação Econômica e Comercial (Teca, na sigla em inglês), que estabelece processos para a negociação de questões comerciais.

No entanto, a viagem não trouxe grandes anúncios. O comunicado final da visita, divulgado no sábado por Obama e Dilma, o presidente manifestou seu “apreço” à aspiração brasileira de conquistar uma vaga permanente em um Conselho de Segurança da ONU ampliado.

O apoio foi menos enfático do que o oferecido à Índia em visita no ano passado, mas foi a manifestação mais forte sobre o tema feita até o momento.

A viagem de Obama ao Brasil vem cercada de significado simbólico. Depois de dois anos de um certo distanciamento no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, por conta de posições divergentes sobre temas como o programa nuclear do Irã, a visita marca uma nova fase nas relações bilaterais.

Viagem

Obama deixa o Brasil na manhã desta segunda-feira, rumo ao Chile, segunda parada de sua primeira viagem à América do Sul.

O presidente e a primeira-dama serão recebidos no Palácio de La Moneda, em Santiago, onde Obama se reunirá com o presidente Sebastián Piñera.

No Chile, o presidente americano deverá fazer um grande discurso sobre as relações entre os Estados Unidos e a América Latina.

Analistas afirmam que deverá ser um pronunciamento nos moldes do discurso do Cairo, feito em 2009, que marcou um relançamento das relações americanas com o mundo árabe e muçulmano.

Depois do Chile, Obama seguirá para El Salvador, onde encerra sua visita à região.

São Paulo ganha novo centro de tratamento de câncer

AE/Foto: Divulgação

O Hospital São José, vinculado à Beneficência Portuguesa de São Paulo, acaba de inaugurar em São Paulo um novo centro especializado em oncologia de primeira linha, voltado para a elite econômica do País. O objetivo a médio prazo do São José é o de se tornar o primeiro hospital dedicado exclusivamente ao tratamento de câncer. Enquanto isso não ocorre, ele vai concorrer diretamente com os hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, que não atendem exclusivamente câncer, mas são referências em oncologia no Brasil.

A entrada em cena de mais um hospital de ponta voltado para o tratamento de câncer em São Paulo é acompanhado com interesse redobrado por especialistas do setor – de convênios voltados para classe A à indústria de equipamentos hospitalares, passando por oncologistas de renome e equipe de apoio, cujo passe passaram a ser alvo de disputa.

Sob coordenação do oncologista Antônio Carlos Buzaid – que foi responsável pelo centro oncológico do Sírio-Libanês durante 13 anos – e dos oncologistas Fernando Cotait Maluf e Riad Younes, que também integravam a equipe oncológica do Sírio, o centro de oncologia do São José tem 55 leitos, 10 consultórios e 18 salas individuais de quimioterapia.

Além dos médicos, o São José também recrutou uma equipe de enfermeiros e outros profissionais que trabalhavam com Buzaid no Sírio-Libanês. O investimento inicial foi de R$ 3 milhões. “Um dos meus objetivos era criar um hospital exclusivamente dedicado à oncologia, porque há espaço e demanda para isso em São Paulo. Não gosto de competir, mas a minha ideia é oferecer um atendimento padrão ouro para pacientes de São Paulo, de outros Estados e até de fora do País”, diz Buzaid. O médico estima que cerca de 8% dos atendimentos sejam de pessoas vindas do exterior. O primeiro paciente atendido, por sinal, foi um uruguaio.

Segundo Maluf, o hospital terá um time de oncologistas especializados nos principais tipos de cânceres (como mama e próstata) e, num próximo momento, terá médicos especialistas em tumores raros. Por enquanto não haverá investimento em câncer infantil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Brasil importa etanol com diminuição da oferta

Reuters/Foto: Google

O Brasil importou mais de 150 milhões de litros de etanol norte-americano este ano, enquanto produtores lutam para abastecer o mercado local durante a entressafra da cana, estimou o diretor de um grande grupo de etanol nesta quarta-feira.

O volume inclui diversos carregamentos que chegaram ao Nordeste do país, e uma carga de 40 milhões de litros que está chegando a Santos, principal porto de exportação de açúcar, situado na principal região produtora de cana do centro-sul.

O grupo Cosan comprou etanol que deve chegar ao porto de Santos em abril.

Negociações futuras, no entanto, vão depender da diferença entre os preços no Brasil e nos Estados Unidos. Após a recente queda nos preços do etanol norte-americano, a diferença agora é ampla o suficiente para tornar as importações mais plausíveis, disseram traders.

“O fechamento de novos acordos de importação não é tão simples porque se os preços (no Brasil) caírem no período entre a saída do navio dos Estados Unidos e a chegada ao Brasil, a diferença pode ficar mais curta”, disse o executivo que pediu para não ser identificado.

Leva mais de 30 dias para que o produto complete seu percurso até o Brasil.

A diferença atual entre os preços, no entanto, é bastante atrativa para os importadores. O álcool anidro norte-americano é negociado, atualmente, no porto de Santos, a cerca de 1.240 reais (745 dólares) por métro cúbico (mil litros), comparado com os 1.450 reais pagos pelo combustível brasileiro, de acordo com um grande grupo de trading de São Paulo.

Porém, com a expectativa de que diversas usinas comecem a moer a safra 2011/12 de cana nas próximas semanas, os preços devem começar a cair com a chegada dos combustíveis da próxima temporada ao mercado.

Uma diferença de especificação entre os dois produtos também torna a operação mais complexa. Uma vez que o combustível chega ao Brasil ele tem que ser reprocessado para atender às exigências locais.

O etanol hidratado, nos carros flex do Brasil, estava sendo vendido a 1.750 reais por metro cúbico na manhã desta quarta-feira, enquanto o anidro estava a 1.600 reais, de acordo com a corretora Mikz.

SOB PRESSÃO

O aumento nas importações vem em um momento em que o governo brasileiro, preocupado com a inflação, pressiona a indústria para começar a colher a cana antes do início oficial, em 1o de abril, visando reduzir os preços do etanol nas bombas.

Essas importações dos Estados Unidos, que começaram em 2010, são as primeiras desde 1994, segundo a consultoria Datagro.

As importações de 150 milhões de litros representam cerca de 0,5 por cento da produço de etanol no Brasil da última temporada, de 27,2 bilhões de litros.

Os atuais preços na porta da usina são os mais altos em cinco anos em termos nominais, devido ao aperto na oferta após a indústria ter priorizado a produção de açúcar durante a última temporada de moagem, aproveitando os preços da commodity, que registravam os maiores valores em 30 anos.

A safra passada, que foi menor que o esperado devido ao clima seco, e a forte demanda por combustível contribuíram para apertar as ofertas de etanol na entressafra.

Toda a gasolina vendida nos postos brasileiros levam uma mistura de 25 por cento de etanol anidro. O Brasil também produz e consome álcool hidratado para a frota de carros flex.

Apesar de um aumento de 25 por cento nos preços deste ano, parte dos consumidores continua utilizando o combustível ao invés de optar pela gasolina.

No entanto, produtores dizem que a antecipação da temporada vai depender muito do clima, que tem sido bastante chuvoso nas principais áreas produtoras do centro-sul.

“Nós podemos mostrar a situação da oferta às empresas, mas ultimamente elas são as únicas que decidem quando começa a moagem”, disse Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica).

Brasil revisará segurança nuclear após crise no Japão

Reuters/Foto: Google

BRASÍLIA – O governo brasileiro adotará todas as medidas que forem anunciadas pela comunidade internacional para reforçar a segurança das usinas nucleares após os incidentes envolvendo reatores japoneses, danificados pelo terremoto e o tsunami da semana passada, disse na terça-feira o ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

Segundo Mercadante, não há registro de problemas nas usinas nucleares de Angra 1 e 2 e os protocolos de segurança serão reforçados seguindo determinações internacionais a partir de estudos do caso japonês.

“Nós vamos tomar todas as medidas que forem necessárias a partir das lições que nós possamos ter deste incidente”, disse o ministro a jornalistas. “No caso de Angra, em todos esses anos, décadas de funcionamento, ficou demonstrado que ela está totalmente segura em relação àquilo que é o problema que nós temos.”

De acordo com o ministro, não há risco de repetição, no Brasil, da crise nuclear enfrentada pelo Japão. Apesar da ausência de registro de terremotos de grande escala ou tsunamis no país, as usinas em Angra dos Reis (RJ) podem suportar um tremor de magnitude 6,5 e ondas de até sete metros de altura, explicou.

Os riscos maiores seriam relacionados a desmoronamentos e enchentes, para os quais as instalações também estariam protegidas.

A usina nuclear japonesa de Fukushima Daiichi, no norte do Japão, foi seriamente afetada pelo forte terremoto de magnitude 9 e pelo devastador tsunami de sexta-feira, que atingiu a costa nordeste do país e deixou até 10 mil mortos.

Explosões atingiram os prédios que abrigam os reatores da usina e causaram a liberação de vapor radioativo, o que levantou temores sobre um vazamento da radiação.

Mercadante explicou que o processo de produção de energia em Fukushima é diferente daquela adotada em Angra 1 e 2, e que a usina brasileira possui outros dispositivos de segurança, como a independência do resfriamento da água e uma maior espessura nas paredes do prédio de contenção do reator.

PM que confessou assassinato de boxeador é mantido preso em local sigiloso

Devido aos riscos de invasão em quartel no Litoral Norte, policial foi transferido

ZH/Foto: Google

Recolhido em um quartel da Brigada Militar desde a manhã de sábado, o PM Alexandre Camargo Abe, 29 anos, assassino confesso do boxeador Tairone Silva, 17 anos, responderá também uma sindicância disciplinar que pode resultar em sua expulsão da corporação. Após ter a prisão preventiva decretada pela Justiça sábado, o soldado que atua na área de inteligência do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Litoral Norte foi preso em casa por colegas, informou o comandante regional, coronel Altemir Ferreira.

Levado à sede do 8º Batalhão de Polícia Militar, o PM foi transferido para outra unidade na região devido ao risco de invasão do local por populares indignados com o crime.

“Pedimos autorização judicial para a transferência devido à comoção na cidade. O local é mantido em sigilo por questão de segurança”, explicou o major Valdeci Antunes dos Santos, comandante do 8º BPM.

Médicos descartam amputação da perna de menina atropelada por lancha em Balneário Camboriú

Zero Hora/Foto: Marcos Porto

Corpo de Tamara não rejeitou tecidos enxertados e pode ter alta em 10 dias

A jovem Tamara Dallafavera, 11 anos, atropelada por uma lancha na tarde do dia 6, em Balneário Camboriú (SC), não terá amputada a perna atingida pela hélice da embarcação pilotada pelo juiz aposentado Disney Sivieri, 64 anos. Submetida a uma cirurgia no Hospital Santa Inês, a menina pode deixar o hospital em 10 dias.

Contudo, ela não poderá ser transferida para Porto Alegre e deve ficar na casa do tio, Ezequiel Lopes, na cidade do litoral catarinense por cerca de três meses. Conforme Lopes, Tamara está bem contente por não perder a perna:

“Ela fala muito em voltar a estudar, em tocar na banda da escola, cantar no coral da igreja e andar a cavalo. Não sabemos com certeza quais serão as seqüelas” relata o tio, que ressalta que a família de Sivieri tem mantido contato e ajudado nos cuidados com Tamara, fornecendo medicamentos e fraldas.

Os pais da menina entraram com um processo na justiça contra o juiz.

O acidente

Lancha, conduzida pelo juiz aposentado Disney Sivieri

Na tarde de 6 de março, Tamara embarcou em um banana boat, na companhia de dois irmãos, na Barra Norte de Balneário Camboriú. O passeio se estendeu até a ilha na Praia Central, onde os turistas tomaram banho de mar.

Na volta, a cerca de 400 metros da orla, o brinquedo, que carregava oito pessoas foi atingido por uma lancha, conduzida pelo juiz aposentado Disney Sivieri. Tamara foi a única pessoa a sofrer lesões graves, ao ser ferida pela hélice da embarcação, que atingiu o banana boat bem no meio — onde ela estava sentada.

Socorrida, foi encaminhada para o Hospital Santa Inês.

A Capitania dos Portos de Itajaí , que já ouviu o juiz e o condutor da lancha que puxava o banana boat, investiga o caso.

Jovem boxeador gaúcho é morto por policial no Litoral Norte do RS

Tairone Silva, 17 anos, foi baleado enquanto visitava os pais, na cidade de Osório

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Jorge Karkling

O Jovem boxeador gaúcho Tairone Silva, 17 anos, foi morto por um policial militar no início da tarde de ontem (11), em Osório, no Litoral Norte. O rapaz, que já havia sido ameaçado pelo PM, visitava os pais na cidade quando foi baleado.

Tairone, campeão brasileiro de sua categoria, era considerado uma das promessas do boxe nacional. Desde o início do ano, treinava em um centro de esportes na Marinha do Rio de Janeiro e participaria de pelo menos duas competições internacionais.

Indiciado

Com base no laudo do DML, a Justiça decretou durante a madrugada de hoje (12) a prisão preventiva do PM que confessou ter assassinado o campeão brasileiro de boxe . A medida judicial saiu em regime de plantão.

O delegado Celso Ferri não se convenceu da tese de legítima defesa apresentada pelo policial Alexandre Camargo Abe, de 29 anos. Segundo Ferri, um dos disparos teria sido efetuado à distância.

O PM está detido no quartel de Osório. A Polícia, que tem dez dias para fechar o inquérito, vai ouvir pelo menos mais duas testemunhas e avalia a possibilidade de reconstituição do crime.

O motivo da desavença entre o policial e o adolescente ainda não foi esclarecido. Na quinta-feira, a vítima teria sido ameaçada pelo policial e à noite moradores tentaram colocar fogo na casa do PM. Tairone foi velado na Câmara de Vereadores de Osório e cerca de mil pessoas participaram do sepultamento.

Com informações do Zero Hora

Alarmes desligaram Angra 1 ontem, diz Eletronuclear

Agência Estado/Foto: Google

A Eletronuclear informou hoje que a usina nuclear Angra 1 foi desligada ontem às 7h05 devido a uma atuação indevida de alarmes. A usina foi religada ontem mesmo, às 23h20, conforme a estatal, em comunicado. A atuação indevida dos alarmes deveu-se a uma falha de um sistema eletrônico que não afeta a segurança da usina, que foi identificado e substituído, segundo a empresa.

A Eletronuclear informou ainda que, seguindo solicitação do Operador Nacional do Sistema (ONS), a usina está em processo de elevação de potência – sendo que às 7h de hoje estava gerando 352 MWe, ou seja, 63% da potência de seu reator.

Segundo informações da empresa, o desligamento manual foi executado imediatamente após ter sido constatada a atuação indevida dos alarmes, apesar de outras indicações mostrarem que a usina Angra 1 se encontrava em uma condição de operação segura. A estatal informou, em seu comunicado, que o desligamento foi uma ação de natureza estritamente preventiva, de forma a permitir a identificação da causa do problema.

Suspeito é libertado por falta de perícia em Maceió-AL

AE/Foto: Divulgação

A Polícia Civil de Alagoas está, desde à tarde do último domingo, realizando diligências para localizar e prender o modelo Frederico Safadi, apontado como principal suspeito de assassinar o designer de interiores Flávius Durval Lessa Braga, de 47 anos.

Flávius foi encontrado morto, dentro de seu carro, com um profundo corte no pescoço, no último sábado, no bairro Benedito Bentes, na periferia de Maceió. Horas depois, Fred Safadi foi ouvido na Central de Polícia de Maceió. Naquele momento, ele já era apontado como suspeito, por ter sido a última pessoa a estar com Flávius, antes do designer aparecer morto.

Frederico Safadi é o principal suspeito do homicidio

Em depoimento à polícia, Fred confessou realmente que esteve com Flávius na noite de sexta-feira, e afirmou ter consumido entorpecente e recebido R$ 180,00 da vítima. A Polícia Civil divulgou que Flávius apresentava sinais de quem havia travado luta corporal, assim como o suspeito, mas na tarde de sábado, não havia médico no Instituto Médico Legal Estácio de Lima (IML), para realizar o exame de corpo de delito no modelo.

A Polícia Civil alagoana informou ainda que as roupas de Fred Safadi estavam sujas de sangue, mas, apesar de requisitado, o Instituto de Criminalística (IC), órgão ligado à Secretaria Estadual de Defesa Social, se negou a fazer o exame na Central de Polícia, que fica no bairro do Prado. Por causa da ausência de provas técnicas, que deixaram de ser realizadas pelo IML e pelo IC, o principal suspeito do crime foi liberado.

A delegada de plantão na Central de Polícia, Maria Angelita, disse que tanto o IML como o IC alegaram somente poder atender os pedidos dela por ofício e em dias úteis, ficando desta forma a autoridade policial plantonista impossibilitada de autuar em flagrante o referido suspeito. Por isso, a delegada disse que não teve outra alternativa senão liberar o modelo.

No domingo, a delegada Ana Luíza Nogueira solicitou a prisão temporária do modelo, e o pedido foi aceito pela Justiça, mas Fred Safadi já havia fugido. A Polícia Civil revela ainda que, somente na tarde de domingo, após uma determinação do secretário de Estado da Defesa Social, o IC realizou a perícia nas roupas do modelo suspeito e confirmou a presença de sangue. Agora, o exame de DNA definirá a quem pertence o sangue encontrado.

O caso

O design de interiores Flavius Durval Lessa Braga, de 47 anos, foi encontrado morto, na noite desta sexta-feira (04), dentro de seu veículo, nas proximidades da fábrica da Coca-Cola, no Loteamento Alto da Alegria, no Benedito Bentes.

De acordo com a polícia Flavius levou uma facada no pescoço e morreu em decorrência do corte. Desde as primeiras horas da madrugada amigos e parentes deixavam mensagens de apoio a família e pediam que a polícia solucionasse este crime.

Flavius era marcado pela alegria, com muitos amigos ele era um profissional bem sucedido tendo destaque em vários eventos e levando o nome de Alagoas para vários deles, como o Casa Cor de Pernambuco, no qual sempre se destacava.

A mãe de Flávius reconheceu o corpo do filho e passou mal, tendo que ser medicada, amigos e parentes estão chocados com o crime.

Pela primeira vez no ano, mercado reduz a projeção da inflação

Agência Brasil/Foto: Google

O mercado financeiro reduziu a estimativa oficial de inflação para 5,78%, depois de doze altas consecutivas. De acordo com o boletim Focus, pesquisa realizada semanalmente pelo Banco Central, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em 5,78% em 2011 ou 1,28 ponto percentual acima do centro da meta que é 4,5%.

A taxa de câmbio, na estimativa do mercado financeiro, permanece em R$ 1,70 este ano. A taxa básica de juros (Selic) ficou em 12,50% ao ano. Os preços administrados foram mantidos em 4,5%.

A projeção para a dívida líquida do setor público em percentual do Produto Interno Bruto (PIB) foi elevada de 39,26% para 39,50%, com o crescimento da economia reduzido de 4,30% para 4,29%. O crescimento da produção industrial teve a estimativa mantida em 4,10%.

Em relação às contas externas, houve uma melhoria na expectativa para o déficit em conta-corrente, que passou de US$ 66,25 bilhões para US$ 65,50 bilhões. O saldo da balança comercial manteve-se em US$ 13 bilhões e os investimentos estrangeiros diretos em US$ 42 bilhões.

Brasil perde posições em ranking mundial do turismo

BBC/Foto: Reuters

O Brasil perdeu posições em um ranking mundial de competitividade no setor do turismo, embora tenha obtido pontuação semelhante à de 2009.

Em sua última edição, relativa a 2011, o relatório elaborado pelo Fórum Econômico Mundial coloca a sede da próxima Copa do Mundo e das Olimpíadas de 2016 na posição 52 entre 139 países avaliados. A pontuação, 4,36 em uma escala de um a sete, foi praticamente a mesma que em 2009 (4,35), quando foi elaborado o ranking anterior mais recente.

Naquele ano, quando foram consideradas 133 nações, o país ficou em 45º lugar.

Em 2011, o Brasil foi ultrapassado por outros que registraram um incremento mais expressivo, como México e Porto Rico.

“O Brasil ficou em sétimo lugar no ranking das Américas e 52º no ranking geral. O país é o que tem a melhor pontuação entre todos os países no que tange aos recursos naturais e 23º em recursos culturais, com muitos lugares considerados patrimônio da humanidade, uma grande proporção de área protegida e a fauna mais rica do mundo”, afirma o relatório.

“Isto é reforçado por uma ênfase na sustentabilidade ambiental (posição 29 do ranking), uma área que vem melhorando ao longo dos últimos anos. A segurança também melhorou de forma impressionante desde a última avaliação.”

Transporte

Em 2009, o relatório havia manifestado preocupação com a qualidade da rede de transporte terrestre e aéreo brasileira, bem como o nível de insegurança.

Sobre o panorama atual, o relatório avalia que “o transporte rodoviário continua subdesenvolvido, com a qualidade das rodovias, portos e ferrovias requerendo melhoras”.

“O país continua a sofrer com a baixa competitividade de preços, atribuída em parte a altas taxas aeroportuárias e sobre os bilhetes aéreos, e o nível fiscal em geral”, nota o texto.

“Além disso, o ambiente de negócios não é particularmente propício para o desenvolvimento do setor, com regras restritivas para os investimentos externos, os longos prazos para abrir uma empresa e requerimentos de certa maneira restritivos à abertura de negócios no setor de turismo.”

Superando a crise

O relatório destaca a superação da crise econômica mundial pela indústria do turismo internacional.

Depois de contrair em 2009, o setor voltou a se recuperar no ano passado, atingindo neste ano o seu nível pré-crise.

Combinando atividades diretas e indiretas, o relatório estima que o setor de viagens e turismo responda hoje por 9,2% do PIB global, mesma proporção dos investimentos mundiais e 4,8% das exportações do planeta.

Suíça, Alemanha e França foram considerados os países com melhor ambiente para desenvolvimento da atividade.

Vítimas do acidente em Santa Catarina são enterradas em Santo Cristo-RS

Aproximadamente 5 mil pessoas acompanharam o velório e o sepultamento das vítimas do trágico acidente

Redação Isto é Guarulhos/Fotos: Jefferson Botega/ Luis Fernando Belmonte

A pequena Santo Cristo praticamente parou para acompanhar o sepultamento

O pequeno município de Santo Cristo, no noroeste do Rio Grande do Sul, parou na tarde de hoje para prestar uma última homenagem a 19 vítimas do acidente na BR-282 no oeste de Santa Catarina. Cerca de cinco mil pessoas acompanharam o velório e sepultamento, que ocorreu por volta do meio-dia no Cemitério Comunitário de Linha Salto.

Muitas pessoas passaram mal durante o velório e necessitaram de atendimento que foi prestado por duas ambulâncias que estavam no local. Após o término da cerimônia, os caixões foram transportados em dois caminhões até o cemitério e as pessoas acompanharam o cortejo a pé.

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro participou de toda a cerimônia e prestou o seu apoio aos familiares das vítimas.

Governador Tarso Genro confortando um dos familiares

“É um sentimento de dor junto com a comunidade. Não tem o que console após essa tragédia. Tentamos trazer o nosso afeto e dizer que a dor que eles estão sentindo aqui em Santo Cristo é a dor de todo o Rio Grande. O nosso sentimento é de comunhão com aqueles que estão sofrendo hoje esse sofrimento brutal.”, disse o governador.

Cerca de 50 voluntários trabalharam ontem e hoje na abertura de covas para que os corpos pudessem ser sepultados. A maioria das vítimas é composta por moradores da localidade de Linha Salto, interior de Santo Cristo. Como a comunidade é pequena, praticamente todos os habitantes do local tinham alguma relação com os mortos no acidente.

Outras duas vítimas do acidente serão veladas em Santa Rosa, mais duas em Giruá, uma em Horizontina e duas em Pelotas.

Com informações do Zero Hora

Dois homens assassinados em carro atingido por 88 tiros no PR

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Polícia Civil-PR

Por volta das 14h de ontem (5), dois homens foram assassinados dentro de um carro alvejado por 88 tiros, no bairro Vila Alta, em Guaíra, região Oeste do Paraná.

Segundo a Polícia Civil, os homens eram irmãos e o carro estava em uma via pública. As vítimas foram surpreendidas pelos tiros que vieram de outro veículo que estava estacionado no lado oposto da rua. O autor dos disparos fugiu.

A policia acredita que os tiros tenham sido de uma metralhadora calibre 9 milímetros, de uso exclusivo das Forças Armadas. Até as 20h30 deste sábado, os policiais não tinham pistas do homem que atirou.

Com informações da RPC

Acidente entre ônibus e caminhão gaúchos deixa pelo menos 25 mortos em Santa Catarina

Veículos de Horizontina e Pelotas colidiram por volta das 3h de sábado

ZH/Foto: Sirliane Freitas

Um acidente entre uma carreta e um ônibus com placas gaúchas causou pelo menos 25 mortes na BR-282, no oeste de Santa Catarina. A colisão aconteceu por volta das 3h deste sábado no km 639 da rodovia, em Descanso, entre os municípios de São Miguel do Oeste e Maravilha. O Hospital São Miguel do Oeste havia informado, equivocadamente, que eram 29 mortos, mas o número foi corrigido pela instituição.

O coletivo da empresa de turismo Nyland, de Horizontina, ia de Santo Cristo, no RS, para Pato Bragado (PR), levando uma equipe de bolão, que participaria de uma confraternização no Paraná. Hoje à tarde, a equipe faria uma partida amistosa com a equipe do Clube Aliança, em Marechal Cândido Rondon. Amanhã os gaúchos participariam de outro evento esportivo com a equipe de bolão da cidade vizinha de Pato Bragado.

No sentido contrário uma carreta bitrem, com placa de Pelotas, tombou em uma curva e deslizou cerca de 50 metros antes de colidir frontalmente com o ônibus. O motorista da carreta, Fernando Zanetti Furtado, morreu na hora.

As tábuas do caminhão projetaram-se sobre o ônibus, que transportava 43 passageiros e dois motoristas. Os feridos foram encaminhados ao Hospital Regional do Extremo Oeste e ao Hospital São Miguel do Oeste, na cidade de mesmo nome.

A BR-282 ficou completamente bloqueada até as 5h do local do acidente até o posto da PRF em Maravilha a 30km de distância. A previsão de liberação era às 9h.

Patriota vê boa vontade da China em debater problemas comerciais

Reuters/Foto: Google

O governo chinês demonstra boa vontade e interesse em tentar solucionar os problemas no crescente relacionamento comercial com o Brasil, no entender do ministro das Relações Exteriores brasileiro, Antonio Patriota.

Após um encontro de duas horas com o ministro do Comércio chinês Chen Deming nesta sexta-feira, Patriota, que está no país em visita preparatória para a viagem oficial da presidente Dilma Rousseff, em abril, afirmou que há entendimento da parte chinesa sobre as questões que preocupam o Brasil, como a necessidade de diversificar a balança comercial.

O Brasil exporta grandes volumes de matérias-primas para a China, principalmente minério de ferro e soja, enquanto compra dos chineses itens de maior valor agregado, como eletrônicos e outros bens de consumo.

Patriota afirmou que abordou no encontro o desejo de Brasília de ver maior investimento da China em áreas de produção de manufaturados no Brasil e também em projetos de infraestrutura.

“Nós estamos procurando meios de estimular a relação bilateral. Isso não quer dizer que não reconheçamos que existam dificuldades, por exemplo, com situações envolvendo o câmbio ou sobre percepções de setores industriais brasileiros de que alguns produtos chineses estão trazendo problemas para eles”, afirmou o chanceler brasileiro a jornalistas.

“Mas a reação geral (dos chineses) sobre essas dificuldades foi a de que nós temos os mecanismos apropriados para discuti-los”, acrescentou.

Patriota foi questionado se as autoridades chinesas levantaram preocupações sobre medidas antidumping instituídas pelo Brasil e respondeu que não.

EMBRAER

Outra questão levantada ao ministro, no encontro com os jornalistas, foi a situação da Embraer na China. A companhia brasileira tem uma joint-venture no país com uma estatal chinesa.

A fábrica na China produz o jato ERJ 145, de 50 assentos, modelo com demanda decrescente. Nos próximos meses serão concluídas as entregas remanescentes dos aviões da última encomenda e é possível que a unidade seja fechada.

A Embraer estaria interessada em produzir um avião maior que o ERJ 145 na China, mas estaria enfrentando resistências do governo chinês, que tem planos próprios de desenvolver um jato regional de maior porte.

“Sobre isso, foi interessante que o primeiro-ministro Wen Jiabao levantou a questão por iniciativa própria. A ênfase que ele colocou foi no importante legado dessa cooperação bilateral, uma parceria em um setor de alta tecnologia. Estamos vendo maneiras de levar isso para frente”, afirmou Patriota.

Aluno de medicina é expulso após e-mail homofóbico
Agência Estado/Foto: Divulgação

Um estudante do segundo ano de Medicina da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), no Rio Grande do Sul, foi expulso da faculdade e está proibido de ingressar novamente na instituição. Segundo a universidade, no segundo semestre do ano passado o estudante enviou para os colegas, por meio de um e-mail acadêmico, um texto com teor homofóbico.

O centro acadêmico abriu um processo junto à reitoria da universidade, que instaurou uma sindicância para descobrir o autor do e-mail. O caso também foi levado à Polícia Federal. A decisão do afastamento do aluno foi tomada alguns meses atrás, segundo a UFCSPA. O aluno ainda pode recorrer.

No e-mail o aluno diz que “é triste a nossa época, onde é moda ser gay”. O estudante de medicina incita seus colegas a, veladamente, se recusarem a atender homossexuais ou tratá-los “erroneamente”.

Avião cai sobre casa em Curitiba

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Daniel Castellano

Um avião de pequeno porte caiu na manhã desta quarta-feira (2) sobre uma casa no bairro Bacacheri, em Curitiba. O acidente ocorreu por volta das 9h45 na cabeceira da pista do Aeroporto de Bacacheri. A queda causou a morte do piloto do monomotor, comandante Vitor Ascânio Caldonazo.

A aeronave caiu sobre um terreno com duas casas, atingindo uma delas, onde funcionava uma empresa de higiene. A aeronave explodiu com o impacto. Duas pessoas que estavam dentro da casa, o proprietário da empresa, Antônio Reginaldo, e sua secretária saíram correndo e não se feriram. Outras quatro pessoas que estavam em terra sofreram ferimentos leves.

Modelo do avião que caiu

Modelo do avião que caiu

De acordo com a tenente Eveline Rotter, do 2º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta), o avião era de propriedade do comandante que o pilotava. Caldonazo fazia um voo civil com destino a Pará de Minas, em Minas Gerais. “A decolagem foi registrada às 9h43 e a queda ocorreu minutos depois”, afirmou a tenente.

A queda foi seguida de uma explosão que provocou um incêndio na residência atingida. Várias viaturas do Corpo de Bombeiros tiveram que ser acionadas para debelar o fogo, controlado por volta das 10h15.

A vítima estava sozinha no monomotor modelo BE-36 Bonanza, prefixo PT-OIS, segundo o Cindacta.

Ainda não há informações sobre as causas do acidente, que serão investigadas pela Aeronáutica.

Cogitada instalação de Hospital de Campanha em Londrina-PR

Bonde/Foto: Divulgação/ABr

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) afirmou, após reunião com o Ministro da Saúde Alexandre Padilha, que o governo estuda a possibilida de instalar o Hospital de Campanha em Londrina. A cidade passa por um surto de dengue. Nos dois primeiros meses do ano já foram confirmados 1.089 casos da doença, sendo 31 casos com complicações e uma morte por dengue hemorrágica. A secretaria de saúde ainda investiga 4,6 mil casos suspeitos.

“Chegamos a cogitar até a ida do Hospital de Campanha do Exército a Londrina. O Ministro Padilha disse que se preciso vem até o Paraná para conversar e acompanhar de perto a questão”, disse a petista em entrevista à rádio Banda B.

Londrina concentra cerca de 50% dos casos em todo o Paraná. O prefeito Barbosa Neto (PDT) já decretou estado de emergência. O pedetista esteve em Brasília, nesta terça-feira (1), atrás de recursos para o município. Na última semana, ele já encaminhou pedido de intervenção do Exército no combate ao mosquito Aedes aegypt (com informações rádio Banda B)

Serviços dos Correios ficam mais caros a partir de hoje

Agência Estado/Foto: Google

Os serviços da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) ficarão mais caros a partir desta terça-feira, 1 de março. A portaria do Ministério das Comunicações publicada hoje no Diário Oficial da União fixou novos valores para os serviços postais e telegráficos.

Cartas não comerciais e cartões postais de até 20 gramas, por exemplo, terão reajuste de 7,14%. O preço para essa modalidade de correspondência passará de R$ 0,70 para R$ 0,75. Para cartas comerciais de aerogramas de até 20 gramas, o preço aumentará de R$ 1,05 para R$ 1,10, o que representa um reajuste de 4,76%.

O chamado Franqueamento Autorizado de Cartas (FAC), que representam contratos para remessa de grandes volumes de cartas comerciais, por sua vez, passará de R$ 0,92 para R$ 0,98 por unidade, um crescimento de 6,52% para cartas de até 20 gramas. O último reajuste das tarifas dos Correios havia sido implementado em janeiro de 2010. As novas tarifas vigorarão para os próximos 12 meses.

Carro na contramão causa 8 colisões na Bandeirantes

Agência Estado/Foto: JB Neto

São Paulo – Um motorista na contramão da pista sentido interior da Rodovia dos Bandeirantes colidiu contra outros oito veículos e só parou o quilômetro 40, em Campo Limpo Paulista, no limite entre a Grande São Paulo e o interior do Estado.

Segundo a concessionária Autoban, a primeira ligação feita por usuários relatando a atitude do condutor ocorreu às 5h15. As colisões não resultaram em feridos graves, apenas pessoas com escoriações. Às 6h55, o congestionamento era de cerca de mil metros na região, apesar de os veículos não ocuparem mais as faixas de rolamento.

Dupla é presa com drogas no tanque de gasolina em Fazenda Vila Nova-RS

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Emílio Pedroso

Um casal foi preso ontem (26), transportando drogas escondidas no tanque de gasolina do carro em que viajavam, na cidade de Fazenda Vila Nova, no Vale do Taquari. O casal estava sendo investigados há cerca de dois meses pela polícia.

De acordo com o Departamento de Narcóticos, que interceptou o veículo na BR-386, o casal Aires Rogério da Silva Martins e Terezinha Fátima Bastos da Silva viajava com uma criança no carro. Eles foram encaminhados ao Denarc, onde foram ouvidos, e devem ser transferidos ainda neste sábado para o Presídio Regional de Lajeado.

No tanque de combustível do carro, a dupla transportava 10 tijolos de drogas, sendo seis barras de crack e quatro de cocaína. Com o material, poderiam ser produzidas até 40 mil pedras de crack. A suspeita é de que a droga tenha vindo do Paraguai.

Com informações do Zero Hora

Grupo de ciclistas é atropelado na Cidade Baixa, em Porto Alegre

ZH/Foto: Ricardo Duarte

Um grupo de ciclistas foi atropelado por volta das 19h desta sexta-feira (25), na esquina das ruas José do Patrocínio e Luiz Afonso, no bairro Cidade Baixa, na Capital. Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas.

Oito ciclistas foram recolhidos para o Hospital de Pronto Socorro: Adilson Simoni Sieg, 28 anos, Eduardo Fernandes Iglesias, 41 anos, Moisés Rodrigues de Oliveira, 43 anos, Marcos Ritter Rodrigues, 27 anos, Ricardo Mattes Ambus, 23 anos, Jessica Bom Fim, 17 anos, Maria Cristina Ferrony, 44 anos, e Thomas Schiltt Silva, 20 anos. Os feridos mais graves eram Maria Cristina, que foi levada à sala de gesso, e Marcos Ritter, com politraumatismo. Adilson Sieg recebeu alta ainda durante a noite. O grupo integra o movimento Massa Crítica, que se reúne toda última sexta-feira do mês para pedalar. Segundo a estudante Lenise Ghiorzi Correa, 21 anos, que participava do projeto pela primeira vez, o grupo havia saído do Largo Zumbi dos Palmares e seguia caminho pela José do Patrocínio, bloqueando a via. Ao chegarem na esquina com a rua Luiz Afonso, o motorista de um Golf preto, que estava guiando atrás do grupo desde o início da via, teria acelerado, atingindo os ciclistas. “O carro passou do meu lado, foi uma cena horrível. Tinha gente sendo jogada para todos os lados” conta a ciclista. Após o atropelamento, o motorista fugiu do local. Dezenas de bicicletas foram quebradas.

Pedagoga confessa ser autora de ameaças de  sequestro contra criança em Campo Mourão

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Walter Pereira

Delegado José Jacovoz responsável pelo caso

A polícia civil de Campo Mourão – PR, após dois meses de investigação conseguiu esclarecer um caso de extorsão contra um conceituado médico da cidade que teve inicio no final do ano passado.

A pedagoga e estagiaria da prefeitura de Campo Mourão, Mirian Vitor Lopes de 35 anos, planejava seqüestrar o filho do médico de 7 anos que é portador de necessidades especiais

Miriam se apresentou a policia e confessou na tarde de ontem (22), ser a responsável pelas ameaças feitas ao médico exigindo R$ 200 mil para que nada de ruim acontecesse com o menino.

Após prestar depoimento a acusada foi liberada, existe a suspeita que mais pessoas possam estar envolvidas no caso.

A acusada dava aulas particulares para a criança que é autista. Durante as investigações a policia desconfiou que o autor ou autores da trama seriam pessoas próximas a família e passaram a investigar e passaram a investigar os pedagogos que trabalhavam na residência. Eram tês profissionais.

Após receber varias cartas com ameaças o médico transformou sua residência em uma fortaleza instalando sistemas de vigilância composto por 12 cameras. Segundo a polícia o médico passou o Natal e o Ano Novo desesperado.

Em uma das cartas enviadas ao médico, a estagiária teria dito que não adiantava ele tomar medidas, pois ela tinha gente que lhe passava informações. As ameaças eram cada vez mais violentas. Em uma segunda carta a acusada dizia que se não recebesse o dinheiro, além de sequestrar o menino executaria a família.

O delegado responsável pelo caso José Jacovoz disse que graças a um exame grafotécnico foi possível chegar a pedagogo. “A partir do momento que passamos a investigar os pedagogos, como as cartas eram escritas a mãos chamamos os funcionários para um exame grafotécnico. Neste exame o perito informou de quem seria à letra”, diz. “A partir daí colocamos a pessoa no grampo e ela acabou confessando o crime”, acrescenta.

O delegado disse que Miriam foi solta porque a polícia considera que ela não está atrapalhando as investigações. Um computador utilizado para a confecção das cartas também foi apreendido na casa de seu namorado. Porém ele não sabia da trama.

A secretária municipal de Educação de Campo Mourão, Rita de Cássia Carteli de Oliveira, Informou que Miriam foi afastada ainda na tarde de ontem de suas funções. Ela trabalhava desde o ano passado na Creche Pingo de Gente, no jardim Tropical. “Ela era apenas estagiária do município. Suspendemos imediatamente o contrato dela e já fizemos a rescisão da bolsa”, ressalta.

Com informações da RPC Maringá

Bandido mais procurado do Rio Grande do Sul se entrega à polícia

Samuel Eneas de Melo é suspeito de assaltos a carros fortes e roubos de cargas

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Divulgação

Samuel Eneas de Melo, 30 anos considerado o número 1 da lista de procurados pela polícia gaúcha, se apresentou na tarde de ontem (22), no Fórum de Taquara-RS. Samuel estava foragido do sistema semi-aberto e é suspeito de participações em assaltos a carros fortes e roubo de cargas.

Samuel é considerado especialista em explosivos, ele pertencia ao bando do ladrão de bancos Wanderley Grehs, que ocupava a lista dos mais procurados em 2010 e foi capturado em Dois Irmãos. Samuel responde a processos por roubo a carga, roubo a banco e assalto a carro forte, e é investigado em pelo menos outros cinco crimes.

Encaminhado para a Delegacia de Taquara, Samuel, foi encaminhado para a Penitenciária de Montenegro.

Às 19h, a Polícia Civil informou, por meio de seu Twitter (@policiacivilrs), que a unidade de Taquara estava formalizando a prisão do criminoso.

Com informações do Diário Gaúcho

Monomotor cai sobre casa no Recife

Redação Isto é Guarulhos/Foto: Chico Porto

Piloto estava sozinho no momento do acidente

Um avião monomotor de prefixo PU-HHC, caiu sobre uma residência na tarde desta terça-feira (21), no bairro do Pina, zona sul de Recife – PE. O piloto Antonio Carlos Leite de Carvalho estava sozinho no avião e foi socorrido pelo SAMU e encaminhado consciente para um hospital particular da cidade.

Segundo o Corpo de Bombeiros, por volta das 13h15 o monomotor caiu sobre uma casa, destruindo o telhado e o muro do imóvel vizinho. Os moradores não foram atingidos.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram ao local para fazer o isolamento da área. Técnicos do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos estão no local para analisar as causas do acidente.

O acidente aconteceu durante o pouso na pista de um aeroclube existente no bairro.

Exército pode intervir na saúde de Londrina

Bonde/Foto: Google

Barbosa Neto pede ajuda do Exército no combate a dengue

O prefeito Barbosa Neto (PDT) encaminhou ofício, nesta segunda-feira (21), pedindo intervenção do Exército para combater a dengue na cidade. O documento foi remetido a Curitiba. A intenção é que militares ajudem na retirada de entulhos e limpeza de áreas com alto índice de infestação do mosquito Aedes aegypt.

O levantamento (LIRA) feito pela Secretaria Municipal de Saúde aponta para surto da doença na zona sul da cidade. Bairros como União da Vitória apresentaram índice de 9,67% de infestação, enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda menos de 1%. No Jardim Itapoã, o índice foi de 6,52% e Cafezal, 5,29%. Na região central, a média ficou em 5,88%, no Centro Social Urbano.

A cidade já enfrenta uma epidemia regionalizada da doença. Na zona leste está concentrada a maior parte dos casos de dengue – 478 do total de 638. O LIRA revelou dados assustadores em alguns bairros da região. No Ideal, o índice de infestação ficou em 9,63%. No Marabá, 5,91%.

A maioria das ações do município se concentra na região leste. O Exército teria participação nas demais áreas. Ainda não há prazo para a presença efetiva dos militares nas ruas ajudando no combate a doença.

Brasil vai impor barreira a produto chinês

Bonde.com/Foto: Google

O governo se prepara para anunciar, ainda este mês, medidas para proteger a indústria contra a enxurrada de produtos chineses que invadiu o mercado nacional.

Porém, essa proteção não será geral e irrestrita. Ainda que boa parte das reclamações da indústria encontre respaldo no Palácio do Planalto, os mesmos que acenam com mudanças no tratamento dispensado aos chineses também reconhecem que algumas das dificuldades dasempresas brasileiras são decorrentes de problemas locais.

Além disso, as defesas não podem fechar as portas para o maior comprador de produtosbrasileiros do planeta. O desafio não é trivial.

O Ministério do Desenvolvimento e o Itamaraty terão de trabalhar em perfeita sintonia para atender, simultaneamente, os que penam com a concorrência chinesa e aqueles que se beneficiam do desempenho da segunda maior economia do mundo.

De acordo com fontes consultadas pelo Estado no Planalto, no Ministério do Desenvolvimento e no Itamaraty, os entraves nas relações comerciais entre os dois países ainda são pequenos diante da “brutal oportunidade” que o mercado chinês representa para as empresas brasileiras.

Uma das preocupações do Itamaraty é não transformar os chineses numa espécie de bode expiatório das dificuldades da indústria nacional. “A China gera problemas, mas não podemos dizer que todos os nossos problemas são provenientes da China”, explica uma das fontes envolvidas nas discussões.

A falta de competitividade das empresas nacionais é um exemplo de entrave de natureza local, reconhecido pelo próprio governo brasileiro e lembrado por Pequim. “Os problemas que alguns setores industriais do Brasil encontram não têm origem na China. Eles têm de fortalecer a própria competitividade econômica e comercial”, disse ao Estado o embaixador chinês no País, Qiu Xiaoqi.

“Infraestrutura”. O próprio governo contribui para agravar essa situação, seja pela forte carga de impostos, seja pela demora em deslanchar investimentos que melhorem a infraestrutura.

“É fácil criticar a China pela questão do preço, mas o fato é que o preço praticado no Brasil é muito alto”, afirma Tang Wei, secretário-geral da Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Econômico. “Os preços brasileiros não são competitivos em lugar nenhum do mundo”, acrescenta.

Embalada por uma expansão forte e contínua nos últimos 30 anos, a China investiu pesado na melhoria e ampliação de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, e as empresas aplicaram muito dinheiro em máquinas novas, garantindo uma escala de produção gigantesca e relativamente barata. Essa é uma questão estrutural que afeta tanto o Brasil quanto o resto do mundo, ponderam os representantes do governo brasileiro.

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, já deixou claro que terá uma postura mais proativa. “Não hesitaremos em fazer uso de mecanismos de defesa comercial quando forem cabíveis. Estaremos sempre atentos a práticas ilegais que prejudiquem a indústria brasileira”, disse o ministro ao assumir a pasta.

“Sem excesso”. Atender demandas não significa, entretanto, ações indiscriminadas contra todos. Os técnicos do governo sabem que medidas de defesa precisam ser cuidadosamente analisadas para atingir apenas os segmentos que verdadeiramente sofrem concorrência danosa. Excessos nessa seara geram mais prejuízos que benefícios. Para o Itamaraty, práticas desleais de comércio, como contrabando, não serão resolvidas com medidas de defesa comercial. “Contrabando é caso de polícia”, resumiu uma fonte.

O governo brasileiro também não tem muita margem de manobra para aumentar os impostos de importação. Por causa das regras do Mercosul, o Brasil só pode elevar alíquotas se obtiver concordância dos demais integrantes do bloco ou incluir os produtos na lista de exceção que cada país tem direito.

A primeira alternativa é um caminho complexo politicamente. A segunda opção esbarra em um obstáculo prático: a lista de exceção só pode ter 100 itens e a do Brasil já tem 96.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s